Thiago Marreta dá sugestão ao UFC e convoca Manuwa para luta em dezembro: ‘Vamos honrar o contrato’

Publicado em 23/09/2018 por: Mateus Machado
Thiago Marreta dá sugestão ao UFC e convoca Manuwa para luta em dezembro: ‘Vamos honrar o contrato’ Thiago Marreta não apareceu em nova atualização do ranking do Ultimate (Foto Getty Images / UFC)

publicidade

Por Diogo Santarém e Gabriel Carvalho

Vitorioso diante de Eryk Anders na luta principal do UFC São Paulo, realizado no último sábado (22), Thiago Marreta se saiu bem em seu primeiro teste na organização lutando como meio-pesado. Apesar de enfrentar um oponente que também costuma lutar como peso-médio, o brasileiro pôde mostrar uma maior potência em seus golpes e também uma resistência superior aos do rival, o que prova seu rendimento de alto nível em três rounds.

Logo após o fim do combate, em coletiva com jornalistas, o carioca já tinha em mente o seu próximo adversário. Thiago revelou que planeja enfrentar o inglês Jimi Manuwa, que seria seu adversário no UFC São Paulo, e afirmou que gostaria de entrar em ação novamente no mês de dezembro, fechando seu ano de 2018 com cinco lutas pelo UFC.

“Desejo que ele (Manuwa) se recupere bem, o mais breve possível, e espero encontrá-lo até dezembro para honrarmos o contrato que a gente assinou (no UFC São Paulo)”, disse.

Confira outros trechos da entrevista de Thiago Marreta:

– Desempenho lutando como meio-pesado

Me senti muito bem. Cansei, mas é normal cansar em uma luta tão intensa como essa. Senti mais intensidade nos meus golpes, mas também me senti um pouco mais lento. Apesar dos meus golpes ficarem mais potentes, senti também que fiquei mais resistente. Tomei golpes duros do Anders e não senti tanto. Nos médios, por não conseguir me recuperar 100% do corte de peso, eu fico um pouco frágil. Hoje, tomei um direto do Eryk, mas esse golpe não me abalou, então sinto que fiquei mais resistente nessa categoria.

– Desejo por ‘teste real’ nos meio-pesados

Consigo bater 84kg (peso-médio), isso é fato, venho de três lutas em 84kg esse ano. O problema é a recuperação, não consigo voltar 100%. Independentemente de eu lutar com um cara do tamanho do Jon Jones ou do (Alexander) Gustafsson, mas estando bem e saudável, com certeza vai ser uma guerra para eles. Outra coisa é eu voltar a 84kg e não ter resistência. É complicado. Ainda quero fazer uma luta de 93kg (meio-pesado) contra um cara maior do que eu, como o (Jimi) Manuwa, sentir a pressão, para ver se depois que eu levar uma porrada do negão, eu vou mudar de ideia ou responder à altura (risos).

– Categorias intermediárias no Ultimate

A questão é que as categorias são com distâncias muito grandes de uma para a outra. De 93kg para 84kg, por exemplo. Se eu luto de 84kg, ok, tenho dificuldade, mas se vou para 93kg, muda muito. Vi o Manuwa e falei: ‘Olha o tamanho do negão, cara gigante’. Sou a favor de abrirem categorias intermediárias. Uma até 88kg seria o ideal para mim. Sou a favor dessas intermediárias. Seria muito bom para a galera, assim como no Boxe tem várias categorias, podiam fazer umas intermediárias para não ficar tão distante um peso do outro, porque 7kg, 8kg de diferença é muita coisa. Então, com certeza seria uma boa ideia.

– Novo nocaute e boa fase na carreira

Este se trata de um momento único na minha carreira, estou muito feliz. Me perguntaram se eu estava realizado e, se eu tivesse que parar depois deste main event, pararia feliz. Para chegar aqui vindo de onde vim, é um feito incrível. Mas sou um sonhador, busco novos sonhos sempre. Não sou um fenômeno do MMA, ainda tenho muito o que aprender. Não estou no meu auge, mas fiz muitas coisas que muita gente que está aqui na estrada há muito tempo não conseguiu fazer. Sou um abençoado por Deus e tento ajudar as pessoas. Já recebi muitas críticas, muitos disseram que eu não devia estar no UFC, mas estou aqui ainda, porque sou esforçado, e quero realizar ainda mais na minha carreira.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 137
Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP)
Sábado, 22 de setembro de 2018

Card principal
Thiago Marreta derrotou Eryk Anders por nocaute técnico no 3R
Alex Cowboy derrotou Carlo Pedersoli por nocaute técnico no 1R
Rogério Minotouro derrotou Sam Alvey por nocaute técnico no 2R
Andre Ewell derrotou Renan Barão por decisão dividida dos jurados
Randa Markos x Marina Rodriguez terminou em empate majoritário

Card preliminar
Charles do Bronx finalizou Christos Giagos com um mata-leão no 2R
Francisco Massaranduba derrotou Evan Dunham por nocaute no 2R
Ryan Spann derrotou Luis Henrique KLB por decisão unânime dos jurados
Augusto Sakai derrotou Chase Sherman por nocaute técnico no 3R
Serginho Moraes finalizou Ben Saunders com um katagatame no 2R
Mayra Bueno finalizou Gillian Robertson com um armlock no 1R
Thales Leites derrotou Hector Lombard por decisão unânime dos jurados
Elizeu Capoeira derrotou Luigi Vendramini por nocaute no 2R
Livinha Souza finalizou Alex Chambers com uma guilhotina no 1R

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade