Maldonado ‘topa’ superluta no Boxe e não descarta acerto com o Bellator: ‘Já mandaram duas propostas’

    Fábio Maldonado, atual campeão meio-pesado, fará a luta principal do FNG 87 contra Krylov (Foto: Divulgação)
    Maldonado perdeu o cinturão dos meio-pesados do FNG e procura novos passos na carreira (Foto divulgação)

    Por Yago Rédua

    No último dia 19, em Rostov, na Rússia, Fábio Maldonado foi nocauteado por Nikita Krylov e, de quebra, perdeu o cinturão dos meio-pesados do Fight Nights Global. Ainda em solo russo, o “Caipira de Aço” foi desafiado para lutar Boxe com Sergei Kharitonov. O lutador brasileiro disse que “topa” o confronto, mas não sabe se realmente vai acontecer.

    “Tem várias lutas aparecendo pra mim, mas como eu perdi, não sei como vai ficar. Os caras perguntaram para ele (Kharitonov) se queria lutar comigo, ele disse ‘sim’. Fizeram o mesmo comigo, eu também disse que ‘sim’. Ele lutou MMA, não sei se vai ter a revanche porque terminou ‘No Contest’. Se a luta acontecer, deve ser no fim de julho. Acho que, por causa da Copa, vai dar uma parada na Rússia quanto aos eventos de luta”, contou Maldonado, afirmando que tem recebido ofertas e revelou uma proposta antiga do Bellator.

    “Não sei se é a minha prioridade lutar Boxe agora. Estou com contrato livre, o Bellator já tinha feito proposta. Eles já mandaram duas propostas, até revanche com o Fedor me ofereceram, mas foi antes do torneio GP dos Pesados. O Fedor venceu o Mir, pra mim seria bom (a revanche). O ideal será se o Fedor ganhar o GP, porque fiz uma luta boa com ele, nada tão distante. Isso iria me valorizar também, com certeza”, projetou Fábio Maldonado.

    Sobre a derrota que culminou na perda do título dos meio-pesados do Fight Nights Global, na edição 87, Maldonado revelou que precisou passar por uma maratona de quase dois dias para chegar à Rússia. Deste modo, teve cortar muito peso em cima da hora. No entanto, o “Caipira de Aço” disse que não gostou de sua performance dentro do cage.

    “Não gostei mesmo da minha performance, me lembrei da minha luta quando eu deixei o UFC (derrota para Cory Anderson). Acabei indo mal demais, acabei não tendo energia. (Se fosse no Brasil) eu não teria cansado muito, teria mais energia”, apontou o lutador, citando o fato de o confronto ter sido marcado originalmente para São Paulo e depois trocado.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome