Faixa-preta chileno fala sobre crescimento do Jiu-Jitsu no país e destaca: ‘Cada vez mais popular’

Publicado em 19/06/2018 por: Mateus Machado
Faixa-preta chileno fala sobre crescimento do Jiu-Jitsu no país e destaca: ‘Cada vez mais popular’ Victor (à dir) foi o grande percussor do Jiu-Jitsu no Chile e responsável pelo crescimento no país (Foto divulgação)

publicidade

Em constante crescimento, o Jiu-Jitsu já é um esporte consolidado no Brasil e nos Estados Unidos, com diversos praticantes e campeões destes países na modalidade. Porém, nos últimos anos, outras nações vêm investindo na arte suave e, com trabalho e objetivos a longo prazo, a tendência é que o esporte também ganhe cada vez mais força internacional.

É o caso do Chile. O país da América do Sul já conta com um bom trabalho relacionado ao Jiu-Jitsu, com o desenvolvimento de academias e realização de eventos da arte suave. Pode-se dizer que um dos grandes responsáveis por esse crescimento é Victor Vásquez, dono de três academias no país e faixa-preta de Jiu-Jitsu. Em entrevista à TATAME, o também organizador do Jiu-Jitsu Experience Chile, realizado pela Prime Esportes, no último mês de maio, falou de sua história na modalidade e o crescimento do esporte no Chile.

“Eu estou muito feliz, porque hoje vejo muitas equipes diferentes, e elas estão crescendo. Vejo muitos faixas-preta, roxas, e faixas-branca que estão muito animados. Eu sei que comecei isso, está no meu interior, ninguém precisa me dar o reconhecimento por isso. Hoje o Jiu-Jitsu é muito popular aqui no Chile, hoje vejo situações aqui que anos atrás eu via no Brasil. É muito gratificante. Nunca pensei que trazer o Jiu-Jitsu para o Chile, quando ainda era faixa-roxa, causaria o efeito que causa hoje. É muito bom ver isso”, garantiu.

Confira a entrevista completa com Victor Vásquez: 

– Primeiro contato e trajetória no Jiu-Jitsu

Sou praticante e faixa-preta de Jiu-Jitsu há 12 anos e comecei nas artes marciais muito novo. Aos poucos, comecei a treinar Caratê também e consegui desenvolver muitas coisas. Logo depois, na década de 90, competi em um torneio de Vale Tudo em São Paulo e, depois disso, um amigo me aconselhou a fazer Jiu-Jitsu. De início, não era o que queria, mas me falavam que seria importante para minha formação como atleta. Disputei mais alguns campeonatos de Vale Tudo no Brasil, voltei ao Chile, mas percebi que as coisas ainda estavam bem amadoras por aqui, então eu viajava constantemente ao Brasil para evoluir meu Jiu-Jitsu e também no Vale Tudo. Com o tempo, me encantei com o Jiu-Jitsu, me envolvi e passei a divulgar mais o esporte no Chile, porque senti a necessidade de estabelecer mais o esporte no país e formei a Federação de Jiu-Jitsu em 2004. Me afastei por alguns problemas pessoais em 2014/2015, mas mesmo assim, montei três academias e sinto que deu tudo certo. Temos muitos alunos e vejo que o esporte evoluiu bastante.

– Dificuldades no período que esteve no Brasil

Quando fui lutar Vale Tudo no Brasil, me aconselharam a começar o Jiu-Jitsu e eu fiz isso, mas eu precisava voltar para o Chile algumas vezes, e com isso, para não perder o aprendizado e divulgar o Jiu-Jitsu no Chile, eu pegava uma caneta e escrevia tudo o que aprendia, para não correr o risco de esquecer. Eu ainda tenho uns cadernos com essas técnicas escritas lá, e vendo hoje, eu não entendo nada (risos), mas era dessa forma que eu procurava mostrar a técnica que aprendi no Brasil para meus amigos chilenos. Eu vinha para o Brasil, absorvia tudo e quando ia para o Chile, mostrava para meus alunos de Caratê, que ficavam encantados. Tudo isso aconteceu entre 1996 e 2012, e em todo esse tempo, fui ao Brasil mais de 70 vezes, entre Rio de Janeiro, São Paulo, campeonatos, treinamentos… No começo foi muito difícil, porque era tudo muito caro para mim, então eu dormia na academia, sempre usava roupas sujas, mas foi uma experiência, apesar de difícil, muito gratificante. Hoje eu vivo do Jiu-Jitsu, das artes marciais, e vejo que tudo o que passei naquela época, hoje compreendo que a recompensa é tudo que estou vivendo.

– Representatividade do Jiu-Jitsu para você

É a minha vida. Eu machuquei diversas partes do meu corpo, então, em alguns períodos, pensei em parar com o Jiu-Jitsu, como praticante e atleta, mas segui firme e é tudo o que eu tenho hoje, até mesmo na minha vida pessoal. Serei eternamente grato ao esporte.

– Maior evolução do Jiu-Jitsu dentro do Chile

Eu estou muito feliz, porque hoje vejo muitas equipes diferentes, e elas estão crescendo. Vejo muitos faixas-preta, roxas, e faixas-branca que estão muito animados. Eu sei que comecei isso, está no meu interior, ninguém precisa me dar o reconhecimento por isso. Hoje o Jiu-Jitsu é muito popular aqui no Chile, hoje vejo situações aqui que anos atrás eu via no Brasil. É muito gratificante. Nunca pensei que trazer o Jiu-Jitsu para o Chile, quando ainda era faixa-roxa, causaria o efeito que causa hoje. É muito bom ver esse crescimento.

– Segredos para o crescimento do Jiu-Jitsu

Eu acredito que tudo está dando muito certo agora, porque temos muitos professores brasileiros e, atualmente, também chilenos aqui. Fiz muitas viagens para o Brasil, Estados Unidos e Canadá e percebi que precisava fazer o diferencial para alavancar o Jiu-Jitsu no Chile. Trabalhei muito nisso e comecei a negociar com franquias importantes para fazer eventos aqui, como é o caso da Prime Esportes, além de outras. Estamos trabalhando cada vez mais para fortalecer o Jiu-Jitsu e unificar as equipes, visando essa maior evolução.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade