Coluna da Arte Suave: a importância do ‘Jiu-Jitsu mental’ no cotidiano do atleta; leia e deixe sua opinião

    Em seu novo artigo, Luiz Dias falou sobre a importância do Jiu-Jitsu mental (Foto Ilan Pellenberg)

    Por Luiz Dias

    Hoje acordei pensando em um Jiu-Jitsu que devemos fazer sempre e que eu faço todo os dias, em diversas situações: o Jiu-Jitsu mental. Podemos e devemos treinar a mente primeiro, porque creio eu que com a mente treinada, nossas lutas fluirão melhor, com equilíbrio, estratégia e variantes de situações. A calma na hora da luta é essencial. Muitas vezes andando, dirigindo ou até do nada, surgem em minha mente lutas que, repensando nelas, poderia ter feito outros movimentos que seriam melhores, ou perdi oportunidades de executar golpes que se encaixavam melhor naquele momento. Creio que esse exercício sempre nos educa. Longe do calor da luta, uma avaliação mais atenta se faz necessária.

    A estratégia foi certa? Os movimentos eram os ideais? Me precipitei ou esperei demais? Usei muita energia quando não era a hora? Essas perguntas, revendo mentalmente a luta, poderão ser respondidas e certamente te ajudarão no seu caminho como lutador.

    Também é a maneira que encontrei para cuidar da minha mente em questões pessoais. Ver onde errei ou deixei de fazer algo, onde eu posso corrigir, mudar a minha maneira de agir para melhor, vencer ou entender questões pessoais, entender muitas situações que, por vezes, as soluções não estão mais ao meu alcance. Mas saber que tudo o que eu poderia fazer, eu fiz. Lutei exaustivamente para alcançar o que desejo, mas por motivos que estão além de mim, não consigo alcançar ou não posso mudar por mim mesmo. É triste, mas eu fiz todas as tentativas. Principalmente se não querem mudar, entender ou tentar.

    Difícil sempre será, essa sensação de derrota. Perder nos tatames ou na vida sempre é difícil. Mas tenho comigo a certeza que exauri todas as tentativas, “lutei” com todas as minhas forças. Essa certeza te dá a tranquilidade para atravessar a tempestade de pensamentos tristes. Esse “Jiu-Jitsu mental” que pratico, aonde estiver, me fortalece, como se fosse uma “armadura”. Me dá força, resistência e equilíbrio, me impulsiona para frente.

    Me possibilita ter tranquilidade para resistir à pressão nos tatames e às pressões da vida. Ganhar ou perder, devemos estar sempre prontos para os combates nos treinos e campeonatos, com o corpo e mente unidos. Na vida pessoal também, mente fortalecida, caso não consiga a desejada “vitória ou conquista”, tenha a certeza que você lutou até o fim. Isso te trará uma paz para continuar no seu caminho. Esse é o Jiu-Jitsu mental que pratico, dentro e fora dos tatames, e espero que possa ajudar de alguma maneira vocês.

    Só existe derrota quando você desiste de lutar, que é bem diferente de você lutar sabendo que ainda poderia resistir, persistir, ter investido mais uma vez pela finalização na luta ou pelo que você deseja na sua vida. Já perdi várias lutas, mas nunca, ao sair do tatame ou de alguma situação pessoal, me peguei pensando e percebendo que poderia ter resistido um pouco mais ou poderia ter tentado mais uma vez. Acredito que esse sentimento dá certeza que exauriu todas as energias e tentativas, resiliência para erguer a cabeça e ver o caminho à frente. Bons treinos e nunca desista! Lute até exaurir suas forças pelo que quer.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    5 COMENTÁRIOS

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome