Buchecha bate recorde no Mundial, mas ‘cede’ absoluto para Lo; Tayane conquista ouro duplo

    Em gesto histórico, Buchecha cedeu o absoluto para Leandro Lo ao fechar com o amigo, lesionado (Foto FloGrappling)

    Neste domingo (3), a tradicional Pirâmide de Long Beach, na Califórnia (EUA), recebeu as disputas e finais do Mundial 2018 no adulto faixa-preta. E mais uma vez, grandes histórias foram escritas no evento da IBJJF. Leandro Lo, que estava programado para lutar com Marcus Buchecha na decisão do absoluto, precisou enfrentar primeiro Mahamed Aly na final dos super-pesados. No duelo, Lo lesionou ombro e precisou abandonar o peso aberto. Para homenagear o amigo, Buchecha, que havia faturado o título nos pesadíssimos e alcançado a marca de 11 ouros em Mundiais, fechou a finalíssima e cedeu o primeiro lugar do pódio ao líder da NS Brotherwood, que jamais havia conquistado o absoluto no campeonato.

    Apesar de “abrir mão” do absoluto, Buchecha ainda assim ultrapassou o recorde da lenda Roger Gracie, de dez títulos mundiais. Bruno Malfacine, por sua vez, igualou Roger, vencendo nos galos novamente e sendo o primeiro a conquistar dez títulos na sua divisão. Já Leandro Lo, vice no peso e campeão absoluto, chegou ao seu sexto ouro no Mundial.

    No feminino, Tayane Porfírio repetiu o feito de 2017 e ficou com o ouro duplo. No peso aberto, venceu Nathiely Jesus, campeã meio-pesado, por 12 a 0. Sempre com força e técnica aliadas, Tayane emplacou seu ritmo de luta desde o início. No chão, a lutadora da Alliance forçava para tentar passar a guarda, mas encontrava uma oponente resistente. Nos primeiros cinco minutos, a carioca abriu 2 a 0 nas vantagens, mas, aos poucos, foi progredindo e conseguiu pegar as costas de Nathy para abrir 4 a 0 nos pontos.

    Com Nathiely buscando apenas se defender das investidas, Tayane tentou chegar aos 100kg, mas voltou para as costas, evoluiu e marcou 12 a 0. Faltando dois minutos para acabar, a casca-grossa da Alliance chamou para a guarda, mas travou o braço da rival. Ao se desvencilhar, Nathy foi para as costas e tentou o estrangulamento, mas sem sucesso.

    Ao fim dos dez minutos, melhor para Tayane Porfírio, que conquistou o ouro duplo pelo segundo ano consecutivo e, aos poucos, crava seu nome entre as melhores da história.

    Buchecha faz história em luta acirrada

    Com menos de dez segundos, Marcus Buchecha tentou a queda no double leg, bem defendida por João Gabriel Rocha. O confronto seguiu a tônica da disputa pelo cinturão no ACB JJ 13, há menos de um mês, também em Long Beach (EUA), quando os dois optaram por uma luta mais em pé. Com pouca ação, cada atleta recebeu duas punições.

    O clima da final era de tensão por parte dos lutadores. Em um momento, Buchecha apontou para o lado, como forma de “provocar” João Gabriel, por conta de um fato na luta pelo ACB JJ quando o faixa-preta da Soul Fighters se distraiu com o árbitro e foi derrubado por Marcus Almeida. Desta vez, João Gabriel mostrou mais cuidado ao defender as tentativas de queda do representante da Checkmat. Seguindo o estudo e a pouca efetividade, ambos voltaram a ser punidos, o que gerou dois pontos automáticos pra cada.

    No fim, pela decisão dos árbitros, Buchecha faturou o título mundial nos pesadíssimos e chegou ao seu 11º ouro em Mundiais – seis no peso e cinco no absoluto – se tornando, de forma isolada, o maior recordista no adulto faixa-preta ao passar Roger Gracie, com dez.

    Aly surpreende e desbanca Leandro Lo

    Nos primeiros movimentos da final dos super-pesados, Mahamed Aly tentou passar a guarda de Leandro Lo, mas encontrava um adversário arisco e que procurava uma chance para raspar. Em um lance de ataque dos dois lutadores, Lo tentou derrubar no single leg, mas escorregou e, em seguida, viu o Aly, acidentalmente, cair sobre o seu ombro, que saiu do lugar. Após atendimento médico, o pentacampeão mundial tentou seguir na disputa, porém precisou abandonar a luta. Com isso, Mahamed levou seu primeiro ouro na preta.

    Preguiça triunfa em guerra com Gaudio

    Em um começo de luta disputado, os dois faixas-preta foram com tudo para o ataque e conseguiram uma vantagem cada. Com o confronto mais cadenciado, Felipe Preguiça abriu 2 a 0 ao raspar, que foram devolvidos de imediato por Patrick Gaudio. Com o combate já na meia-guarda, o lutador da Gracie Barra BH voltou a raspar e abriu 4 a 2.

    A decisão dos pesados seguiu equilibrada e os dois trabalharam na guarda 50/50. Ao tentar se levantar, Preguiça deixou a perna e Gaudio o derrubou, no entanto, Felipe respondeu com uma raspagem. Novamente na guarda 50/50, cada um conseguiu uma raspagem, em busca de tentar progredir no ataque. Por fim, após empate em 8 a 8 nos pontos, Preguiça venceu por 4 a 3 nas vantagens e conquistou o título mundial da IBJJF no peso-pesado.

    Hulk e Braguinha fecham para a Atos

    Na decisão dos meio-pesados, Lucas Hulk ficou com a medalha dourada no Mundial ao fechar com Gustavo Batista, o “Braguinha”. Ambos são representantes da Atos Jiu-Jitsu, liderada por André Galvão. Esse foi o primeiro título mundial de Hulk como faixa-preta.

    Bahiense estreia com título na preta

    Após receber palavras de incentivo de Mário Reis, treinador da Alliance, Isaque Bahiense entrou extremamente motivado na decisão dos médios contra Tommy Langeker e abriu 2 a 0 nos pontos com uma queda. Com o norueguês na guarda, o brasileiro passou a atacar com intensidade, buscando sair no 100kg. Além de brecar as investidas do oponente, o gringo da Kimura tentava raspar a todo instante, querendo igualar o placar com Isaque.

    Com a vantagem, Isaque passou a administrar mais a luta e recebeu duas punições do árbitro. Ao fim dos dez minutos, Bahiense chegou ao primeiro título mundial na faixa-preta.

    Lepri derrota Canuto e fatura o penta

    Com a pegada ajustada na lapela e no braço de Lucas Lepri, Renato Canuto tentou algumas quedas no começo do combate, mas encontrou uma boa estabilidade do adversário. O duelo seguiu estudado, porém Lepri foi bem nas pernas do atleta da Checkmat, quase no limite do tatame, e conquistou a queda para abrir o placar: 2 a 0.

    Já entrando na reta final da decisão dos leves, Lucas Lepri insistiu no single leg, que foi inicialmente bem defendido por Canuto. Porém, ele não manteve o equilíbrio por muito tempo e foi ao solo. Perdendo por 4 a 0, Renato tentou usar sua agilidade para raspar, no entanto, o lutador da Alliance controlou o combate e garantiu o pentacampeonato mundial.

    Hill-Taylor é o novo rei do peso-pena

    Sem perder tempo, Shane Hill-Taylor aplicou uma queda e abriu 2 a 0 no placar. Seguindo a decisão dos penas, o lutador passou a trabalhar na guarda e mostrou uma boa defesa, com os pés no quadril de Leonardo Saggioro. Travando o braço direito do brasileiro, o norte-americano foi para a raspagem, subiu e colocou 4 a 0 nos pontos.

    Na guarda e em desvantagem, Saggioro tentou encaixar o triângulo, mas sem sucesso. Com explosão, o brasileiro raspou, mas encontrou novamente uma guarda bem montada por Hill-Taylor, que segurou a pressão até o fim do combate. Após reinados de Rafael Mendes e Rubens Charles Cobrinha, Hill-Taylor é o novo campeão mundial no peso-pena.

    Musumeci segue reinado nos plumas

    Logo no começo da decisão dos plumas, Ary Farias chamou para a guarda. Rapidamente tentou a raspagem, mas conseguiu apenas uma vantagem sobre Michael Musumeci. Em seguida, novamente no chão, os dois lutadores tentavam trabalhar na guarda 50/50.

    Em um confronto movimentado por cada posição, o norte-americano conseguiu pegar as costas de Ary, porém não encaixou a perna esquerda para completar a posição. Na sequência, aproveitando uma brecha do brasileiro, Musumeci fez a posição corretamente e abriu 4 a 0 no placar. Ainda no fim, chegou próximo de finalizar com uma chave de braço, mas venceu por pontos. O lutador conquistou o bicampeonato mundial na faixa-preta.

    Malfacine alcança dez títulos mundiais

    Em um luta de calma e estratégia, Bruno Malfacine começou o confronto tentando passar a guarda de Rodnei Barbosa, que se defendia e buscava a perna do oponente para tentar fazer uma alavanca, em busca de raspagem. Sem hesitar, o lutador da Alliance aproveitou a oportunidade certa, encaixou uma chave de braço e finalizou a luta. Agora, Malfacine chegou a incrível marca de dez títulos mundiais e se igualou a lenda Roger Gracie.

    Tayane vence e fatura o bicampeonato

    Assim que o confronto começou, rapidamente foi para o chão e Tayane Porfírio passou a exercer suas ações contra Venla Luukkonen. Com as transições, chegou no 100kg, depois raspou e foi trabalhando até pegar as costas e abrir 9 a 0 no placar. Logo em seguida, a lutadora da Alliance foi para montada e disparou para 13 a 0. Não satisfeita, ainda buscou o braço da oponente, encaixou a americana e garantiu mais um ouro no superpesado.

    Nathiely controla pressão e brilha

    Nathiely Jesus passou boa parte do tempo defendendo, e bem, a transposição de sua guarda. A brasileira soube controlar o ritmo de Maria Malyjasiak, que chegou na meia-guarda, mas não encontrava espaços para seguir o ataque. Já nos 30 segundos finais, Nathy resolveu fazer uma blitz, raspou, abriu 2 a 0 no placar e, por pouco, não finalizou no estrangulamento, vencendo por pontos. Ela sagrou-se bicampeã mundial no peso-pesado.

    Cláudia do Val finaliza Monique Elias

    Estratégica, Monique Elias mostrou técnica para quase superar a guarda de Cláudia do Val, mas foi o suficiente para conquistar uma vantagem e ir para as costas. Mostrando explosão, a lutadora da De La Riva conseguiu sair da posição sem sofrer pontos. Logo depois, porém, Monique pegou o braço de Cláudia, fez a alavanca e consegui a raspagem.

    Precisando virar o placar, Do Val foi pra cima. A casca-grossa, então, conseguiu encaixar um triângulo de pernas, pegou o braço de Monique Elias e finalizou com uma mão de vaca. Vitoriosa, Cláudia chegou ao segundo título mundial nos meio-pesados como faixa-preta.

    Ana Carolina estrangula e leva o bi

    Ana Carolina Vieira parou nas semifinais do absoluto durante o sábado (2), mas não se abateu e foi com tudo para conquistar o bicampeonato na categoria dos médios. A lutadora da GFTeam, irmã de Rodolfo, mostrou toda sua explosão e técnica para finalizar Renata Canuto, estreante no Mundial como faixa-preta, com um estrangulamento Ezequiel.

    Bia vence Luiza e conquista o penta

    A final peso-leve foi marcada por muito estudo entre duas atletas experientes. Logo no começo, Luiza Monteiro tentou passar a guarda de Bia Mesquita, mas ambas ficaram tentando progredir através da meia-guarda. Nos cinco minutos finais, o panorama seguiu o mesmo, com as lutadoras calculando cada ataque. Ao tentar raspar, porém, a faixa-preta da Atos conquistou uma vantagem. A resposta de Bia veio em seguida, com três vantagens e posição de superioridade. Ao fim, a fera da Gracie Humaitá levou seu quinto Mundial.

    Karen Antunes desbanca Ana Schmitt

    Assim que começou a disputa, Ana Carolina Schmitt chamou para guarda e mostrou um jogo sólido, não deixando Karen Antunes avançar em suas investidas. Em um duelo de xadrez, na busca por encontrar um espaço para atacar, a lutadora da Checkmat tentou aumentar a pressão da blitz para passar a guarda. No fim, sem ninguém pontuar ou conquistar vantagem, a decisão ficou para os árbitros, que decidiram pela vitória de Karen Antunes na final dos penas. Foi o primeiro título mundial da jovem lutadora na faixa-preta.

    Amanda estreia com título na preta

    Nos primeiros cinco minutos de luta, Talita Alencar passou boa parte do tempo tentando derrubar Amanda Monteiro, que soube se defender. O confronto não apresentou muitas ações ofensivas, fazendo com que o árbitro desse uma punição para cada. Pouco depois, ao responder provocações da torcida rival, Talita começou a sambar no tatame e foi punida. Desta forma, com a segunda punição de Talita, a fera da GTeam recebeu uma vantagem.

    Restando dois minutos para o fim, a luta foi para o chão e Talita fez a guarda. O duelo ficou mais intenso, porém, ninguém mexeu no placar, e assim Amanda Monteiro chegou ao seu primeiro título mundial na faixa-preta. Vale lembrar que em 2017 ela venceu na marrom.

    Japonesa Yuasa fatura tetramundial 

    A final peso-galo no feminino teve um início de estudo entre as atletas. Rikako Yuasa abriu 2 a 0, mas Serena Gabrielli conseguiu uma raspagem e empatou o placar. No chão, as duas lutadoras ficaram trabalhando na guarda 50/50. Ao chamar para guarda, a japonesa colocava pressão e conseguia fazer as raspagens sobre a oponente. Deste modo, abriu mais quatro pontos, levando a disputa para 6 a 2. Novamente na guarda 50/50, Yuasa chegou próximo de finalizar com uma chave de calcanhar, mas ficou mesmo na vitória por pontos. Com mais uma medalha, Rikako chegou ao tetracampeonato mundial.

    Confira os resultados completos do Mundial de Jiu-Jitsu 2018 da IBJJF, aqui

    Confira abaixo os resultados completos na faixa-preta:

    – Faixa-preta / Masculino / Adulto
    Peso-galo: Bruno Malfacine finalizou Rodnei Barbosa com uma chave de braço
    Peso-pluma: Mikey Musumeci derrotou Ary Farias por 4 a 0 nos pontos
    Peso-pena: Shane Hill-Taylor derrotou Leonardo Saggioro por 4 a 2 nos pontos
    Peso-leve: Lucas Lepri derrotou Renato Canuto por 4 a 0 nos pontos
    Peso-médio: Isaque Bahiense derrotou Tommy Langaker por 2 a 0 nos pontos
    Peso-meio-pesado: Lucas Hulk foi campeão após fechar com Gustavo Batista
    Peso-pesado: Felipe Preguiça derrotou Patrick Gaudio por 4 a 3 nas vantagens
    Peso-superpesado: Mahamed Aly derrotou Leandro Lo após interrupção médica (lesão)
    Peso-pesadíssimo: Marcus Buchecha derrotou João Gabriel Rocha na decisão dos árbitros
    Absoluto: Leandro Lo foi campeão após fechar com Marcus Buchecha

    – Faixa-preta / Feminino / Adulto
    Peso-galo: Rikako Yuasa derrotou Serena Gabrielli por 6 a 2 nos pontos
    Peso-pluma: Amanda Monteiro derrotou Talita Alencar por 1 a 0 nas vantagens
    Peso-pena: Karen Antunes derrotou Ana Carolina Schmitt na decisão dos árbitros
    Peso-leve: Beatriz Mesquita derrotou Luiza Monteiro por 3 a 1 nas vantagens
    Peso-médio: Ana Carolina Vieira finalizou Raquel Canuto com um Ezequiel
    Peso-meio-pesado: Cláudia Do Val finalizou Monique Elias com uma mão de vaca
    Peso-pesado: Nathiely Jesus venceu Maria Malyjasiak por 2 a 0 nos pontos
    Peso-superpesado: Tayane Porfirio finalizou Venla Orvokki com uma americana
    Absoluto: Tayane Porfírio derrotou Nathiely Jesus por 12 a 0 nos pontos

    2 COMENTÁRIOS

    1. Cara, a atitude do Buchecha foi digna de um verdadeiro campeão, o cara se preparou o ano inteiro para lutar o absoluto, ia levar sem lutar a final, mas daí o cara se sensibiliza com a contusão do amigo/adversário e abre passagem.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome