Protagonista em polêmica no UFC Atlantic City, Dvalishvili pede revanche e diz: ‘Não entendi o que aconteceu’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 25/04/2018
Protagonista em polêmica no UFC Atlantic City, Dvalishvili pede revanche e diz: ‘Não entendi o que aconteceu’ Polêmica decisão da arbitragem ao apontar vitória por nocaute técnico para Simon (Foto: Getty Images / UFC)

publicidade

O polêmico confronto entre Ricky Simon e Merab Dvalishvili, realizado no último sábado (21), pelo UFC Atlantic City, segue “rendendo” nos bastidores. No minuto final da luta em questão, Simon ajustou uma guilhotina sobre Dvalishvili, que ficou mexendo as pernas para mostrar que estava consciente. Após o término do combate, o árbitro Liam Kerrigan, entretanto, apontou vitória por nocaute técnico para Ricky.

A partir disso, começou uma grande polêmica. Autoridades do Comitê de Controle de Atletismo do Estado de Nova Jersey (NJSACB) determinaram que Dvalishvili havia ficado inconsciente com a tentativa de finalização de Simon após a conclusão da luta. O lutador, no entanto, mantém seu argumento de que estava consciente e que, para comprovar isso, mexeu suas pernas enquanto seu adversário tentava aplicar o golpe. A decisão gerou uma divisão de opiniões, com alguns defendendo a decisão do NJSACB – como o veterano árbitro Marc Goddard – e outros condenando a decisão da comissão como “erro grave”. Os scorecards oficiais divulgados após a luta mostraram que Dvalishvili teria conquistado uma vitória por decisão dividida se a o árbitro interino Liam Kerrigan não declarasse a vitória por nocaute para Simon.

“Eu sinto como se eles tivessem tomado a vitória de mim. Porque, na minha opinião, eu acho que venci. Eu venci a luta e nunca desisti, não fui finalizado e não sei o que aconteceu. Não tenho uma resposta para o que houve. Não desisti, eu ainda estava na luta, eu ainda estava esperando pelo meu momento, quando o tempo acabasse, e é isso, eu venci. Eu estava vencendo a luta toda e estava consciente na luta”, disse Merab Dvalishvili, em entrevista ao site MMA Fighting, para logo depois seguir falando sobre o ocorrido na luta.

“Mostrei ao árbitro que estava bem. Eu estava mexendo meus pés, minhas pernas, mostrei a todos que estava bem. E quando o árbitro tentou me tocar (para ver se eu estava consciente) e ele me disse para me mostrar as mãos, mostrei a ele minhas mãos, o que quer que fosse, meus olhos, tudo. Eu estava dentro da luta, nunca estive inconsciente, então me sinto muito mal com toda essa situação. Eu estava pronto para quando o tempo acabasse e, finalmente, graças a Deus, o tempo acabou. Talvez eu não estivesse mexendo a cabeça porque estava muito apertado, mas mostrei a todos que estava bem. É por isso que eu estava me movendo o tempo todo, minhas pernas. Vocês podem assistir ao vídeo e vão ver. Mesmo quando o tempo acabou, eu ainda estava movendo minhas pernas. Eu não entendo essa decisão”, disse o lutador, que planeja um recurso contra o resultado e quer uma revanche diante de Ricky Simon.

“Eu só quero continuar. Eu ficarei feliz se eles me derem uma revanche. Além disso, Sean Shelby (matchmaker do UFC) disse que vai me dar uma revanche, e isso seria ótimo para mim. E estou pronto para uma revanche. Estou pronto para minha próxima luta. Ele (Shelby) lamentou muito disso acontecer e disse que vai tentar fazer essa luta”, encerrou.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade