‘Cria’ de Caio Terra, Rudson Mateus analisa King of Mats e avisa: ‘2019 será o meu ano’; veja

Publicado em 10/01/2019 por: Nilmon
‘Cria’ de Caio Terra, Rudson Mateus analisa King of Mats e avisa: ‘2019 será o meu ano’; veja

publicidade

Rudson Mateus, 23 anos, vai envergar seu quimono de competição neste sábado (12), em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Pelo King of Mats até 85kg, que vai contemplar o campeão com 10 mil dólares, o aluno de Caio Terra está escalado no grupo A, ao lado de Gabriel Arges (Gracie Barra), Espen Mathiesen (Kimura), Caio Caetano (Brotherhood), e Lucas Hulk (Atos). O grupo B é formado por Isaque Bahiense (Alliance), Manuel Ribamar (Unity/Rodrigo Pinheiro), Roberto Satoshi (Bonsai), Diego Ramalho (ZR Team) e DJ Jackson (Lloyd Irvin).

Acostumado a lutar 10 minutos em torneios fora da UAEJJF, federação de Abu Dhabi, Rudson analisa o erro que um faixa-preta não pode cometer num duelo de seis minutos no King of Mats.

“Como seis minutos é um tempo curto, um faixa-preta não pode errar no lance inicial de luta. Quando começa perdendo por 2 a 0, é muito difícil correr atrás. A estratégia é começar na frente”, comentou o atleta, antes de destrinchar seu grupo.

“A chave está muito boa, muito legal. Dá para eu sair com o primeiro lugar, quero começar o ano no topo e fechar o ano de 2019 no topo. Esse ano vai ser meu ano, estou treinando duro para fazer acontecer. ”

Por conta das festas de fim de ano e a baixa de alguns alunos na academia, Rudson dedicou parte do seu tempo aos estudos e a preparação física, como ele mesmo explica, a seguir.

“Como foi final de ano e o número de pessoas diminuiu na academia, eu priorizei mais a preparação física, pois o principal, no momento, para mim, era o gás. Meu treino foi voltado para eu ter uma boa performance em seis minutos”, disse o jovem lutador.

Lapidado por Caio Terra em San José, na Califórnia, Rudson também fez questão de falar das lições que aprende com o professor para ser bem sucedido, dentro e fora dos matames.

“O Caio é muito competitivo mesmo e, hoje, o maior exemplo que ele dá para gente é treinar. Para alcançar os nossos objetivos, não tem mistério mesmo, não. Para ter sucesso na vida, você tem que ralar e trabalhar duro. Eu olho para o Caio e o vejo como um exemplo a ser seguido, eu vou dar o meu sangue para conquistar meus objetivos. Daqui a 10 anos, quero olhar para trás e ver todas as coisas boas que conquistei”, encerrou.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade