Do Bronx explica choro no UFC São Paulo e fala de recorde quebrado: ‘Sensação que nunca vou esquecer’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 24/09/2018
Do Bronx explica choro no UFC São Paulo e fala de recorde quebrado: ‘Sensação que nunca vou esquecer’ Do Bronx finalizou mais uma, desta vez no UFC São Paulo, e bateu o recorde de Royce (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Por Diogo Santarém e Gabriel Carvalho

Charles do Bronx é o novo recordista de finalizações do UFC. Com o mata-leão sobre Christos Giagos no UFC Fight Night 137, realizado em São Paulo, no último sábado (22), o paulista superou a marca da lenda Royce Gracie, agora com 11 finalizações no octógono.

Em conversa com jornalistas na sala de imprensa logo após o triunfo, Charles falou sobre a sensação de ter quebrado um recorde tão expressivo, que persistia no UFC desde 1994.

“É uma sensação que eu nunca vou esquecer. Não é nem pelo fato de ter passado o Royce Gracie, e sim por tudo aquilo que vem envolvido. Com 28 anos e passando o Royce, podem ter certeza que outras coisas boas vêm por aí, com certeza vou ser campeão, mas esse momento nunca irei esquecer”, comentou Charles, que desde 2010 luta pela organização.

Logo após a finalização, Do Bronx celebrou bastante e caiu copiosamente no choro. O brasileiro explicou todas as adversidades que passou durante a semana da luta, principalmente com lesões, que tornaram o momento tão emotivo e especial para ele.

“Acho que é por tudo que está envolvido. A semana foi difícil, machuquei a coxa, zoei o dedo, era ônibus (com fãs) que ia vir e ficou pra trás. Amigos meus dando incentivo para a molecada poder estar me vendo, minha família vindo, meu pai não podendo estar aqui, minha mãe em um vai ou vem, minha avó estando aqui, minha filha aqui assistindo, é tudo envolvido. Minha trocação cada vez mais evoluindo, meu Jiu-Jitsu sendo o número um com 28 anos de idade. É tudo envolvido, é muito coisa”, desabafou o brasileiro, em lágrimas.

Além do recorde de finalizações, Charles também chegou ao número de 20 lutas pelo UFC, alcançando lutadores como Vitor Belfort, Demian Maia e Anderson Silva. O paulista também citou os problemas que teve em sua comunidade e deu incentivo aos jovens.

“Imagina um moleque que mora dentro da comunidade, dentro da favela, onde a maioria dos amigos estão presos ou já faleceram, infelizmente, rodando o mundo inteiro, com 28 anos, passando o Royce Gracie, se tornando o maior finalizador (do UFC), ter 20 lutas no UFC que é o melhor evento do mundo, só fiz três lutas aqui no Brasil. É só colocar na balança, imagina tudo isso. Quando vou dar uma palestra na comunidade ou na favela, eu falo pra molecada que todo mundo pode chegar. Se eu cheguei, que era um moleque que andava descalço, todo sujo na rua, jogado, por que a molecada não pode?”, completou.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 137
Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP)
Sábado, 22 de setembro de 2018

Card principal
Thiago Marreta derrotou Eryk Anders por nocaute técnico no 3R
Alex Cowboy derrotou Carlo Pedersoli por nocaute técnico no 1R
Rogério Minotouro derrotou Sam Alvey por nocaute técnico no 2R
Andre Ewell derrotou Renan Barão por decisão dividida dos jurados
Randa Markos x Marina Rodriguez terminou em empate majoritário

Card preliminar
Charles do Bronx finalizou Christos Giagos com um mata-leão no 2R
Francisco Massaranduba derrotou Evan Dunham por nocaute no 2R
Ryan Spann derrotou Luis Henrique KLB por decisão unânime dos jurados
Augusto Sakai derrotou Chase Sherman por nocaute técnico no 3R
Serginho Moraes finalizou Ben Saunders com um katagatame no 2R
Mayra Bueno finalizou Gillian Robertson com um armlock no 1R
Thales Leites derrotou Hector Lombard por decisão unânime dos jurados
Elizeu Capoeira derrotou Luigi Vendramini por nocaute no 2R
Livinha Souza finalizou Alex Chambers com uma guilhotina no 1R

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade