Animado após vitória no Rio, Markus Maluko pede luta o mais rápido possível: ‘Quero que o UFC me use’

Publicidade

Por Mateus Machado e Yago Rédua

Disposto a provar o seu valor, Markus Maluko – pupilo de Demian Maia na Academia Vila da Luta, em São Paulo – deu show em sua segunda apresentação pelo Ultimate, em maio deste ano, quando realizou o duelo que abriu o UFC 224, no Rio de Janeiro. Contra James Bochnovic, o brasileiro precisou de apenas um round para encaixar o mata-leão.

Com a finalização, Maluko se recuperou da estreia com derrota, no UFC Belém, e agora almeja voos maiores na divisão dos médios: são dez vitórias e apenas um revés no cartel.

“Essa foi uma luta onde eu tive o preparo que sempre faço, treinei com a minha equipe de sempre, e aconteceu isso ai, a finalização. Quem conhece o Jiu-Jitsu lá na Vila da Luta sabe que é todo voltado para o jogo do Demian Maia, e quem conhece Jiu-Jitsu sabe que o jogo dele (Demian) é de costas, então foi tudo resultado do treino”, contou o lutador em entrevista coletiva após o evento, onde pediu para voltar “o mais rápido possível” ao cage.

“Cara, eu não tenho esse negócio de desafio (com outros lutadores). Eu quero é lutar, voltar e lutar o mais rápido possível. Fazer bastante luta e que o evento me use. Sempre me apoiaram e espero que continue desse jeito. Se puder luto todo mês, estou aí (risos).

Maluko não tomou conhecimento do rival e pegou as costas para finalizar no primeiro round (Foto Getty Images / UFC)

Dos games para a luta

Fã de jogos de videogame, Markus Maluko ainda revelou um golpe inspirado no jogo de luta Tekken – um dos primeiros do segmento. Ele não saiu no Rio, mas deve vir por aí.

“A gente treinou muito um golpe especial inspirado no jogo Tekken. Adaptei ele para o MMA, mas me surpreendeu a vontade que o Sultan veio para me botar pra baixo logo assim que a luta começou. O meu jogo é de surpresa, então acho que ele ficou com receio disso. Seria uma sequência terminando com um chute rodado na cabeça, bem legal”, explicou Maluko, antes de justificar a sua escolha por um golpe do videogame para o MMA.

“É por isso que o pessoal me chama de maluco (risos). É engraçado, mas são coisas que funcionam. Por exemplo, na academia você está acostumado a defender o jab direto, qualquer um vai saber fazer o bloqueio. Agora e uma cotovelada rodada, o que você faz? Como é um golpe pouco ortodoxo, você não tem uma defesa pronta, então surpreende”.

Publicidade

Notícias relacionadas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor, poste seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui

Publicidade