Ariane Lipski analisa luta contra Calderwood no UFC Brooklyn: ‘Tudo pra ser uma das melhores da noite’

    Ariane Lipski vai estrear no Ultimate no UFC Brooklyn, no próximo dia 19 (Foto: Reprodução/Instagram)

    Por Gabriel Carvalho

    Ariane Lipski estreará no UFC em janeiro. A ex-campeã do KSW era esperada para lutar no Ultimate pela primeira vez em novembro, na Argentina, contra a ucraniana Maryna Moroz, que se lesionou e deixou a brasileira sem adversária. A organização agiu rápido e escalou Ariane contra Joanne Calderwood, no UFC Brooklyn, no próximo dia 19.

    Em entrevista à TATAME, Lipski comentou sobre a expectativa que tem para o confronto com a atleta que ocupa a 11ª posição no ranking peso-mosca do UFC.

    “Nossa luta tem tudo para ser uma das melhores da noite. Somos duas atletas strikers. Estou indo preparada para uma guerra, mas estou confiante do trabalho que temos feito até aqui, e acredito que podemos vencer a luta por nocaute”, comentou Ariane.

    Confira a entrevista na íntegra na Ariane Lipski:

    – Cancelamento de luta na Argentina

    No início, fiquei um pouco chateada porque queria lutar, mas depois fiquei conformada e feliz com a notícia de que lutaria nos Estados Unidos contra uma atleta Top-15, em janeiro.

    – Impacto financeiro pelo cancelamento

    O impacto é sempre negativo. Todo o custo da preparação acaba ficando com o atleta, e ele tem que esperar uma próxima luta para receber, o que atrapalha o planejamento.

    – Análise sobre Joanne Calderwood

    Essa parte é um pouco complicada de responder, porque revelaria toda a estratégia, mas pode ter certeza de que analisei os seus pontos fortes e principalmente os pontos fracos. Minha preparação está muito boa, pois eu já vinha em camp para a luta da Argentina, então só mantive o ritmo e tenho mais tempo para aprimorar ainda mais o meu jogo.

    – Tempo fora de ação

    É a primeira vez que fico tantos meses longe do cage, mas não estou sem treinar. Fiquei esses meses sem lutar, porque estava na transição do KSW para o UFC, então estou evoluindo neste período. Acho que esse tempo longe do cage me trouxe maturidade como atleta, e acredito que me deixou ainda mais preparada para fazer minha estreia no UFC.

     

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome