Coluna da Arte Suave: a união e amizade existentes entre praticantes de Jiu-Jitsu e surfistas; leia e opine

    Em seu novo artigo, o professor Luiz Dias falou da união entre o Jiu-Jitsu e o Surfe (Foto reprodução)

    Por Luiz Dias

    Que Surfe e Jiu-Jitsu se completam, todos sabem. Das clássicas histórias que aconteceram, tendo as praias cariocas como cenários, é impossível que não tivessem surfistas lutadores e lutadores surfistas no meio. Muitos foram das ondas para os tatames e outros foram dos tatames para as ondas. Essa união é fantástica. Em muitos lugares que vou dar seminários onde têm ondas, acabo indo surfar com a galera local que fico conhecendo nos tatames e essas amizades ficam e já me fizeram voltar para mais treinos e “surftrips” diversas vezes.

    Nesta semana foi um desses reencontros que não foi uma tarde de trabalho. Foi uma tarde de amigos se reencontrando, relembrando fatos e casos, e muitas risadas. Principalmente por ter o faixa-coral Sergio Malibu contando fatos que ajudaram a construir a mística do Jiu-Jitsu – inclusive seu escudo tem três pranchas. Na mesa ainda estavam Claudio Cavalcante e Yago Rédua, da TATAME. O Jiu-Jitsu tem essa característica, sua história começou no Rio de Janeiro, misturada entre praias e tatames. A união e o companheirismo entre os lutadores é incrível, e na gravação de um programa, mais uma vez vivemos isso.

    Quando cheguei para gravar, encontrei amigos trazidos pelo Surfe e que o tempo ainda nos trouxe aos tatames. Da famosa Galeria River, marco do Surfe carioca, para os quimonos, e dos quimonos para as mídias de comunicação. Como o Jiu-Jitsu evoluiu em todos os aspectos e se fundiu com a história do Rio, entre as ondas e lutas, e conquistou o mundo.

    Ali, entre amigos, mesmo após o término da gravação, ficamos ainda conversando, relembrando momentos. Conversando sobre o Jiu-Jitsu e seus caminhos, ouvindo como o Jiu-Jitsu fez e ainda alavanca nossas vidas. O Jiu-Jitsu não é apenas uma arte marcial, é um estilo de vida, que vai da alimentação a maneira de pensar, encarar a vida. Você na luta vive na pressão, e a calma que você tem na luta ajuda a suportar a pressão da vida.

    Durante a gravação, a conversa acabava arrancando risos de todos nós, incluindo a equipe técnica da gravação. E creio esse ser o caminho, amizade nos tatames e nas ondas. Vamos deixar que as rivalidades fiquem apenas nas competições. O Jiu-Jitsu nos mantêm com a mente e o corpo em forma, com a autoestima em cima e a calma para suportar momentos de grande pressão na nossa vida particular, e esse tem que ser o espírito sempre.

    Eu posso garantir isso a vocês. Muitas vezes chegava para dar aula sob um difícil momento particular que atravessei e, ao ir treinar, dar aula, conversar com meus amigos e alunos, a arte suave sempre me acalmava e me fazia relaxar. Por várias vezes surfando, na pressão do mar, eu pensava debaixo da água tomando a onda na cabeça: “Sou faixa-preta, tá tranquilo”. Essa segurança o Jiu-Jitsu passa naturalmente para nós, essa capacidade.

    Para mais informações, veja https://www.instagram.com/luizdiasbjj/ ou entre em contato pelo e-mail geracao.artesuave@yahoo.com.br. Também conheça o http://www.geracaoartesuave.com.br/. Boa semana, bons treinos e até a próxima!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome