Campeão mundial, Bahiense dá medalha ao antigo mestre: ‘De coração’; assista

    Isaque Bahiense conquistou o seu primeiro Mundial lutando na faixa-preta (Foto IBJJF)

    Por Mateus Machado

    A 23ª edição do Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF, encerrada no último domingo (3), em Long Beach, nos Estados Unidos, ficará marcada na carreira de Isaque Bahiense. O jovem atleta da Alliance, que vem embalado por conquistas e grandes vitórias, faturou seu primeiro Mundial na faixa-preta ao derrotar o norueguês Tommy Langaker por 2 a 0 nos pontos, sacramentando o ouro no peso-médio. Em sua chave, o casca-grossa já havia vencido Diego Ramalho, Pedro Henrique, Cláudio Calasans e Jaime Canuto antes da final.

    Todavia, não foram “apenas” as grandes atuações de Bahiense no Mundial que chamaram a atenção do público. Logo após conquistar seu primeiro título mundial na faixa-preta, Isaque partiu em direção à arquibancada, mais precisamente para encontrar seu antigo mestre, Fábio Andrade, faixa-preta da Nova União e líder do projeto “Família Bangu Jiu-Jitsu”. O hoje lutador da Alliance, então, deu um forte abraço em Fábio e, emocionado, entregou sua medalha ao professor. Em entrevista à TATAME, o carioca falou sobre a sua relação com Fábio Andrade e o que “motivou” sua saída do projeto em Bangu na época.

    “Eu comecei a treinar com o Fábio Andrade aos 11 anos, em Bangu, no Rio de Janeiro, lá na Nova União. Quando eu fiz 18 anos, recebi a oportunidade de poder me mudar para São Paulo e fazer parte da equipe Alliance. Na época, tomei essa decisão, fui para São Paulo e, infelizmente, a nossa relação mudou depois daquilo. A gente ficou anos sem se falar e, daí, quando peguei a medalha (após conquistar o Mundial no peso-médio), eu entreguei para ele, agradeci por tudo, e foi o vídeo que muitos viram. Foi um momento muito legal”, disse Bahiense, que ainda revelou que tal ação já estava sendo planejada antes mesmo da final.

    “Na realidade, antes de eu fazer a final, eu já tinha isso na minha cabeça, de que se eu ganhasse, ia dar a medalha para ele (Fábio). Ele sempre sonhou com esse momento, de ter um aluno campeão mundial na faixa-preta, esse sempre foi o nosso maior sonho, enquanto estávamos juntos. Então, nada mais justo que poder presentear ele com a medalha e foi algo do momento, que eu tinha que ter feito, foi o que meu coração mandou fazer. A gente tomou rumos diferentes… Mesmo com esse tempo que a gente não se fala, eu acompanho todos eles (do projeto), torço muito por eles e vida que segue. Acho que o que fica agora é meu carinho e gratidão por eles, por tudo o que passamos”, concluiu.

    Veja o momento em que Bahiense encontra Fábio (vídeo enviado por Denis Silva):

     

    14 COMENTÁRIOS

    1. Belo reconhecimento ao professor, mas eu agradeceria e devolveria, o mundial antes de tudo é uma conquista do atleta pra sua carreira e a medalha simboliza isso.

      • Se nao fosse esse professor ele não estaria aí hj! Quem conhece um pouco da história dos dois sabe como Fábio ajudou esse atletas. Se vc soubesse teria uma opinião diferente.

    2. medalha merecida pro mestre uma medalha olimpica de ouro foi gracas ao mestre que o rapaz esta ali no lugar dele no podium

    3. André, já que aqui é o lugar de escrever merda e achar que o que falamos é o certo, assim como eu você não sabe nada da história dos caras então cala a sua boca, se fosse você devolveria, tudo bem, mas você nunca fará e nem será Campeão Mundial, então não se envolve no que não sabe.
      Parabéns ao aluno e professor.

    4. Momento lindo, isso vai estimular a molecada do projeto ainda mais, e certamente é só a primeira de muitas medalhas. Esse ai entendeu o real espirito do Jiu-Jitsu

    5. Para você que chamou o muleke de creonte . voce sabe pq ele saiu? e outra saiu para um lugar melhor para ser campeão mundial .

    6. Se nao fosse esse professor ele não estaria aí hj! Quem conhece um pouco da história dos dois sabe como Fábio ajudou esse atletas. Se vc soubesse teria uma opinião diferente.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome