Fedor e Frank Mir lideram Bellator 198 em luta pelo GP dos Pesados; Jiu-Jitsu marca presença

    Fedor e Frank Mir se enfrentam neste sábado (28) por uma vaga na semifinal do GP peso-pesado (Foto Bellator)

    Por Yago Rédua

    Um dos cards mais esperados do Bellator em 2018 será realizado neste sábado (28): a edição de 198, em Chicago (EUA). A luta principal será entre Fedor Emelianenko e Frank Mir, pelo GP dos Pesados da organização. O vencedor vai encarar Chael Sonnen na semifinal. A noite ainda será recheada com nomes do Jiu-Jitsu em ação como Neiman Gracie, Rafael Lovato Jr e a estreia de Dillon Danis, companheiro de Conor McGregor.

    Confronto histórico no main event

    Em qualquer lista de “melhores pesos-pesados” da história do MMA, Fedor e Mir aparecem. Enquanto o russo dominava o Japão e era campeão no extinto PRIDE, o norte-americano mostrava todo o seu talento com o cinturão do Ultimate. Mário Filho, comentarista da FOX Sports, conversou com a TATAME e fez uma projeção sobre a performance de Emelianenko, que perdeu a sua estreia no Bellator para Matt Mitrione, em uma espécia de “nocaute duplo”. Contudo, Marinho não acredita que o lutador de 41 anos entre “cauteloso” na luta.

    “A derrota para o Mitrione no Madison Square Garden, em Nova York, pra mim não é denunciativa de decadência alguma do Fedor. É o tipo de situação que não evidencia limitação, declínio de performance, ou coisas do tipo. Foi um ‘knock-down’ duplo, e o soco do Mitrione chegou antes porque ele tem braços bem mais compridos. O Fedor é um peso-pesado pequeno, e o Mitrione tem um alcance quilométrico. Mas eu aceitaria sim o argumento que o Fedor tem mais dificuldades contra canhotos. Como o Mitrione, o Frank Mir também é canhoto. Naquela luta do MSG, o direto que o Fedor jogou era um direto pra ser arremessado contra um destro. A cabeça dele estava totalmente convidativa ao jab de direita do Mitrione. E isso é uma falha técnica quando você encara um canhoto”, analisou o comentarista de MMA, que seguiu com sua análise a respeito do veterano russo.

    “O Fedor já passou por todas as experiências possíveis. Não acredito que ele se apresente cauteloso além da conta. Provavelmente luta como contra golpeador no round inicial. Vejo uma vantagem para o russo na prorrogação da luta. O Frank Mir tem uma propensão bem maior a se cansar. Já o Fedor, depois da aposentadoria, venceu o terceiro round contra o Maldonado depois de ser defumado impiedosamente durante 10 minutos. Portanto, continua muito bem condicionado fisicamente apesar da idade. O favoritismo pra mim é do Mir nos rounds iniciais, e do russo no terceiro round”, projetou sobre o confronto.

    Fedor Emelianenko estreou com derrota no Bellator, na edição histórica de Nova York, nos EUA (Foto Bellator)

    Sobre Mir, que não luta desde de março de 2016, quando foi derrotado por Mark Hunt e, posteriormente, suspenso pela USADA (Agência de Antidoping dos EUA), Mário Filho não vê esse tempo afastado como um “problema”. O comentarista destacou o poder de superação do ex-campeão do UFC e relembrou o acidente de moto sofrido pelo norte-americano.

    “Frank Mir fez tudo que podia no MMA. Finalizou o Traven quando ainda era faixa-azul de Jiu-Jitsu. Executou uma chave de braço no Pete Williams que ninguém nunca mais fez igual. Finalizou o Brock Lesnar. Foi o primeiro a nocautear o Minotauro. Foi o primeiro a finalizar o Minotauro. Foi o único a finalizar e nocautear o Minotauro, feito que o Fedor não fez com o Rodrigo durante 35 minutos – em três lutas e sete rounds, no PRIDE. Ele está vindo sim de um período de inatividade, mas ele já enfrentou uma situação parecida após o terrível acidente de moto que sofreu e, não só deu a volta por cima, como conquistou o cinturão do UFC. E a contratação pelo Bellator, somada a oportunidade de finalmente realizar o velho sonho de enfrentar o Fedor, Emelianenko são combustíveis que resgataram a motivação do Mir. E te digo uma coisa, o Frank Mir inspirado e a fim de se superar, é um dos pesos-pesados mais instigantes do mundo, com certeza”, apontou Marinho.

    Melhor oponente para Sonnen

    No disputado GP dos Pesados do Bellator, Chael Sonnen venceu Rampage Jackson em janeiro, pela edição 192. Desta forma, espera o vencedor deste confronto no Bellator 198, para conhecer o seu adversário na semifinal do torneio. Mário Filho comentou que gostaria de assistir ao confronto de canhotos, entre o sempre polêmico Sonnen e Frank Mir.

    “Eu preferiria ver o duelo de canhotos entre Sonnen e Mir. Até porque, caso o Sonnen derrube o Mir, ele estaria mergulhando de cabeça na areia movediça. Com as costas no chão, o Mir começaria um ataque caótico no braço, no triângulo, leglock ou guilhotina. E a resistência e vontade de sobreviver não são exatamente as características principais do Sonnen. Ele é muito finalizável, e o Mir é um dos maiores finalizadores do MMA”, disse.

    Para ficar de olho

    Com três vitórias no Bellator, Emmanuel Sanchez vai medir forças com Sam Sicilia, que estreou com triunfo na organização. O duelo será o co-main event. Ainda no card, três confrontos envolvem nomes que representam a arte suave no MMA. Principal membro da família Gracie nas Artes Marciais Mistas atualmente, Neiman Gracie ainda não sabe o que é perder. Em sete lutas na carreira, o faixa-preta de Renzo Gracie venceu todos os confrontos, sendo seis por finalização. O brasileiro vai enfrentar Javier Torres, que estreia na organização e possui um cartel de dez vitórias, três derrotas e um “No Contest”.

    Neiman Gracie, faixa-preta de Jiu-Jitsu, vai em busca de mais uma vitória dentro da organização (Foto Bellator)

    Campeão mundial de Jiu-Jitsu e ex-campeão do LFA, Rafael Lovato Jr está invicto no MMA e começou sua trajetória no Bellator com três triunfos. Inicialmente, nesta edição 198, o faixa-preta iria enfrentar John Salter, que deixou o card antes do evento. O lutador agora vai encarar Gerald Harris, que soma 30 lutas em sua cartel – sendo 25 triunfos e cinco reveses. “Hurricane” debuta na franquia, mas já teve passagens pelo Ultimate.

    Companheiro de treinos de Conor McGregor e responsável pelo jogo de chão do irlandês, Dillon Danis vai realizar sua estreia no MMA. O norte-americano coleciona títulos importantes em competições No-Gi e vem há um tempo se preparando para fazer a transição dos tatames para o cage. O adversário de estreia na modalidade será Kyle Walker, que não tem uma vasta experiência. O lutador de Chicago tem três derrotas e apenas duas vitórias, além de fazer a sua primeira aparição no Bellator, como Danis.

    CARD COMPLETO:

    Bellator 198
    Rosemont, em Illinois (EUA)
    Sabádo, 28 de abril de 2018

    Card principal
    Fedor Emelianenko x Frank Mir
    Emmanuel Sanchez x Sam Sicilia
    Neiman Gracie x Javier Torres
    Rafael Lovato Jr. x John Salter
    Dillon Danis x Kyle Walker

    Card preliminar
    P.J. Cajigas x R’Mandel Cameron
    Dan Stittgen x Mark Stoddard
    Morgan Sickinger x Eric Wisely
    Joey Diehl x Nate Williams
    James Bennett x Dustin Stusse
    Asef Askar x Andrew Johnson
    Adil Benjilany x Corey Jackson
    Tom Angeloff x Sultan Umar
    Adam Maciejewski x Robert Morrow

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome