Entusiasta da Copa Podio, Jhonny Loureiro exalta vitória e vaga no GP dos Leves: ‘Indo para ser campeão’

    Jhonny Loureiro em Porto Alegre e garantiu vaga no próximo GP peso-leve da Copa Podio (Foto Camila Nobre)

    Por Yago Rédua 

    Em uma superluta na abertura da Copa Podio, Jhonny Loureiro travou uma batalha contra Ygor Rodrigues e venceu por uma punição, após empate em 6 a 6 nos pontos. Com o triunfo, o lutador da Alliance garantiu vaga no GP dos Leves, que vai marcar o começo da sexta temporada. À TATAME, o casca-grossa, um dos entusiastas do evento, exaltou o adversário e comentou sobre as primeiras ideias de criação da Copa Podio.

    “Eu sabia que o Ygor era um menino duro, vários guris da academia já tinham lutado com ele. Estudei o jogo dele, ele recém chegou à faixa-preta. Já sabia que seria uma luta muito difícil, ele é muito técnico. Treinei com o professor Mário (Reis), o Cobrinha… Cheguei pronto. Eu tenho só que parabenizar o Jéferson (Mayca, presidente da Copa Podio) pelo nível que ele chegou. Na primeira vez que conversamos, ele me convidou para almoçar. Eu anotei num guardanapo os nomes, depois fiz até uma apresentação de Power Point, em 2010, eu acho. Para o nível que chegou hoje… Sabemos que não é fácil viver do esporte no Brasil. Só tenho a parabeniza-lo por tudo o que ele fez”, comentou o gaúcho, que destacou a força dos familiares e amigos presentes para apoia-lo em Porto Alegre (RS).

    “Teve uma menina que me perguntou se lutar aqui (Porto Alegre) iria me favorecer por lutar no frio, falei que não tinha nada a ver. O que realmente iria me favorecer seria lutar diante da minha mãe, do meu tio, dos meus amigos de treino e alunos. Porque muitas vezes vamos lutar lá fora e não temos esse apoio, acredito que é isso o que mais vale, ficar perto de pessoas que eu amo muito e me conhecem profundamente”, destacou.

    Sobre a vaga no GP dos Leves, Jhonny afirmou que tem dois objetivos pela frente: o Mundial de 2019 e a Copa Podio. O faixa-preta revelou que ao abrir a sua academia na reta final de 2017, em Porto Alegre, no Rio Grande Sul, não se preparou da forma como deveria para o último Mundial, realizado no começo de junho, e quer se redimir no próximo ano.

    “Estava muito focado para conseguir essa vaga (no GP dos Leves), porque eu montei uma academia nova aqui em Porto Alegre. No fim do ano passado e começo desse ano, eu dei muita atenção a ela. Acabei, por isso, não indo muito bem no Mundial. Coloquei na minha cabeça, fiquei uns três dias pensando, sem falar muito, que essa minha luta (contra o Ygor Rodrigues) iria começar a minha preparação para o Mundial 2019 e o GP dos Leves. Cada uma na sua devida proporção, mas servindo de experiência e aperfeiçoamento para ser campeão mundial e, também, estou indo para ser campeão desse GP”, encerrou Johnny.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome