Campeão da PFL, Philipe revela o que fará com prêmio de US$ 1 milhão e brinca: ‘Queria lutar com o Cormier’

Philipe Lins foi campeão da primeira temporada da PFL e levou o cinturão dos pesados (Foto divulgação PFL)

Por Yago Rédua

A temporada 2018 foi incrível para o brasileiro Philipe Lins. O peso-pesado participou do inovador torneio da PFL (Professional Fighters League), venceu quatro lutas e faturou o cinturão ao nocautear Josh Copeland na grande final. Além disso, ganhou o prêmio de US$ 1 milhão no dia 31 de dezembro, no Madison Square Garden, em Nova York (EUA).

Em bate-papo com a TATAME após a consagração no evento, o potiguar fez uma análise da sua trajetória na PFL. E em exercício de imaginar qual peso-pesado gostaria de enfrentar independentemente da organização, o campeão pensou em Daniel Cormier do UFC.

“Tem muito peso-pesado bom aí (risos)… Mas um que eu gostaria de lutar é o Daniel Cormier (risos)”, apontou o brasileiro, em tom descontraído, sobre o campeão do Ultimate.

Confira na íntegra a entrevista com Philipe Lins:

– Experiência de lutar no MSG, em Nova York

Foi uma experiência muito boa. Muitos lutadores já deixaram o sangue lá. Ser campeão, ganhar o cinturão… Foi uma virada de ano para ficar marcada na minha história e na vida.

– Objetivo para o prêmio de US$ 1 milhão

Quero ajudar os meus pais no Brasil, fazer um investimento, comprar uma casa para eu continuar morando aqui nos Estados Unidos e tirar umas férias com a minha família.

– Futuro na PFL e valorização na bolsa

Esse ano agora de 2019 eu tenho contrato até o fim do ano com a PFL, tenho que cumprir. É uma organização que esse ano vai crescer ainda mais em relação ao ano passado, que por sinal, já foi uma temporada muito boa. Me sinto feliz aqui e o meu empresário está negociando uma bolsa melhor, então, pretendo continuar na PFL sim para a sequência.

– Sucesso da PFL na primeira temporada

A primeira temporada da PFL foi para ficar na história. As datas, lutas, cronograma… Tudo certinho. Para os atletas isso é muito bom, porque sabemos fazer uma periodização melhor do nosso tempo de descanso e mais. Creio que é um formato que tem tudo pra dar certo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente
Seu nome