Lineker exalta volta das ‘Mãos de Pedra’ e avisa: ‘Eu estou pronto para o cinturão’

    John Lineker conquistou boa vitória sobre Brian Kelleher e emplacou segundo triunfo seguido (Foto Getty Images / UFC)

    Por Mateus Machado e Yago Rédua

    O UFC 224, realizado no último sábado (12), no Rio de Janeiro, foi especial para John Lineker. O brasileiro derrotou Brian Kelleher no terceiro round e voltou a nocautear em uma luta após quase dois anos, já que a última “vítima” do “Mãos de Pedra” havia sido Michael McDonald, em julho de 2016. Com o bom triunfo, Lineker concentra, mais uma vez, seus esforços no topo da categoria, que tem TJ Dillashaw como atual campeão.

    Em entrevista aos jornalistas logo após o confronto contra Kelleher, o lutador de Paranaguá contou detalhes sobre o triunfo – o 14º da sua carreira por nocaute -, projetou seu futuro dentro da divisão e disse que se vê pronto para uma futura disputa do cinturão peso-galo.

    Confira a entrevista completa com John Lineker:

    – Nova vitória lutando em casa, no Brasil

    Primeiramente, estou muito feliz de ter vencido em casa, mais uma vez no Brasil, ainda mais por nocaute, a “Mão de Pedra” funcionou de novo (risos). Agora, o objetivo é ver se o UFC me joga no Top 5 para eu lutar e chegar novamente perto de uma disputa de título.

    – Luta com vencedor de Moraes x Rivera

    Com certeza interessa (risos). São dois caras que também estão se encaminhando para uma possível disputa de cinturão na categoria. Mas eu quero que o UFC me coloque um cara que me encaminhe para disputar o título. Vencer mais um e aí lutar pelo cinturão.

    – Chance para disputar o cinturão peso-galo

    Estou pronto, certamente. Mostrei nessa luta que estou pronto para nocautear, lutar bem. Independentemente de quem seja o adversário, eu vou lutar e vou vencer, com certeza.

    – Voltar a nocautear após quase dois anos

    Eu acho que em todos os combates eu busco o nocaute sempre, mas o que me atrapalhou mesmo foi o tempo que eu fiquei parado, por conta da cirurgia que eu fiz no maxilar… Voltei em São Paulo contra o Marlon Vera, ali eu comecei a voltar da forma que eu queria, mas com essa luta (contra Brian Kelleher) foi muito bom, é muito bom voltar a nocautear.

    – Boa defesa de quedas contra Brian Kelleher

    Com certeza, eu procurei afiar muito bem a minha defesa de quedas. É muito importante, porque teve uma luta contra o Ali Bagautinov (em 2014), que assim como o Kelleher, o cara disse que não tinha medo da minha mão, mas na primeira oportunidade me colocou para baixo, então dessa vez eu estava bem preparado e pude mostrar uma boa defesa de quedas. Reforcei muito o meu Wrestling e meu Jiu-Jitsu, então é sempre importante estar cada vez mais completo para estar pronto em uma futura disputa de cinturão.

    – Primeiro nocaute sofrido pelo americano

    Eu luto para cima, gosto sempre de buscar o nocaute, é a minha principal característica. Agora que eu soube que ele (Kellher) nunca havia sido nocauteado (risos), então fico muito feliz por isso, por ser o primeiro, abrir o caminho (risos). Não sou melhor que ninguém, mas com certeza, tem que tomar cuidado com a minha mão, pois ela é pesada.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome