Presidente de Federação cita evolução dos esportes de luta no Chile: ‘Teremos campeões daqui’

Publicado em 23/06/2018 por: Mateus Machado
Presidente de Federação cita evolução dos esportes de luta no Chile: ‘Teremos campeões daqui’ Presidente da Federação de artes marciais do Chile, Dimaro falou sobre os esportes de luta no país (Foto: Divulgação)

publicidade

O Chile segue a passos largos em seu processo de desenvolvimento dos esportes de combate, principalmente com o Jiu-Jitsu e também o MMA. Em maio, a comunidade da arte suave foi bem representada com a realização do Prime Jiu-Jitsu Experience, organizado pela Prime Esportes, que reuniu diversos atletas chilenos em ação nas disputas por categoria em todas as faixas. No mesmo mês, também foi realizado o UFC Fight Night 129, que contou com a presença do brasileiro Demian Maia na luta principal diante do nigeriano Kamaru Usman.

Tais eventos fortaleceram ainda mais a inclusão dos esportes de luta no país. Desta forma, a TATAME foi ao Chile e, além de conhecer inúmeras academias, também conversou com representantes chilenos que, ao longo dos últimos anos, foram essenciais para a evolução da arte suave e do MMA no país da América do Sul, como é o caso de Alberto Dimaro, presidente da Federação de MMA e de artes marciais do Chile.

“A marca da Prime Esportes é muito importante para o Jiu-Jitsu e é um evento de enorme importância para o mundo da arte suave nos dias atuais. A ideia é trabalhar e aprender com os melhores. Também tivemos o UFC aqui e foi muito importante para o Chile. Todas essas marcas nos abrem uma porta e são essenciais para que o Chile seja conhecido na América do Sul e em todo o mundo também com os esportes de luta, e também para que os chilenos se interessem por essas modalidades”, disse o chileno.

Confira a entrevista completa com Alberto Dimaro: 

– Relação com os esportes de combate e criação de ‘negócios’ no mundo da luta

Atualmente eu sou o presidente da Federação de MMA e de artes marciais do Chile e sempre fui fanático pelas artes marciais. Pratiquei Kung Fu, Kickboxing, entre outros esportes. Venci alguns torneios, mas sempre vimos uma situação bem precária, porque os esportes mais praticados no Chile são o futebol e o tênis, então eu passei a ver algumas formas de chegar a empresários para poder mudar essa situação. Os anos se passaram, eu criei alguns negócios envolvendo o esporte e, claro, os esportes de combate estiveram envolvidos nisso. Focamos em estabilizar o MMA e o Jiu-Jitsu no país, mas focando também na profissionalização dos atletas. É importante que todos saibam falar bem, se posicionar, que cuidem da saúde e que a integridade seja sempre um dos aspectos principais, para tornar o esporte seguro. Para fazermos um bom trabalho, temos que estar juntos dos melhores, esse é o nosso lema.

– Criação de produtora de artes marciais para desenvolvimento de eventos

Ao longo do tempo, procurei me aproximar de boas pessoas e uma delas foi o Victor Vásquez (faixa-preta de Jiu-Jitsu e dono de três academias no Chile). Criamos uma produtora de artes marciais aqui no país relacionada aos eventos, algo nosso, bem profissional e que visa desenvolver o Jiu-Jitsu e o MMA aqui. Além disso, estamos também potencializando um trabalho social que visa encontrar novos talentos para o esporte. Estamos bem animados com a produtora, com a federação e muito confiantes com o crescimento dos esportes de luta no Chile.

– A importância da Prime Esportes e do UFC realizarem eventos no Chile

Temos a sorte, como produtora e como federação, de estarmos acompanhando e também aprendendo com essas grandes organizações e eventos. A marca da Prime Esportes é muito importante para o Jiu-Jitsu e é um evento de enorme importância para o mundo da arte suave nos dias atuais. A ideia é trabalhar e aprender com os melhores. Também tivemos o UFC aqui e foi muito importante para o Chile. Todas essas marcas nos abrem uma porta e são essenciais para que o Chile seja conhecido na América do Sul e em todo o mundo também com os esportes de luta, e também para que os chilenos se interessem por essas modalidades. Esses torneios mudam a mentalidade do torcedor e dos atletas, fazendo com que todos se aproximem do Jiu-Jitsu e também do MMA. Vamos reforçar ainda mais toda essa relação com o público chileno. É importante também para que os atletas daqui se motivem a praticar os esportes de luta e façam com que o país se desenvolva nesse sentido.

– Como espera ver o Jiu-Jitsu e MMA no Chile daqui a cinco anos?

Com a Federação, eu acredito que tivemos um bom começo no desenvolvimento dos esportes de luta no Chile. Daqui a cinco anos, a esperança é ter um trabalho social cada vez mais desenvolvido com os atletas. Queremos ter campeões chilenos nos principais eventos de luta, seja no UFC, pela Prime Esportes ou em outros, e também queremos dar uma boa projeção a eles. Também queremos muito trabalhar no aspecto social com as crianças, afinal, são o nosso futuro.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade