Anderson Berinja celebra chegada e estreia pelo UFC lutando na Argentina: ‘Realização de um sonho’

Publicado em 16/11/2018 por: Gabriel gabriel
Anderson Berinja celebra chegada e estreia pelo UFC lutando na Argentina: ‘Realização de um sonho’ Anderson Berinja foi campeão do SFT, venceu pelo Thunder Fight e agora chega ao UFC (Foto divulgação SFT)

publicidade

Por Gabriel Carvalho

Contratado de “última hora”, Anderson Berinja fará sua estreia pelo Ultimate neste sábado (17), quando ele enfrenta o inglês Nad Narimani na luta de abertura do UFC Fight Night 140, que acontece em Buenos Aires, na Argentina. Berinja aceitou a luta com pouco tempo de preparação, substituindo o peruano Enrique Barzola, que saiu lesionado do card.

Em entrevista à TATAME, Berinja contou que recebeu a notícia com a chance de lutar pelo Ultimate quando estava trabalhando. Ele recentemente venceu Aleandro Muca por decisão unânime dos jurados no Thunder Fight 17, que foi realizado no último dia 3 de novembro.

“Eu estava trabalhando a noite, meu manager me ligou e deu a notícia. Disse que estava negociando, mas já fiquei muito feliz na hora e três dias depois ele me ligou no mesmo horário dizendo que estava fechado. A emoção foi de realização desses oito anos no meio da luta, depois de 26 lutas. Sou um cara realizado e tive aquela sensação de cumprir um sonho, já que sempre foi meu grande sonho chegar no UFC. E consegui agora”, revelou o atleta natural de São Paulo, de 33 anos de idade e ex-campeão peso-galo do evento SFT.

Confira a entrevista na íntegra com Anderson Berinja:

– Surpresa com chegada no Ultimate

Foi algo que me surpreendeu. Cheguei a ter cartel de 12 vitórias e uma derrota, e nessa época sempre ficava na expectativa. ‘Ah, pode acontecer a qualquer momento’. Depois tive um momento ruim na minha carreira, muita coisa aconteceu nos bastidores com a minha equipe e na minha vida pessoal. Tive algumas derrotas, alternei muito vitórias e derrotas, e inclusive no último sábado (dia 3/11), quando venci a minha luta em São Paulo, agradeci muito a Deus e falei com a minha equipe que faziam três anos que eu não emplacava três vitórias seguidas. A expectativa, na verdade, era de talvez conseguir uma vaga no ‘Contender Series’, mas uma vaga direta assim eu não esperava, foi algo de Deus, do nada. Estava treinado, focado, limpo, tudo em dia, mas não esperava que fosse agora.

– Pouco tempo de preparo para a luta

Não tinha sido divulgado ainda, mas eu já tinha luta marcada para o começo de dezembro. Estava marcada, mas não assinada, era uma luta internacional. Eu estava esperando para assinar o contrato, que não tinha sido enviado ainda. Eu sai da luta do sábado e não me machuquei, não me cortei. Foi uma luta de três rounds, difícil, mas não sofri dano nenhum, nem machucado, nada. Sai inteiro, só tinha aquela dor física por conta do esforço. Descansei no domingo, fiz um treino bem solto na segunda-feira, que foi quando recebi a notícia, treinei na terça-feira de leve e sem me preocupar com a dieta, já que esses 15 dias eu utilizo para cuidar da dieta e bater 61kg, mas como essa luta foi em cima da hora e na categoria de cima, não precisei me preocupar com a dieta. Eu acelerei no final da semana passada e nesta semana estou treinando bem forte e me preocupando pouco com o peso.

– Quantidade de pressão para a estreia

Se eu estivesse de fora, vendo a situação, diria que o cara que está no card há mais tempo e é funcionário da casa há mais tempo, a obrigação de ganhar é dele. Mas como lutador, eu me coloco também em uma situação de que vou ali pra não perder, sempre pra vencer. Independente de ter pego a luta de última hora, ter tido pouco tempo para me preparar e ser na categoria de cima, estes são fatores que podem influenciar, mas na minha cabeça, independente do cara estar se preparando por mais tempo, a responsabilidade maior de vencer é dele, mas eu coloco bastante responsabilidade pra vencer em mim, pela minha família, honrar a oportunidade que Deus me deu, fazer uma grande luta e sair de lá com a vitória, por finalização ou nocaute. Pra mim, é importante chegar no evento com a vitória.

– O que vamos esperar do Berinja no UFC

Quem não me conhece pode esperar um lutador agressivo, que sempre anda pra frente e visando terminar as lutas. Eu tenho 20 vitórias na minha carreira, 16 por nocaute ou finalização. Minha última luta foi a quarta vitória por decisão. Podem esperar um cara sempre agressivo, que tenta finalizar e acabar com a luta. E o melhor de tudo hoje: me acho mais experiente e mais inteligente pra lutar. Vou com inteligência e agressividade.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 140
Buenos Aires, na Argentina
Sábado, 17 de novembro de 2018

Card principal
Peso-leve: Santiago Ponzinnibio x Neil Magny
Peso-pena: Ricardo Lamas x Darren Elkins
Peso-meio-pesado: Khalil Rountree x Johnny Walker
Peso-médio: Cezar Mutante x Ian Heinisch
Peso-galo: Guido Cannetti x Marlon Vera
Peso-palha: Cynthia Calvillo x Poliana Botelho

Card preliminar
Peso-meio-médio: Michel Trator x Bartosz Fabinski
Peso-mosca: Alexandre Pantoja x Ulka Sasaki
Peso-pena: Humberto Bandenay x Austin Arnett
Peso-meio-médio: Laureano Staropoli x Hector Aldana
Peso-leve: Devin Powell x Jesús Pinedo
Peso-pena: Nad Narimani x Anderson Berinja

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade