Capitão e Bodão se destacam na primeira edição da PFL, evento que promete ‘revolucionar’ o MMA

Publicado em 08/06/2018 por: Mateus Machado
Capitão e Bodão se destacam na primeira edição da PFL, evento que promete ‘revolucionar’ o MMA Brasileiro Alexandre Capitão estreou com vitória e na ponta da divisão dos penas (Foto PFL)

publicidade

Na última quinta-feira (7), em Nova York (EUA), foi dado o pontapé inicial para a temporada regular de 2018 da Professional Fighters League, a PFL, que teve sua criação após a extinção do antigo evento WSOF e possui como principal “arma” o formato de liga no MMA, premiando os vencedores dos GPs por categoria com US$ 1 milhão cada. Em sua primeira edição, a organização realizou confrontos apenas nas divisões peso-pena e peso-pesado, já contando pontos para a temporada regular, e na luta principal, o ex-campeão dos penas do WSOF, Andre Harrison, venceu Jumabieke Tuerxun na decisão unânime.

Além disso, quatro brasileiros estiveram em ação no card, que contou com 11 confrontos. Francimar Bodão e Alexandre Capitão tiveram atuações de destaque e venceram seus oponentes ainda no primeiro round, somando seis pontos logo na rodada inicial. Já Caio Alencar e Marcos Loro Galvão, ex-campeão do Bellator, estrearam com derrota, com o último sendo superado pelo argentino Nazareno Malegarie na unanimidade dos jurados.

Entenda as regras do novo evento

Com mais dez eventos marcados até o último dia de dezembro deste ano, a PFL promete um formato que agrade atletas e fãs de MMA. O ganhador de cada GP receberá 1 milhão de dólares, enquanto o vice ficará com 200 mil. Em relação à fórmula do torneio em si, cada lutador entrará em ação duas vezes, em datas diferentes, para poder pontuar. Cada vitória dará três pontos ao atleta. Caso haja o empate, um ponto será destinado a cada lutador.

Para incentivar que seus atletas possam definir a luta o mais rápido possível, a organização também criou pontuações que favorecem o atleta que provoque a interrupção do árbitro. Se o lutador sair vitorioso no primeiro round, receberá mais três pontos; se o triunfo vier no segundo assalto, mais dois pontos, enquanto no terceiro round, mais um ponto. Desta forma, o lutador pode somar até seis pontos em uma luta, caso saia com o triunfo no primeiro assalto, podendo conseguir 12 na tabela caso vença as duas lutas iniciais.

Com as pontuações definidas, ao final das duas rodadas, os oito lutadores com maior pontuação entre os 12 de cada divisão de peso avançam, formando, assim, as quartas de final. Desta maneira, quatro de cada categoria, logo no início, já serão eliminados. De acordo com a PFL, os critérios de desempate, respectivamente, são: confronto direto, número de vitórias e derrotas, número de interrupções, menor tempo no cage vencendo a luta, maior tempo no cage perdendo o combate e a pontuação dos árbitros laterais. Como não haverá sorteio para as quartas de final, o casamento dos confrontos segue o seguinte padrão: primeiro contra o oitavo, segundo contra o sétimo, terceiro contra o sexto, quarto contra o quinto, nono contra o décimo (luta reserva entre atletas eliminados).

Outros destaques da primeira edição

Fazendo a luta principal, o americano Andre Harrison teve uma atuação segura e dominou as ações em confronto diante do chinês Jumabieke Tuerxun. O confronto foi para a decisão dos árbitros, que deram a vitória por unanimidade para Harrison. Com o triunfo, ele somou seus primeiros três pontos na divisão peso-pena. Ainda no card principal, outro destaque foi para o ex-UFC Alex Nicholson, que definiu seu confronto com uma bela joelhada voadora em Jake Heun no segundo assalto, somando cinco pontos na divisão dos pesados.

Ainda no peso-pesado, quem também aplicou um grande nocaute foi Kelvin Tiller, que superou o brasileiro Caio Alencar ainda no primeiro round, após conectar um potente golpe de encontro, e somou seis pontos na primeira rodada – além da terceira vitória seguida.

Já no card preliminar, o combate entre Steven Siler e Madomed Idrisov ficou marcado por uma grande reviravolta. Tudo parecida “perdido” para Siler, que recebeu um knockdown na metade do primeiro round e sentiu bastante o golpe. No entanto, em uma virada, até então, inacreditável, o lutador conseguiu encaixar um justo triângulo, finalizando Idrisov no primeiro assalto e contabilizando seis pontos na concorrida categoria dos pesos-penas. 

RESULTADOS COMPLETOS:

PFL 2018 #1
Nova York, nos Estados Unidos
Quinta-feira, 7 de junho de 2018

Card principal
Andre Harrison derrotou Jumabieke Tuerxun por decisão unânime dos jurados
Lance Palmer finalizou Bekbulat Magomedov com um mata-leão no 2R
Timur Valiev derrotou Max Coga por decisão unânime dos jurados
Alex Nicholson derrotou Jake Heun por nocaute no 2R

Card preliminar
Jack May derrotou Josh Copeland por nocaute técnico no 1R
Jared Rosholt derrotou Valdrin Istrefi por decisão unânime dos jurados
Nazareno Malegarie derrotou Marcos Loro por decisão unânime dos jurados
Kelvin Tiller derrotou Caio Alencar por nocaute no 1R
Steven Siler finalizou Magomed Idrisov com um triângulo no 1R
Alexandre Capitão finalizou Lee Coville com um chave de braço no 1R
Francimar Bodão derrotou Daniel Gallemore por nocaute técnico no 1R

– Classificação da categoria peso-pena

1º Alexandre Capitão – 6 pts
2º Steven Siler – 6 pts
3º Lance Palmer – 5 pts
4º Andre Harrison – 3 pts
5º Timur Valiev – 3 pts
6º Nazareno Malegarie – 3 pts
7º Marcos Loro Galvão – 0 pts
8º Max Coga – 0 pts
9º Jumabieke Tuerxun – 0 pts
10º Bekbulat Magomedov – 0 pts
11º Magomed Idrisov – 0 pts
12º Lee Coville – 0 pts

– Classificação da categoria peso-pesado

1º Kelvin Tiller – 6 pts
2º Francimar Bodão – 6 pts
3º Jack May – 6 pts
4º Alex Nicholson – 5 pts
5º Jared Rosholt – 3 pts
6º Aldrin Istrefi – 0 pts
7º Jake Heun – 0 pts
8º Josh Copeland – 0 pts
9º Daniel Gallemore – 0 pts
10º Caio Alencar – 0 pts

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade