Presidente do Bellator revela que Wanderlei Silva só lutará através de liberação médica; entenda

    Wanderlei Silva precisará passar por exames caso queira lutar novamente (Foto Bellator MMA)

    Com uma longa trajetória no MMA, contabilizando 51 lutas em sua carreira, sendo 35 vitórias, 14 derrotas, um empate e uma luta sem resultado, Wanderlei Silva, aos 42 anos, ainda luta profissionalmente e, recentemente, através de uma declaração, revelou que possuía oito dos dez sintomas que diagnosticam concussão cerebral, ligando um sinal de alerta às autoridades do Bellator, organização onde o brasileiro possui contrato atualmente.

    Prova disso é que, em entrevista ao site MMA Fighting, o presidente da franquia, Scott Coker, revelou que só pretende autorizar Wanderlei a lutar pelo Bellator caso o atleta passe por exames detalhados e profundos em um hospital americano e, consequentemente, seja liberado para exercer suas atividades.

    “A segurança dos lutadores vem sempre em primeiro lugar. Se ele está lesionado ou tem sintomas de concussão cerebral, não vamos colocá-lo para lutar novamente. Não faz nenhum sentido. Se Wanderlei Silva quiser voltar a lutar, ele terá que ser liberado completamente por uma clínica em Cleveland. Nós vamos mandá-lo para lá para nos certificarmos de que está tudo bem”, disse o mandatário, que ressaltou a importância do “Cachorro Louco” preservar sua saúde.

    “Eu sou fã de Wanderlei Silva. O que mais ele precisa fazer? O cara é uma lenda. Ele não precisa mais lutar para construir o seu legado. ele luta porque quer lutar. Mas, se ele tiver problemas sérios, é preciso que ele se cuide, porque esses problemas são para sempre, e isso é algo com o que não podemos compactuar”, concluiu.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome