Lucas Pinheiro empresta quimono para adversário, finaliza e conquista décimo ouro em seis meses

    Lucas Pinheiro participou de uma situação inusitada na disputa do American National da IBJJF (Foto Gabrielly Kosinski)

    Lucas Pinheiro está vivendo uma temporada dourada, literalmente. Em apenas seis meses, o faixa-preta da Atos já ganhou dez medalhas de ouro. As duas últimas foram conquistadas no final de semana passado, quando ele faturou o ouro duplo no American National de Jiu-Jitsu ao vencer a sua categoria nas disputas com e sem quimono.

    “Esse foi meu segundo título no American National, tanto de quimono quanto sem. Mas fiquei muito feliz mesmo por já ter chegado a dez medalhas de ouro em seis meses. Ano passado eu alcancei esse número de medalhas em um ano, e agora foram em apenas seis meses. Isso mostra uma evolução e é muito gratificante pra mim”, garantiu Lucas.

    A caminhada até a conquista, porém, foi atribulada. No mês de junho, Lucas encarou uma verdadeira maratona com viagens para o México e Brasil. De volta aos Estados Unidos, ele ficou quatro dias em Dallas, onde reside atualmente, antes de embarcar para Las Vegas.

    “Esse mês foi bem corrido pra mim, mas estou muito feliz com o que vem acontecendo na minha vida. Estive no Brasil, onde lutei e venci o Rio Open, cheguei sábado passado em Dallas e já fui treinar e dar aulas. Na quarta já embarquei para Las Vegas. Quinta acordei às 6h da manhã para trabalhar como árbitro no campeonato. No mesmo dia lutei o torneio sem quimono e venci meu oponente por finalização. Em seguida voltei a trabalhar como árbitro”, contou o lutador, que no dia seguinte retornou para as disputas com quimono.

    Uma situação inusitada, entretanto, quase impediu Lucas de entrar em ação. Apesar de ter quatro atletas inscritos em sua categoria, dois deles não baterem o peso, e o único adversário que restou estava acima do peso e só entrou no tatame porque Lucas emprestou o seu quimono para que ele atingisse o peso limite da categoria dos plumas.

    “O meu oponente estava acima do peso e eu ia ganhar uma medalha sem lutar, o que eu não gosto. Então, emprestei o meu quimono a ele para que a luta acontecesse. Como o quimono do meu patrocinador é bem leve, ele conseguiu bater o peso. Graças a Deus deu tudo certo. Fiz 15 a 0 e em seguida finalizei. Foi bem louco esse campeonato (risos)”.

    Com ouro duplo – peso com e sem quimono -, Lucas chegou ao total de dez em seis meses (Foto Gabrielly Kosinski)

    Primeira vez na Eurásia

    Com as duas medalhas adicionadas ao seu currículo, o faixa-preta agora parte para uma nova experiência. Escalado para o ACB Jiu-Jitsu que acontece nos dias 7 e 8 de julho em Moscou, na Rússia, Lucas está ansioso por participar de sua primeira competição na Eurásia (parte do território russo se localiza no leste Europeu e parte ao norte da Ásia).

    “Viajo na quinta-feira para Moscou. Estou muito animado, porque será a minha primeira vez na Rússia. Vou fazer uma parada antes em Londres… Estou muito feliz, porque será a minha primeira vez nessa região. É um sonho que está se realizando”, concluiu o jovem.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome