Ketlen exalta Evinger no UFC São Paulo, vê Holm mais ‘perigosa’ que Amanda e projeta cinturão interino

    Ketlen Vieira revelou o sonho de subir para a divisão dos penas e lutar com Cris Cyborg (Foto Getty Images / UFC)

    Por Yago Rédua

    Invicta no MMA, Ketlen Vieira tem uma “pedreira” no co-main event do UFC São Paulo, dia 22 de setembro, como a própria lutadora definiu. A manauara enfrenta a experiente Tonya Evinger, em um confronto que pode encaminhar ainda mais a possibilidade de disputar o cinturão peso-galo do Ultimate – que pertence a Amanda Nunes. Em coletiva de imprensa, a “Fenômeno” revelou que esperava que a próxima luta fosse já pelo título.

    “Nós ficamos um pouquinho chateados, porque o sonho de todo atleta que chega ao UFC é disputar o cinturão. Eu conquistei esse direito, com muito trabalho e da minha equipe também. Mas procurei usar isso (motivação) nesse meu camp de agora para fazer uma ótima luta no UFC São Paulo. Vai ser a primeira vez que eu vou lutar no Brasil (pelo UFC), então, isso vai dar um gás a mais”, destacou a brasileira, que vem em ascensão no UFC.

    A lutadora da Nova União também fez uma análise da oponente, comentou que está em fase de crescimento dentro do MMA, disse que toparia uma luta pelo título interino com Holly Holm e ainda afirmou que deseja subir de peso no futuro e lutar com a “melhor”.

    Confira a entrevista na íntegra com Ketlen Vieira:

    – Análise e valorização de Evinger

    Ela não aparece no Top 15, mas a Tonya é uma ótima lutadora, já foi campeã do Invicta FC. Não podemos avaliar a luta dela com a Cris Cyborg, porque ela lutou no peso de cima. Temos que avalia-la no peso-galo, lugar que conquistou várias vitórias, lutou com atletas experientes. É perigosa, experiente. Nada do que eu vá apresentar pra ela será novidade, porque ela já lutou com as melhores. Vai ser um teste muito grande pra mim. As pessoas têm uma visão muito superficial sobre os atletas e não é bem assim. Eu posso até falar que ela será uma das lutas mais duras da minha carreira. Ela anda para frente, não tem medo de porrada. É muito dura e resistente. Então, vai ser uma pedreira, com certeza.

    – Momento da carreira e evolução

    Eu estou em um momento da minha vida, que realmente o tempo está correndo a meu favor. Quanto mais tempo passa, melhor eu vou ficando, com mais experiência. Eu tenho muito a evoluir, tenho apenas 26 anos, ainda nem cheguei ao meu ápice. Conforme for passando o tempo, mas preparada eu estarei para os desafios da minha carreira.

    – Superluta entre Cyborg e Amanda

    Eu estou em uma fase de investir na minha carreira. Acho que a época de eu ganhar dinheiro vai chegar. A Amanda e a Cris Cyborg estão nesta época de ganhar dinheiro. Também não posso ser egoísta e apedrejá-la porque ela (Amanda) quer crescer na vida. Sabemos que no mundo da luta você tem data de validade, não vai lutar a vida toda. Eu reconheço isso, mas é claro que eu fico chateada, porque quero disputar o cinturão. Na minha visão, ela não varreu a categoria e têm meninas boas precisando de oportunidade. Em nenhum momento eu pedi para lutar com ela, só fui me manifestar depois que ela disse que eu merecia a chance (title shot). Eu só quero que ela cumpra a palavra dela.

    – Title shot ou cinturão interino

    Me vejo como a próxima desafiante, vencendo essa luta com a Tonya. A única saída seria uma luta pelo cinturão interino com a Holly Holm. Acredito que, de uma forma ou outra, ganhando essa luta eu me vejo disputando o cinturão. Mas, não quero pensar nisso agora, temos que nos concentrar na Tonya. O UFC não falou (lutar com a Holm), foi o público e acho que ela colocou no Instagram também, que nós duas deveríamos lutar. Eu concordo com ela. Se realmente acontecer essa luta entre a Cris e a Amanda, é o mais justo a ser feito. Cada luta é uma luta. Tem jogo que não casa. Eu vejo a Holly com um jogo mais complicado, porque ela não para, é canhota. Se você vacilar, ela tem um chute mais potente. Vejo que ela é um pouquinho mais difícil que a Amanda, que joga mais plantada, arremessa muito direto, não tem o preparo físico tão bom quanto o da Holm pra mim.

    – Duelo com Cyborg no peso-pena

    Descer de peso não seria uma boa ideia, porque eu tenho todo um acompanhamento. Então, não teria a mesma performance que eu tenho no peso-galo. Para ir para os moscas, precisaria de um acompanhamento também. Mas, futuramente, depois que atingir todos os meus objetivos nos galos, posso lutar no peso de cima (pena). Depois que eu conquistar tudo, por que não subir e lutar com a melhor? Cris Cyborg é a melhor (risos).

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome