Coluna Treino Certo: a preparação de um atleta com nove hérnias até o título mundial master; saiba mais

    Em seu novo artigo, Ítallo Vilardo detalhou a preparação de seu atleta até o título mundial master (Foto reprodução)

    Por Ítallo Vilardo

    Muitos atletas me procuram e relatam lesões, dores, incômodos, e o que realmente tenho para comentar é: infelizmente, isso é normal. Devemos cuidar e controlar, fortalecer a área e alinhar o corpo todo (uma dor no cotovelo pode estar relacionada com uma musculatura fraca na área do pescoço, por exemplo), fazendo sempre um trabalho preventivo, controlando e adaptando o treino a todo instante. O planejamento deve seguir como o organizado previamente, mas sabendo que imprevistos podem acontecer e conseguindo contorná-los: manter a linha planejada é o que vai fazer a diferença no seu rendimento.

    Quando comecei a trabalhar com o Ronaldo Chaves, campeão absoluto mundial master 3 na faixa-preta, ele relatou todas as lesões que tinha, inclusive as nove hérnias na coluna. O objetivo dele: ser campeão mundial master. De cara, já conversamos que ele deveria aprender a escutar e respeitar seu corpo, convivendo com as lesões e sabendo que teria dias onde ele treinaria muito, ficaria exaurido e não teria dor nenhuma, porém, teriam dias em que ele dormiria de mau jeito e acordaria mal conseguindo andar no dia seguinte.

    O fato de o Ronaldo ser formado em Ed. Física facilitava muito esse entendimento (sim, tenho diversos clientes que são formados, e isso não os impede de procurarem um serviço especializado para seu rendimento nas lutas), e me dava mais confiança também. Começamos o treinamento no início de 2017, traçamos os planejamentos, metas a curto e longo prazo, competições alvos e competições testes e começamos o trabalho. O objetivo inicial era fortalecer o corpo e as articulações e, com o tempo, implementando mais exercícios e tipos de treino. Fomos dos mais tradicionais e “seguros” até os mais complexos, como o levantamento olímpico e levantamento terra, exercícios que alguns dizem que são proibidos para quem tem esse tipo de lesão. Nas competições testes, os resultados foram excelentes, tivemos poucos imprevistos e chegamos no Mundial Master 2017, resultados excelentes, mas longe do que esperávamos, bronze no peso (onde tive a competência de ter o campeão Marcos Escobar como um dos meus clientes) e no absoluto.

    Reorganizamos o trabalho e focamos em 2018. Criamos novas estratégias, mantivemos os fortalecimentos articulares e trabalhos de musculação, com objetivo de adaptação neural.

    Por incrível que pareça, tivemos mais contratempos do que no ano anterior. Tivemos que mudar e readaptar o trabalho várias vezes, mas continuamos firmes. Escolhemos competições que serviriam de testes e conseguimos resultados bons. Pouco mais de um mês antes do Mundial Master 2018, tivemos alguns contratempos, adaptações e organização que sempre se fizeram presentes, até que chegou o campeonato da IBJJF.

    Foram lutas duríssimas. As categorias na faixa-preta master 3 estavam com um nível de competidores de primeira linha (na verdade, todas as categorias, acho que esse foi um dos campeonatos de mais alto nível da IBJJF) e conseguimos melhorar o resultado no peso, ficando em segundo lugar em uma luta de alto nível, onde Ronaldo foi perfeito, mas seu adversário também foi e conseguiu superá-lo. Se abater e lembrar de tudo que deu errado durante o treinamento? Não! Fomos para o absoluto. E o resultado não poderia ser melhor: campeão! Sentimento de dever cumprido, e aquele clichê “filme na cabeça passando”.

    O que fica de lição:

    • Lesões fazem parte do esporte, quem te impede de seguir em frente é você mesmo;
    • Tenha bons profissionais à sua volta, pessoas que saibam o que estão fazendo;
    • Saiba que contratempos acontecem, mudar e reorganizar o treino faz parte de qualquer planejamento, e por isso, ter pessoas competentes ao seu redor faz a diferença;
    • Planeje com tempo, não queira se preparar faltando seis semanas para uma competição, tudo demanda tempo, atletas olímpicos se planejam com anos de antecedência;
    • Escute e respeite o seu corpo, confiando nas pessoas que estão envolvidas no processo;
    • Acredite, pois se você não acredita, não adianta os outros acreditarem.

    Para mais, entre em contato em www.itallovilardo.com ou no Instagram @itallovilardo

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome