Jacaré cita ‘cabeça boa’ e projeta duelo contra Weidman: ‘Me levará ao title shot’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 23/10/2018
Jacaré cita ‘cabeça boa’ e projeta duelo contra Weidman: ‘Me levará ao title shot’ Jacaré vai fazer o co-main event do UFC 230 e espera sair com a vitória e o title shot (Foto Getty Images)

publicidade

Por Diogo Santarém e Yago Rédua

Após a lesão de Luke Rockhold na última sexta-feira (19), Ronaldo Jacaré assumiu o lugar do norte-americano na luta contra Chris Weidman, pelo co-main event do UFC 230, que acontece no próximo dia 3, em Nova York (EUA). Em entrevista exclusiva à TATAME, o faixa-preta de Jiu-Jitsu disse que está indo para o confronto de olho em uma vitória com autoridade para sair do Madison Square Garden com o aguardado title shot no peso-médio.

“Eu estou muito focado em vencer. Meu foco número um é chegar lá e colocar o meu jogo em prática. Estou indo lá para vencer e vencer bem. Mas, lógico e evidente, que a gente quer andar pra frente. Ele é um adversário que já foi ex-campeão, está no topo da divisão, melhor no ranking que eu e, com certeza, essa luta vai me levar em direção ao title shot nos médios”, disse Jacaré, que iria enfrentar, também no UFC 230, David Branch.

Em seis lutas contra brasileiros, o ex-campeão Weidman venceu todas, colecionando vitórias sobre nomes importantes do esporte nacional como Anderson Silva (duas vezes), Vitor Belfort, Lyoto Machida e Demian Maia, por exemplo. Jacaré afirmou que, por esse motivo, vai entrar no octógono como a sua cabeça voltada para uma “revanche”.

“Eu fiquei bastante animado quando eu recebi a notícia de que iria lutar com o Chris Weidman. Pra mim, isso é como se fosse uma revanche, como se ele tivesse me vencido e eu fosse para a luta buscando essa revanche, porque ele venceu muitos (brasileiros), então encaro isso como uma revanche. Eu não costumo perder revanches. Eu vejo isso com bons olhos. Ele tem um jogo muito duro, truncando, é bom em pé, no chão, de Wrestling… Quando me oferecem uma luta assim, vou sempre muito bem e estou confiante na vitória. Realmente, ele tem um histórico muito bom contra brasileiros. Então, estou indo lá, vou colocar o meu jogo em prática, estou bem treinado, com uma cabeça muito boa e confiante. Acredito que é uma boa luta e um momento importante para mim”, apontou.

Em maio, no UFC 224, no Rio de Janeiro, Ronaldo foi derrotado por Kelvin Gastelum por decisão dividida. O brasileiro revelou que ficou chateado e reclamou o fato de os árbitros sempre assinalarem vitória para os seus adversários quando a luta é apertada. O faixa-preta ainda disse que não pensou em se aposentar após o revés na Cidade Maravilhosa.

“Após a derrota para o Gastelum eu fiquei bastante chateado, mas eu não pensei em desistir. Estou com uma certa idade, isso é um fato, mas ainda estou lutando em alto nível. Mesmo fazendo tudo errado, acredito que poderiam ter me dado a vitória contra o Kelvin. Lembrando que eu nunca venci uma luta apertada, sempre que a luta vai para a decisão (dos árbitros), os juízes dão a vitória para o meu adversário. Mesmo quando eu tinha vencido com clareza. Isso é um fato estranho, mas enfim… Estou levantando a cabeça, espero não errar mais e alcançar essa vitória (no UFC 230)”, encerrou o atleta de 38 anos.

CARD PROVISÓRIO:

UFC 230
Madison Square Garden, em Nova York (EUA)
Sábado, 3 de novembro de 2018

Card principal 
Peso-pesado: Daniel Cormier x Derrick Lewis
Peso-médio: Chris Weidman x Ronaldo Jacaré
Peso-médio: David Branch x Jared Cannonier
Peso-médio: Karl Roberson x Jack Marshman
Peso-médio: Derek Brunson x Israel Adesanya

Card preliminar 
Peso-pena: Jason Knight x Jordan Rinaldi
Peso-mosca: Roxanne Modafferi x Sijara Eubanks
Peso-pena: Sheymon Moraes x Julio Arce
Peso-meio-médio: Lyman Good x Ben Saunders
Peso-leve: Lando Vannata x Matt Frevola
Peso-pena: Shane Burgos x Kurt Holobaugh
Peso-galo: Brian Kelleher x Montel Jackson

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade