Bahiense celebra boa fase, mas mantém ‘pés no chão’ antes do Mundial e avisa: ‘Luto pelo legado’

    Isaque Bahiense é um dos grandes nomes da nova geração e chega com tudo para o Mundial (Foto Vitor Freitas)

    Isaque Bahiense vive a melhor fase desde que pegou a faixa preta, em dezembro de 2016. Campeão do Europeu da IBJJF, em janeiro, a estrela da Alliance repetiu o feito no Marianas Open, onde defendeu o cinturão dos leves, e brilhou no World Pro da UAEJJF, no mês passado, em Abu Dhabi, onde saiu campeão no peso até 85kg após grande atuação.

    Feliz com as recentes conquistas, Isaque conta como se sente a poucos dias do Mundial da IBJJF, programado para começar no fim de maio, na Califórnia (EUA), e terminar no dia 3 de junho. Este é o maior objetivo de Isaque na temporada, e também o mais difícil.

    “Me sinto bem, o trabalho de casa foi bem feito, mas é hora de colocar os pés no chão e continuar trabalhando firme nos treinos. Agora o foco é só no Mundial. É treinar e estudar para poder chegar lá bem. O treinamento está sendo feito no decorrer desses 11 anos que treino Jiu-Jitsu. É chegar bem preparado e conquistar esse título mundial. Está chegando”, disse Isaque, de apenas 22 anos, que brigará pelo ouro na divisão dos pesos-médios.

    Pelo World Pro da UAEJJF, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes, Isaque capturou seu primeiro título mundial na faixa-preta. Para ele, foi um sonho de criança que se tornou realidade, depois de muito trabalho duro e uma longa caminhada na arte suave.

    “Com certeza os sonhos de criança estão virando realidade e não só dentro do tatame, mas como fora dele também. Esse título representa um momento de realização grande na minha vida, pois foi um título que sempre almejei desde pequeno. Foi uma certeza a mais que o trabalho duro está sendo bem recompensado. Eu venho melhorando dia após dia como atleta e ser humano e, para mim, isso é o que mais importa. É ser um exemplo acima de tudo, isso sim”, afirmou o jovem lutador da Alliance, para encerrar em seguida.

    “Eu luto pelo legado. O legado é o mais importante que um homem deixar na terra. E no meu caso é vencer, da melhor forma e o máximo de campeonatos que eu puder, Mundial, ADCC, ACB JJ, enfim… Ser uma boa referência para o nosso esporte, esse é meu legado, o que eu quero deixar pro futuro”, projetou Isaque Bahiense em entrevista à TATAME.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome