De olho no Mundial Master, Bruno Bastos entra em ação no American Nationals: ‘Será um teste’

    Com planos de vencer o Mundial Master, Bruno Bastos vai competir no American Nationals (Foto Vinicius Agudo)

    Para quem nasceu para lutar, sexta-feira não é dia de descansar. Neste dia 29 de junho, os lutadores que estão pelos Estados Unidos vão tirar o dia para testar suas habilidades no American Nationals da IBJJF, em Las Vegas. É o caso do faixa-preta Bruno Bastos, lider da Lead BJJ, em Midland, Texas. O assíduo competidor briga pelo ouro na divisão pesadíssimo, ao lado de Thiago Marques (Gracie Humaitá) e Josh Souder (Marcio Cruz).

    Após ajustar a alimentação e os treinos com seu preparador físico, Bruno já sente diferença da nova rotina como, por exemplo, em sua velocidade e força na hora de aplicar o jogo.

    “Tenho me dedicado mais na parte mental, física, alimentação, suplementação, Judô e em treinar Jiu-Jitsu melhor. Tenho uma equipe excelente para me ajudar a atingir meu potencial máximo em agosto, no Mundial Master da IBJJF, e são eles: Gustavo Dantas (mental coach), Paulo Caruso (preparação física); Giulliano Gallupi (alimentação), Ludmila Fiori (suplementação); Ítallo Vilardo (periodização de tatame) e minha esposa Petya (Judô)”, detalhou Bruno, que logo em seguida revelou seu objetivo no American Nationals.

    “Quero testar coisas que venho trabalhando e ver como o corpo vai reagir ao treino que tenho feito. Será somente um teste para agosto, onde quero vencer o Mundial Master”.

    Bruno ainda dedica parte do seu tempo na formação de novos atletas e o gerenciamento de sua academia, no Texas. Seus alunos nas faixas-amarela e azul estão tendo ótimos resultados nos grandes campeonatos da IBJJF como, por exemplo, no Pan e Mundial. A seguir, Bruno comentou o crescimento dos seus alunos e potência de sua academia.

    “Minha aluna faixa-azul Emily Fernandez não é a mais talentosa, mas ninguém treina e se dedica tanto quanto ela. Ela faz tudo que eu e a Petya requisitamos. Esperávamos um bom resultado no Mundial 2018 e aconteceu. Desde o primeiro Pan Kids dela, em 2014, ela não ganhou somente uma vez. Ela foi ao Brasil e ganhou o Brasileiro da CBJJ também. Nenhuma outra criança americana, tirando meu aluno Antonio Solis, que foi no ano passado também, ganhou o Brasileiro. Ela tem vitórias sobre outras meninas que estão entre as melhores do mundo. O título absoluto do Mundial 2018 escapou dessa vez, ela foi medalhista de bronze, mas ela já está falando sobre tentar duplo ouro ano que vem. No geral, tenho uma base muito boa. Em número de atletas, não tenho como competir com as equipes que estão na Califórnia ou maiores, mas em qualidade afirmo, sem arrogância, que tenho um dos melhores programas da América e do Mundo. Os resultados provam isso”.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome