Handesson ‘Boy Doido’ vai em busca de prêmio milionário na PFL e avisa: ‘Estou pronto para qualquer um’

Publicado em 19/10/2018 por: Mateus Machado
Handesson ‘Boy Doido’ vai em busca de prêmio milionário na PFL e avisa: ‘Estou pronto para qualquer um’ Handesson Boy Doido entrará em ação neste sábado (20) pela PFL edição número 10 (Foto PFL MMA)

publicidade

O brasileiro Handesson Ferreira, mais conhecido no meio do MMA como “Boy Doido”, estreou com o pé direito na Professional Fighters League (PFL) em agosto, quando derrotou o ex-UFC Paul Bradley por nocaute em apenas 20 segundos de luta. Com a vitória, o paraibano carimbou sua vaga para os playoffs do torneio da categoria dos meio-médios, que pagará um milhão de dólares ao vencedor. E a sua caminhada no torneio em busca da premiação milionária começa neste sábado (20) em Washington, nos Estados Unidos, quando o atleta da Pitbull Brothers encara outro ex-UFC, o norte-americano Rick Story.

“As expectativas são as melhores possíveis. O treinamento foi muito bom e me sinto preparado para lutar com qualquer tipo de adversário. O meu foco é no meu jogo, no que eu posso fazer, e não no jogo dele. Claro que sempre treino o antijogo do grappling, até porque a maioria não quer trocar em pé comigo. Então, treino muita defesa de queda. O Rick Story é o adversário perfeito para que eu possa alcançar os meus objetivos. Se você quer ser o melhor, tem que lutar com os melhores. Na minha carreira, nunca tive luta fácil, então essa será mais uma que vou entrar dando tudo de mim”, disse Boy Doido.

Caso derrote Rick Story, o brasileiro terá que fazer mais uma luta na mesma noite se quiser avançar para a final do torneio, que acontecerá em dezembro. A luta contra Story terá a duração de dois rounds, já a semifinal, que sairá do confronto entre Ray Cooper III e o ex-UFC Jake Shields, será disputada em três rounds. Boy Doido não tem preferência por oponente, apesar de já ter derrotado Ray Cooper III em novembro do ano passado.

“Estudei bem o jogo dos dois. Eles já se enfrentaram e o Cooper saiu vencedor. Eu já venci o Cooper, mas cada luta, mesmo sendo um oponente conhecido, é uma luta diferente. Então, eu não tenho preferência por oponente, estou apenas focado na vitória”, analisou.

Ex-campeão do Max Fight e do Jungle Fight, Handesson Ferreira sabe que essa será a chance de mudar sua vida caso conquiste a premiação. Para que a ansiedade não atrapalhe sua performance, ele vem fazendo um trabalho mental para ficar focado apenas nas lutas.

“Eu amo o meu trabalho, isso é o principal. O dinheiro é um incentivo a mais, até porque eu tenho uma filha pequena e quando você é pai sempre quer dar tudo aquilo que você não teve. Vim de uma família pobre, então uma grana dessas mexe com a gente. Mas consigo controlar bem essa ansiedade, porque a parte principal do meu camp é a preparação mental que faço com minha esposa, que é psicóloga, coach e hipnoterapeuta. Vou pensar em uma luta de cada vez e a premiação será um bônus pelas minhas performances”.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade