Coluna da Arte Suave: o Jiu-Jitsu como a arte da ‘resiliência’ para o atleta; confira o artigo e opine

    Em seu novo artigo, Luiz Dias destaca o Jiu-Jitsu como a arte da resiliência (Foto divulgação)

    Por Luiz Dias

    Todos nós temos dias difíceis, dias duros. Por motivos pessoais, não veio a graduação desejada ou por perder a luta no campeonato, depois de tanta preparação, regime para bater o peso, etc. Às vezes, tudo parece ser um forte motivo para desanimar, deixar de treinar, tudo parece ser uma justificativa para não tocarmos no quimono. Às vezes, pegar o quimono pode ser difícil, ir treinar sem motivação, e você sabe que os outros estarão motivados, cheios de energia, e logo hoje, a vontade de ficar quieto é maior. Eu sinto isso.

    Posso escrever muito bem sobre esse assunto, mas afirmar também que ficar em casa é pior. Encare a “tormenta”, vá treinar. Respire fundo e fale para si mesmo, “vou treinar, fazer o meu melhor”. Temos que ter o “Jiu-Jitsu mental” também sempre pronto. Treine sem pensar em mais nada. Tente fazer esse exercício. Nada mais fora do tatame existe. Nada mais. Então, faça todos os treinos que puder, sem pensar, ataque ou se defenda, amarre a luta se desejar, mas treine. Não deixe nada te afastar de treinar, porque o treino e o Jiu-Jitsu vão te ajudar a sair da tristeza, seja ela de qualquer motivação, treine.

    Cuide do corpo e da mente. Ao fim do treino, verá que a energia volta, a endorfina ajuda. Talvez, descubra um novo caminho, uma nova estratégia para o seu problema, e se por um motivo que seja imutável, a endorfina vai te ajudar a suportar essa pressão. Já passei por esses sentimentos, uma luta até para pegar o quimono e ir dar aula, ou treinar com amigos em suas academias. Mas vá! Se perceber algum amigo desanimado, o chame, convoque ele para o treino. Jiu-Jitsu é família, é amizade, um cuidando do outro, no tatame ou não.

    Não desista de você, não pare de treinar por qualquer motivo. Acredite, só irá piorar. Pegue o quimono, respire fundo. Repita para você mesmo: vou treinar! Treine sem pensar se será finalizado ou não, mas treine, treine muito, até ficar exausto. A mente agradece e o corpo também. Treinar feliz é bem melhor, é claro, mas se treinar triste é uma tormenta, então se torne a tormenta. Treine, treine muito sempre. Projete sua mente na hora da luta.

    É melhor estar treinando do que parado em casa, ou num bar, nada melhor que a endorfina dos treinos. Supere a si mesmo. Vença seus medos e treine. Se torne a própria tormenta, faça seus medos terem medo de você. Algumas frases eu repito sempre, e repito para mim mesmo. Creio que uma das inúmeras qualidades que o Jiu-Jitsu nos dá é suportar a pressão. Reagir sobre a pressão. Então nunca desista. Hoje foi um dia ruim? Pegue o quimono e vá treinar. A mente e o corpo irão te agradecer. Ao fim do treino, verá a mudança na mente e no corpo. Só o Jiu-Jitsu salva, então se agarre a ele.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome