Amanda cita ‘respeito’ por Cyborg e fala sobre vitória: ‘Plano era deixar ela louca’

    Amanda explicou estratégia para luta contra Cyborg e revelou respeito pela compatriota (Foto Getty Images)

    A noite do último sábado (29) ficará marcada para sempre na memória do fã de MMA, em especial da “Leoa”. Amanda Nunes, que já era campeã dos galos, faturou o cinturão dos penas ao nocautear Cris Cyborg no UFC 232. Após a luta, em coletiva de imprensa, a baiana disse que a sua estratégia era deixar a compatriota “louca” dentro do octógono.

    “O momento chave da luta foi quando ela conectou os primeiros golpes. Eu me surpreendi, mas eu treinei para esperar aquela agressividade, aquele soco forte. Ela é forte, poderosa, eu respeito muito a Cris. Ela vem para decidir a luta, então você tem que estar esperando. Quando ela conectou, eu senti e pensei: vou colocar minha estratégia aqui que nada vai me parar. Se o melhor soco dela não me parou, nada vai me parar agora. Meus treinadores tinham me dito que quando eu acertasse a primeira, ela ia ficar louca, ia partir para cima tentando ‘me matar’. Esse foi o plano, deixar a Cris louca e acertar o cruzado por cima do jab. Eu estava preparada para absorver e atacar rápido”, apontou a campeã brasileira.

    A respeito de um novo desafio no UFC, Amanda disse que ainda é cedo para pensar nisso. A brasileira, que igualou os feitos de Conor McGregor e Daniel Cormier de ter dois cinturões simultâneos, afirmou que entrou para a história e é a “maior de todos os tempos”.

    “Eu acho que eu vou lutar com o Cormier agora! Tô brincando (risos)! Vamos ver daqui para frente. Essa noite é minha, não vou chamar ninguém, nem vou desafiar ninguém. Hoje não quero pensar em futuro. É o momento pelo qual esperei por toda minha vida, gosto de fazer história. E hoje fiz de novo: provei para mim e para todos que eu sou a melhor do mundo, a melhor de todos os tempos. Eu entrei para a história”, disse Amanda, que revelou seu respeito por Cyborg, principalmente por tudo o que ela fez pela divisão.

    “Eu sei que algumas pessoas vão estar triste pela Cris, mas faz parte do show: alguém tem que vencer, alguém tem que perder. E hoje eu ganhei. Ali no octógono falei com ela que a respeito muito por tudo que ela fez para a categoria”, encerrou a campeã dupla do UFC.

    6 COMENTÁRIOS

    1. amandaum calma nego para vc ser melhor do que a ciba tem que ficar 13 anos sem perder tem duas cintas sim espero a Revanche que a ciba merece poucos atletas ficaram sem perder por 10 anos o andinho o fedor o Aldo e a ciba sera que o amandaum vai quebrar este recorde?13 anos e tempo pra caralho kk forca as duas guerreiras tuopiniquins

    2. Todo esporte é assim; um vence, outro perde! Duas grandes atletas que merecem todo nosso respeito. Ambas levaram o Brasil ao mais alto grau do MMA feminino. Ambas estão de parabéns!

    3. Cyborg ainda é a melhor de todos os tempos, os números confirmam e dificilmente será superada. Infelizmente, seguiu o mesmo roteiro equivocado de Aldo ao enfrentar Conor, tentando finalizar a luta nos momentos iniciais para demonstrar sua superioridade. Por outro lado, ouvi-la é sempre uma experiência positiva, mesmo na derrota, ela está muito acima da concorrência, moral e espiritualmente.

    Responder a Carlos Henrique Lucena Cancelar resposta

    Comente
    Seu nome