Coluna da Arte Suave: as dicas para faixas-branca e azul não desistirem ‘no meio do caminho’; confira

    Em seu novo artigo, Luiz Dias dá dicas para você não desistir da arte suave (Foto Ilan Pellenberg)

    Por Luiz Dias

    Treinar e treinar. Aeróbico, explosão, resistência, sempre aprendendo novos movimentos, novas posições. São sempre aspectos presentes na vida de um lutador, e fatores de atenção de um professor em relação aos seus alunos. Mas, às vezes, os treinos não fluem como esperamos, o resultado em campeonatos não chega como desejamos, a graduação demora mais do que imaginamos. Independentemente da faixa, o desânimo pode bater.

    Por vezes, fatores externos também influenciam. Mas o foco principal desse texto é para os faixas-branca e azul. Não desistam. Treinem, aprendam, acreditem na frase tão ouvida: “O faixa-preta é um faixa-branca que não desistiu”. Treinem, não para vencer os outros como foco principal, treinem para se superarem, vencerem seus limites. O desânimo deve ser o ponto inicial para você identificar no que está falhando, ao seu ver, em suas lutas, e por ele começar o fortalecimento do seu Jiu-Jitsu, ajustando as suas falhas e problemas.

    Eu sempre faço essa autocrítica quando dou aula, treino ou até em outros aspectos. Reavalie seu treino, perceba onde não está com uma boa performance. Dificuldades para abrir e passar a guarda? Não se sente confortável por baixo? Então comece seu treino a partir desse ponto que não está confortável. Está “morrendo” ráido? Melhore o seu fôlego.

    Todo sinal negativo aponta, de imediato, o caminho a ser trabalhado. Posso te assegurar que desistir é o único sentimento que nem pode passar na cabeça. Como professor, me preocupo com esse aspecto com os meus alunos. Converso com eles, uma conversa franca com o professor pode ajudar muito. Ajustar treinos, planejamentos para campeonatos e até mesmo verificar com o seu professor se o parâmetro de comparação está certo, porque o desânimo que infelizmente te faz pensar em desistir são feitos em cima de comparações.

    Você pode comparar seu desenvolvimento na arte suave com um lutador que treina todo dia e você vai de duas a três vezes por semana, quando dá? Você treina sempre que pode, mas não pode fazer uma preparação física melhor por falta de tempo, por exemplo, é um fator importante. Invista em você, acredite no seu potencial, adapte o Jiu-Jitsu ao seu rendimento e busque sempre melhorar, se cobrando de acordo com o que você pode.

    Faça projeções para o seu desenvolvimento, estabeleça metas. Se é competidor ou deseja ser, as federações e confederações sempre têm calendário, mas creio o que o principal é você se superar dentro do Jiu-Jitsu. Estabeleça suas metas e lembre-se: “desistir nunca”.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome