Do Bronx analisa revanche com Jim Miller no UFC Milwaukee e avisa: ‘Estarei um passo na frente dele’

    Do Bronx, com 11 finalizações, é o maior recordista de vitórias por submission no UFC (Foto: Getty Images)

    Por Yago Rédua

    Maior recordista de finalizações do Ultimate, com 11 vitórias, Charles do Bronx tem pela frente o último compromisso de 2018: a revanche com Jim Miller, no UFC on FOX 31, em Milwaukee, nos Estados Unidos, neste sábado (15). O faixa-preta de Jiu-Jitsu vai em busca da terceira vitória no ano após finalizar Clay GuidaChristos Giagos.

    No primeiro encontro entre os dois, há oito anos, no UFC 124, Miller venceu por finalização no round inicial. No entanto, Do Bronx acredita que vive o seu melhor um momento no UFC – tanto em pé, quanto no chão – em relação ao oponente e acredita no triunfo no sábado.

    “(Jim Miller) É um cara duríssimo em pé e no chão, tem uma trocação boa. Quero fazer aquilo que fez os fiz nas ultimas lutas, impondo o meu ritmo. Evolui muito na parte em pé. Tanto em pé, quanto no chão, estarei um passo na frente dele”, projetou à TATAME.

    Confira abaixo a entrevista na íntegra com Charles do Bronx:

    – Camp para o UFC Milwaukee

    O camp (para o UFC Milwaukee) foi perfeito. Fizemos um camp completo, nem parei, na verdade, né. Fiz três lutas na sequência e segui os treinamentos. Estou muito focado, treinando demais e quero fechar esse ano maravilhoso com chave de ouro.

    – Desejo de lutar no UFC Fortaleza

    Eu me mantive embalado, treinando, competindo Jiu-Jitsu e estou focado. Eu vencendo, já vou pedir para lutar no UFC Fortaleza (dia 2 de fevereiro). Quero me manter embalado dentro do UFC. Isso que eu escolhi para a minha vida. É o que eu amo fazer.

    – Sem pressão para aumentar recorde

    Acho que eu consegui quebrar (o recorde), porque em nenhum momento eu pensei em bater essa marca. Em São Paulo (no UFC) sempre dizia que queria nocautear. Contra o Guida a minha trocação estava melhor que a dele, ele me botou para baixo. Em São Paulo foi a mesma coisa. Está acontecendo naturalmente, porque eu não fico preocupado.

    – Competições de Jiu-Jitsu durante camp

    Eu estou tentando me manter focando em competições (de Jiu-Jitsu), acho que isso ajuda demais. Estou me colocando na reta nos campeonatos. Ganhei peso e absoluto no Eco Camp Jiu-Jitsu, lutei o Desafio Kamikaze e também fui campeão. O ano de 2019 promete muito e quero ficar mais perto do meu objetivo, que é o título do Ultimate.

    CARD COMPLETO

    UFC on FOX 31
    Milwaukee, Estados Unidos
    Sábado, 15 de dezembro de 2018

    Card principal
    Peso-leve: Kevin Lee x Al Iaquinta
    Peso-leve: Edson Barboza x Dan Hooker
    Peso-galo: Rob Font x Sergio Pettis
    Peso-leve: Jim Miller x Charles do Bronx

    Card preliminar
    Peso-meio-médio: Zak Ottow x Dwight Grant
    Peso-mosca: Jessica Rose-Clark x Andrea Lee
    Peso-leve: Bobby Green x Drakkar Klose
    Peso-leve: Jared Gordon x Netto BJJ
    Peso-médio: Gerald Meerschaert x Jack Hermansson
    Peso-pena: Dan Ige x Jordan Griffin
    Peso-meio-pesado: Adam Milstead x Mike Rodriguez
    Peso-médio: Trevor Smith x Zak Cummings
    Peso-pesado: Chris De La Rocha x Juan Adams

    1 COMENTÁRIO

    1. O CHARLES É, SEM DÚVIDA ALGUMA, O MAIOR LUTADOR DE JIU-JITSU QUE JÁ PASSOU PELO UFC, E NÃO SÓ EM VIRTUDE DAS 11 FINALIZAÇÕES QUE POSSUI, MAS PELA LEGITIMIDADE DE SUAS LUTAS, QUE NÃO FORAM CASADAS PENSANDO EM BENEFICIÁ-LO.

      O ROYCE, QUE POSSUI 10 FINALIZAÇÕES PELO UFC, UMA A MENOS QUE O CHARLES, NÃO ESTÁ LIVRE DA SUSPEITA DAS SUAS LUTAS TEREM SIDO CASADAS PARA BENEFICIÁ-LO (EM TESE), POIS O DIRETOR (FUNDADOR) DO UFC, NESTE TEMPO, ERA SEU IRMÃO RORION, QUE PODE TER CASADO AS LUTAS INICIAIS DO CIRCUITO DA MELHOR FORMA PARA BENEFICIAR O SEU IRMÃO ROYCE, QUE NUNCA SE VERÁ LIVRE DESSA SUSPEITA.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome