Coluna da Arte Suave: treino duro no dia a dia e amizade com os companheiros de equipe; confira

    Em seu novo artigo, Luiz Dias falou sobre os treinos e a amizade com os companheiros de equipe (Foto: Reprodução)

    Por Luiz Dias

    Em cada hora do treino, observo meus alunos, meus amigos que treinam comigo e cada vez mais percebo como esses laços de amizades nos tatames são importantes. Quantas amizades se desdobram e se fortalecem, ultrapassando os limites dos tatames, e os treinos se tornam até mais disputados, mas ao final, na resenha do pós treino, a conversa ocorre e dentre os assuntos, observações são feitas sobre os movimentos, erros e acertos de cada lutador.

    Acredito que esse é o ambiente ideal dentro da equipe. Amizade, mas foco no treino. A vontade de finalizar é sempre presente, mas a amizade está sempre presente também. Essa endorfina é muito importante para o dia todo. Todos nós temos nossas guerras particulares e precisamos de força, energia para elas. Tem certos momentos que finalizar ou tomar um carro está em segundo plano, o importante é estar de quimono, treinando, trocando força, buscando finalizar. Essa endorfina nos tatames, que fiz até um hashtag, é muito importante no meu entendimento.

    Eu mesmo passei por momentos muito difíceis, como muitos passam, e na hora dos treinos, tudo fica fora dos tatames. Como professor, temos, ao meu ver, que cultivar esse ambiente de amizade, de treinos duros, mas de muita amizade e respeito entre todos, independentemente se um é competidor e o outro não compete. A disputa saudável tem de estar limitada aos treinos, a busca da finalização, nunca entrando para o lado pessoal.

    Parece óbvio, mas muitas vezes se não cuidarmos desse aspecto, estas situações podem acontecer. Como professor, fico atento a qualquer sinal de atrito que pode resultar em desdobramentos. Não creio ser saudável ter pessoas que não se falam no treino. É claro que afinidades aproximam mais alguns em relação a outros, normal. Mas eu vejo ser importante todos falarem e treinarem com todos. Os mais graduados treinarem com os menos graduados, para eles é um bom treino para testarem e ajustarem posições para quando em lutas que não podem errar, estarem mais confiantes em suas posições. E para os menos graduados treinarem com mais graduados, esses treinos puxam seu foco, seus limites para cima, acelerando sua evolução.

    Temos de ver nossa equipe como uma família, um corpo só. Creio ser importante a equipe ser unida, treinando duro, mas unida. Todos buscando vencer seus limites e incentivando uns aos outros. Os treinos duros, os “carros”, devem ficar no dojô, treino não se comenta. Mas as amizades devem continuar após o treino. Tenho amigos que, quando treinam comigo, me passam o carro, e sou grato, porque puxam meus limites, me incentivando a ser melhor nos próximos treinos para ser eu a finalizá-los. Esse é o caminho, ao meu ver. Treino duro, mas amizade sempre!

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome