Inspirada em Cris Cyborg, Juliana Velasquez projeta cinturão do Bellator: ‘Vejo evolução a cada luta’

    Juliana vive grande fase no Bellator e quer seguir assim até disputar o cinturão (Foto reprodução Bellator)

    Por Diogo Santarém

    Com uma trajetória curta, mas vitoriosa, Juliana Velasquez começou no MMA em 2013, tendo realizado sua primeira luta profissional no ano seguinte. Desde então, são sete duelos e sete triunfos, dois deles pelo Bellator, segunda maior organização de MMA do mundo e da qual a brasileira faz parte desde 2017. Com um início empolgante e promissor, a lutadora, oriunda do Judô, conversou com a TATAME e projetou seus próximos passos.

    Vindo de uma vitória por nocaute sobre Rebecca Ruth, no último dia 13 de abril, pelo Bellator 197, Juliana já desponta entre os principais nomes da divisão peso-mosca no feminino. Porém, apesar da grande fase, a lutadora mantém os pés no chão sobre isso.

    “Eu me vejo começando, estou trabalhando para poder crescer no evento, é um evento incrível e muito grande. Claro que a minha meta é dar sempre o melhor de mim para obter resultados positivos e conseguir cada vez mais espaço no Bellator”, disse, prosseguindo.

    “Achei muito boa (a minha atuação no Bellator 197). Vejo evolução a cada luta minha e isso me deixa bem orgulhosa. A luta com a Ruth foi muito dura. Ela é uma grande atleta. Aprendi bastante e com certeza a base no Judô me ajudou bastante”, revelou Juliana.

    Lema entre a maioria dos lutadores, a “próxima luta” também é o foco da brasileira, entretanto, Juliana não esconde o desejo de disputar o cinturão do Bellator, ressaltando a importância da Team Nogueira, sua equipe, na caminhada para que o sonho se realize.

    “Projeto sempre a minha próxima luta. Luto sempre como se fosse a luta da minha vida, mas claro que a meta é o cinturão (risos). Para isso, aposta na minha equipe. É a academia me levou para o mundo que estou hoje e sempre me deu todo o suporte que preciso”.

    Inspiração em Cyborg

    Com um estilo avassalador dentro do cage, Velasquez possui seis das suas sete vitórias por nocaute ou finalização – três de cada -, números que impressionam e revelam a inspiração em um dos maiores nomes do MMA feminino: Cris Cyborg, atual campeã do Ultimate e exemplo de uma geração que acompanhou o crescimento das mulheres no esporte.

    “A Cyborg é a minha maior referência, com certeza. Acho que o MMA feminino está conquistando seu espaço em todos os eventos. Inclusive está tomando uma grande proporção e os eventos estão acompanhando com todo respeito”, encerrou a brasileira.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome