Coluna da Arte Suave: saiba ver o Jiu-Jitsu de mente aberta e aproveite as oportunidades que ele oferece

    Em seu novo artigo, Luiz Dias alerta para o atleta sempre ver o Jiu-Jitsu de mente aberta (Foto reprodução)

    Por Luiz Dias

    Em Lisboa, Portugal, tive a oportunidade de dar um treino em uma academia de Caratê onde tinham lutadores de Jiu-Jitsu também, e esses treinos sempre são bons, pois é onde você mostra posições e percebe em todos a vontade de aprender, ganhar mais técnica e, consequentemente, aumentar seu acervo de finalizações com novas características.

    Eu também gosto de ver e aprender quando meus amigos de treino mostram como ajustam a posição, porque às vezes uma pegada diferente que me mostram, uma leve diferença, pode ser o caminho para melhorar e potencializar determinada a finalização. É importante ter a mente aberta para ver, escutar e entender. Estudar todo tipo de posições.

    Percebo que, muitas vezes, existem lutadores que não dão atenção quando lutadores menos graduados mostram posições. Acredito eu que podem perder uma boa chance de aprender algo bom, e o principal, na hora do treino, tentar aplicar as posições. Perceber se funciona como imagina, ajustar a força, adaptá-la ao seu corpo e sua flexibilidade.

    O atleta, sendo competidor ou não, deve ter a noção de treinar movimentos, arriscar posições novas e até a chance de melhorar seus pontos mais fracos. Neste momento, a “finalização” em um amigo de treino passa para o segundo plano. Melhorar suas defesas, e creia, deixa o treino altamente produtivo no seu desenvolvimento técnico. Para o atleta ainda com menos técnica, é um excelente treino para o desenvolvimento de habilidades, testar e ajustar seus golpes e, principalmente, ganhar experiência com treinos mais duros. Mas vale a pena lembrar, principalmente ao atleta iniciante, que ele não pode deixar de ter em mente e estar consciente quando treinar com alguém mais graduado, para reconhecer a superioridade do seu adversário e ao mesmo tempo “perceber a oportunidade” que esse atleta está lhe dando ao lutar mais solto, ao invés de achar que já está no mesmo nível.

    Então o importante é treinar solto, rápido, arriscando posições nesses treinos, sem ficar amarrando a luta. Todo treino é uma chance de aprimoramento das nossas habilidades e refinamento da técnica. Em certos treinos, como disse anteriormente, o foco não precisa ser a finalização, mas sim o estudo, a percepção de como o golpe se encaixa no seu jogo.

    Quando vejo, em treinos, lutadores que não se interessam em prestar atenção em posições demonstradas por amigos e até por visitas, creio que perde por vezes oportunidades de aprender e ganhar novas técnicas. A mente tem de estar aberta para evolução. Se não estiver de mente aberta, não vejo como evoluir. Com essa percepção de treino em mente, todos os lutadores, em qualquer nível, sendo competidores ou não, terão um desenvolvimento técnico e todos os treinos podem ter bons resultados. Por isso, meus amigos, em todos os treinos, seminários, competições ou treinos livres, treinem e observem de mente aberta. O aprendizado é constante, e pode acontecer a qualquer hora.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome