Ex-campeão do RFA, Raoni Barcelos inicia caminhada no UFC e diz: ‘O mundo vai me conhecer’

    Raoni Barcelos fará sua estreia pelo Ultimate neste sábado (14) (Foto: Keith Mills/Sherdog)

    Por Mateus Machado

    Ex-campeão peso-pena do evento RFA, Raoni Barcelos precisou esperar para ter uma chance no Ultimate. O próprio lutador, que não luta desde 2016, afirma que precisou passar por três camps, onde tinha a expectativa de ser chamado para lutar na maior organização de MMA do mundo. A tão aguardada oportunidade chegou no ano passado, quando enfrentaria Boston Salmon no UFC São Paulo, no entanto, seu adversário se machucou e a luta foi cancelada.

    Após mais alguns meses de expectativa, o carioca, enfim, fará sua estreia no UFC. Neste sábado, Raoni encara Kurt Holobaugh no card do UFC Fight Night 133, que acontece em Boise, nos Estados Unidos. Com 31 anos e 11 vitórias e apenas uma derrota em seu cartel, a fera do Wrestling agora busca o protagonismo no MMA dentro de uma grande organização. Em entrevista exclusiva à TATAME, o brasileiro falou de suas inspirações dentro da modalidade em busca do sonho de se tornar campeão do Ultimate.

    “Com certeza, o José Aldo foi uma das minhas maiores inspirações no UFC. Eu tive a oportunidade de estar com ele em algumas lutas, de ajudar na parte de Wrestling quando ele precisou. A gente tem uma sintonia muito boa um com o outro, acho que não só ele, mas o Glover (Teixeira) também foi um cara que me inspirou muito. Acompanhei o espaço dele aqui no Brasil, ele foi o cara que acreditou primeiramente em mim, e o Pedro Rizzo é um cara que está do meu lado sempre, e sempre foi uma inspiração para mim e para todos os atletas”, disse o lutador.

    Confira a entrevista completa com Raoni Barcelos:

    – Expectativa para a estreia no UFC e preparação

    Minha expectativa estava muito grande para que esse dia chegasse. É uma estreia tão esperada por mim e por muitos aí que me acompanham faz um tempinho, que gostam do meu trabalho, a galera que está junto comigo. A expectativa é muito boa, minha preparação foi toda no Brasil, toda no centro de treinamento do Pedro Rizzo, junto com seus atletas, onde só tem moleque fera, uma galera boa demais, e a expectativa está muito boa, com a preparação a mil.

    – Estar sem lutar desde 2016 influencia para essa estreia?

    Eu estou desde 2016 sem lutar, esperando essa oportunidade do UFC, só que sempre nessa espera, eu estava pronto, porque eu sabia que um dia ia chegar a oportunidade. Então, eu acho que fiz uns três camps para poder entrar no UFC e não aconteceu. No último, foi o evento de São Paulo, que eu consegui entrar no card, no qual eu já estava super bem treinado e bem perto do peso também, então acho que o ritmo de luta não vai afetar nada, até porque estou super feliz e empolgado. Vou tentar dar um show para a galera e entrar 100% nessa luta.

    – Análise do confronto no UFC Boise

    O cara é duríssimo, já lutou com o Gesias, campeão dos eventos internacionais também, vai ser um lutão. Vou procurar impor meu jogo, que é sempre pra cima, procurar nocaute ou finalização e que eu saia com a vitória. Vou tentar nocautear, se tiver em cima, e tentar finalizar se for para o chão. Eu estou com sangue nos olhos, com muita vontade, e espero que ele esteja preparado para ser uma bela luta. Que eu saia com a vitória no final, vai ser muito especial.

    – Inspiração em Aldo, Glover e Pedro Rizzo

    Com certeza, o José Aldo foi uma das minhas maiores inspirações no UFC. Eu tive a oportunidade de estar com ele em algumas lutas, de ajudar na parte de Wrestling quando ele precisou. A gente tem uma sintonia muito boa um com o outro, acho que não só ele, mas o Glover (Teixeira) também foi um cara que me inspirou muito. Acompanhei o espaço dele aqui no Brasil, ele foi o cara que acreditou primeiramente em mim, e o Pedro Rizzo é um cara que está do meu lado sempre, e sempre foi uma inspiração para mim e para todos os atletas, para ser igual ao Pedro, os chutes dele, os belos nocautes, a carreira que ele fez no UFC. Então é isso, eu tenho um grande potencial para chegar e ser um campeão da minha categoria. Eu também pretendo lutar de peso-galo e tentar minha carreira na categoria de baixo (atualmente, luta no peso-pena) e me tornar um novo campeão do Brasil.

    – Análise da categoria dos penas e futura ida para o peso-galo

    Com certeza, a categoria peso-pena é uma das mais difíceis do UFC, mas também uma das mais cheias, e eu pretendo descer para a categoria dos galos e tentar ser o campeão dessa categoria, me testar ali, ver como vou me sentir, se vou ficar mais forte ou não. Eu quero me testar e ver o que vai acontecer. Eu ainda não tenho nenhum atleta que eu queira enfrentar, acho que é um passo de cada vez. Eu cheguei na organização agora, preciso passar dessa luta e eu acho que passando dessa luta, quero lutar de galo e estar lutando com os melhores atletas no ranking para eu poder estar me testando, para ver se realmente eu consigo ser o campeão. Então, preciso fazer primeiro essa luta e ver como eu vou me sair. Acho que tudo é questão de tempo e tenho certeza que quando eu entrar e me sentir muito bem, vou ser o campeão da categoria.

    – Dificuldades até chegar ao UFC e sonho de ser campeão

    Realmente, passei por algumas dificuldades, sim. Não foi fácil chegar onde eu consegui chegar. É um sonho de todo atleta estar lutando com os melhores do mundo na melhor organização, que é o UFC, e eu acho que o trabalho foi duro até conseguir ter a oportunidade de mostrar o meu trabalho para todo o Brasil e para todo o mundo. Então eu acho que é isso, realmente passa um filme na minha cabeça, aquela vontade desde o início de chegar (no UFC). Quando você coloca um sonho e realiza, é muito gostoso, é uma sensação muito boa, que até então eu não tinha sentido. Fui campeão mundial diversas vezes, de faixa-azul, de faixa-roxa, nas confederações principais de Jiu-Jitsu. Tive passagem na luta olímpica, e meu sonho era chegar nas Olimpíadas, mas infelizmente não consegui chegar. Depois disso, o meu sonho no Jiu-Jitsu era ser campeão mundial na faixa-preta, só que enfim, a vida me levou para luta olímpica, no qual conheci o mundo todo, ganhei uma experiência muito grande e não consegui conciliar um esporte com o outro, até chegar no MMA. Cheguei no MMA, coloquei um sonho e vi que era possível de se chegar e de ser campeão do UFC, e graças a Deus, conquistei esse sonho e procuro agora seguir em frente, ficar bem no ranking da minha categoria, e quem sabe, ser um campeão. Acho que estou entrando para isso e eu vou mostrar meu trabalho para todo mundo, vão ouvir falar de mim.

    CARD COMPLETO:

    UFC Fight Night 133
    Sábado, 14 de julho de 2018
    Boise, nos Estados Unidos

    Card principal

    Junior Cigano x Blagoy Ivanov
    Sage Northcutt x Zak Ottow
    Dennis Bermudez x Rick Glenn
    Randy Brown x Niko Price
    Myles Jury x Chad Mendes
    Cat Zingano x Marion Reneau

    Card preliminar

    Eddie Wineland x Alejandro Perez
    Darren Elkins x Alex Volkanovski
    Justin Scoggins x Said Nurmagomedov
    Kurt Holobaugh x Raoni Barcelos
    Liz Carmouche x Jennifer Maia
    Mark De La Rosa x Elias Garcia
    Jessica Aguilar x Jodie Esquibel

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome