MacDonald pede luta com Mousasi, que topa e responde: ‘Agora é com o Bellator’

    Gegard Mousasi faturou o cinturão dos médios na última sexta-feira ao superar Rafael Carvalho (Foto Bellator)

    Logo após conquistar o cinturão dos médios do Bellator, na edição 200, na última sexta-feira (25), ao vencer Rafael Carvalho por nocaute técnico no primeiro round, Gegard Mousasi se inclinou para uma luta com Rory MacDonald, dono do cinturão dos meio-médios. Nas redes sociais, os dois campeões trocaram mensagens e “combinaram” um confronto, bastando apenas a franquia “topar” e confirmar, de fato, a superluta entre eles.

    Em entrevista ao site MMA Fighting, na última segunda-feira (28), MacDonald contou que é uma grande oportunidade para o Bellator fazer essa luta acontecer. O canadense foi além, afirmando que este é “o melhor confronto” que o fã de MMA poderia ver no momento.

    “Obviamente, eu e o Gegard (Mousasi) queremos isso e acho que os fãs querem também. Eu acho que seria a maior luta que o Bellator poderia casar agora. Na minha opinião, se eles deixarem essa oportunidade passar, seria um erro, porque quantas vezes você consegue esse tipo de timing e uma luta pode mudar a direção de qualquer uma de nossas carreiras. Então, eu acho que a oportunidade é agora e nós deveríamos aproveitar”, projetou Rory MacDonald, que conquistou o cinturão ao vencer o brasileiro Douglas Lima.

    Rory MacDonald conquistou o cinturão peso-meio-médio em janeiro deste ano, ao vencer Douglas Lima (Foto Bellator)

    Já Mousasi, também em entrevista ao MMA Fighting, contou que não vê outros nomes dentro da categoria até 84kg que possam ser um desafiante de imediato. O iraniano disse que treinou com Douglas Lima, ex-campeão meio-médio do Bellator, e que sentiu uma diferença de peso entre os dois. Deste modo, acredita que possa levar vantagem na luta.

    “Eu acho que Rory é um grande nome. É uma luta que todo mundo quer ver. Eu quero fazer a luta, acho que Rory também. Cabe ao Bellator decidir. […] Eu treinei com Douglas Lima, ele é um garoto durão, mas eu podia sentir a diferença de peso. Na minha divisão, tem um cara russo que lutou no mesmo card (Bellator 200), ele é bom. Tem um outro cara americano, careca, ele é bom também. Tem um que pertence ao Jiu-Jitsu, ele é bom. Eu não conheço nenhum desses nomes, para ser honesto, mas são bons”, apontou Mousasi.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome