Quieto e eficiente, Elizeu Capoeira exalta trabalho no cage e critica trash talk; veja

    Capoeira vai na contramão da maioria e adota um estilo quieto, mas eficiente no octógono (Foto Getty Images / UFC)

    Por Mateus Machado e Yago Rédua

    Com um lindo chute rodado que abriu o caminho para a sua vitória, Elizeu Capoeira foi um dos destaques do UFC 224, realizado no último dia 12 de maio, no Rio de Janeiro. O lutador da equipe CM System venceu Sean Strickland ainda no primeiro round, por nocaute, e chegou a incrível marca de cinco vitórias consecutivas pela organização.

    Após o duelo, em conversa com jornalistas na Jeunesse Arena, o lutador falou sobre o seu excelente momento na divisão dos meio-médios. Porém, apesar da boa fase, Capoeira ainda não faz parte do ranking da categoria. Dono de um estilo quieto, o brasileiro evitou ligar o fato à sua ausência no Top 15, criticando ainda quem adota um estilo “trash talk” para crescer na organização, caso de Conor McGregor, atual campeão peso-leve do UFC.

    “Com certeza (atitudes assim, como o ataque do Conor, mancham o MMA). O cara ganhou muito dinheiro com isso? Parabéns, ganhou muito dinheiro, mas não precisa ser tão otário, tão ignorante de falar asneira e piorar as coisas. Isso aí só difama mais o esporte. Fica difícil de você chegar na casa de uma família e explicar que o que você faz é um esporte sendo que tem um retardado desses que fica falando um monte de porcaria. E tem mais por aí… Tem uns lutadores que deveriam lavar a boca para falar de uma nação. O Brasil, um país tão sofrido, com pessoas maravilhosas, que trabalham, levantam cedo para sustentar suas famílias, e vem uns babacas falar me***. Isso ninguém vê. Só enxergam a bandidagem, a política, a parte ruim. Então tem que pensar muito no que se fala”, disse.

    Confira a entrevista com Elizeu Capoeira na íntegra:

    – Lesão antes do seu penúltimo combate

    Eu não gosto de falar muito do que aconteceu, mas tive uma fratura exposta no dedo uma semana e meia antes da luta com o Max Griffin, então eu estava literalmente sem as minhas pernas. Então foi bem complicado, um tempo curto pra mim (de recuperação), mas acabou correndo tudo bem e consegui sair com a vitória. O Max é um cara sensacional, já mostrou que está entre os melhores, então foi uma grande luta apesar de tudo.

    – Evolução e sentimento de melhorar mais

    Estou em uma crescente e tento melhorar a cada dia mais. Melhorar a minha parte em pé, meu Wrestling, minha parte de chão, tudo… Eu fiz agora um treinamento mais específico de Caratê com o Rafael Carvalho, que é também integrante da CM System junto com o Zulu, o Felipe Silva (atleta do UFC)… Todos eles somam para eu melhorar meu desempenho em tudo, então preciso estar sempre crescendo, em ascensão.

    – Volta ao octógono e falta de reconhecimento

    Eu quero fazer mais duas lutas neste ano, e se for para eu fazer mais essas lutas, que Deus me abençoe para que eu sair vitorioso. Sinceramente eu não sei (sobre a falta de reconhecimento). Meu trabalho eu estou fazendo e sei disso, o resto não tenho como falar.

    – Pouca visibilidade por estilo mais quieto

    Não me incomoda, não. Eu comecei na luta aos 9 anos de idade, então levo a disciplina do esporte a sério. Faço isso porque eu gosto. Lógico que hoje tem uma necessidade financeira, a luta me ajuda, mas eu sou um cara que tento superar a mim mesmo. Se brigar, falar e xingar a família do cara (adversário) é vender, aí depende de cada um, mas acho que a essência da arte marcial acaba se perdendo com isso. Porém, cada um tem o seu pensamento, eu tenho o meu, e vou mostrar o meu trabalho saindo na porrada.

    – Ataque do McGregor e provocações no MMA

    Com certeza (atitudes assim, como o ataque do Conor, mancham o MMA). O cara ganhou muito dinheiro com isso? Parabéns, ganhou muito dinheiro, mas não precisa ser tão otário, tão ignorante de falar asneira e piorar as coisas. Isso aí só difama mais o esporte. Fica difícil de você chegar na casa de uma família e explicar que o que você faz é um esporte sendo que tem um retardado desses que fica falando um monte de porcaria. E tem mais por aí… Tem uns lutadores que deveriam lavar a boca para falar de uma nação. O Brasil, um país tão sofrido, com pessoas maravilhosas, que trabalham, levantam cedo para sustentar suas famílias, e vem uns babacas falar me***. Isso ninguém vê. Só enxergam a bandidagem, a política, a parte ruim. Então tem que pensar muito no que se fala.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome