Mário Reis opina sobre briga generalizada no BJJ Stars e Erberth Santos: ‘Vai aprender com isso’

    Mário Reis é considerado um dos principais treinadores do mundo do Jiu-Jitsu (Foto reprodução)

    Por Mateus Machado

    Multicampeão como competidor e treinador, onde atualmente comanda sua própria equipe em Porto Alegre, Mário Reis esteve presente no histórico BJJ Stars, realizado no último sábado (23), no Clube Hebraica, em São Paulo. O professor compareceu à edição para auxiliar seu atleta, Nicholas Meregali, que venceu Leandro Lo em uma das principais lutas do evento.

    No entanto, infelizmente, Mário também presenciou à briga generalizada que ocorreu no duelo principal do evento, onde Erberth Santos, após alegar lesão no joelho, trocou ofensas verbais e partiu para cima de integrantes da equipe de Felipe Preguiça, seu adversário em questão. A luta não retornou e, desta forma, Preguiça foi declarado vencedor.

    Em entrevista exclusiva à TATAME, Mário Reis, considerado um dos principais treinadores de Jiu-Jitsu no mundo à frente da Alliance, deu sua opinião sobre a grande confusão, falando especificamente sobre Erberth, lutador que possui um perfil polêmico.

    “Quem sou eu para julgar? Todas as experiências, sejam elas positivas ou negativas, nós estamos sempre aprendendo. Quem nunca errou na vida? Eu sou um cara que na minha vida já decepcionei, errei, fui mau caráter, já machuquei pessoas que me amavam, então eu acredito que todas as experiências ruins que passei me fizeram ser o Mário que sou hoje. Acredito que essa experiência que o Erberth viveu e que todos puderam ver e tirar as próprias conclusões, ele também vai ser um cara que vai amadurecer muito em relação á essa experiência que ele viveu. Não quero julgar ninguém, porque acho que todo mundo faz coisas erradas e todos também tropeçam e caem. Acho que o ser humano, hoje, precisa entender que no mundo as experiências negativas não podem ser chamadas de problemas, e sim como soluções, para que a gente melhores as nossas fragilidades e defeitos. Ele vai se construir, vai aprender e crescer muito com essa experiência”, disse Mário, que seguiu falando sobre o caso ao ser questionado se Erberth Santos deveria receber uma punição pelo ocorrido.

    “O ser humano tem que parar com essa história de punir um ao outro. A vida, em si, ensina a gente, ela pune e é perfeita. Acredito que o Erberth não precise de um homem punindo ele. Acho que ele vai, cada vez mais, aprender e amadurecer com os acontecimentos e experiências que ele viver. É nisso que acredito, realmente. Eu fui assim, o Nicholas (Meregali) foi assim, e acredito que todos os grandes homens na vida também foram”.

    A respeito das provocações entre lutadores visando promover a luta, prática que é conhecida no mundo como “trash talk” e que virou popular, principalmente, no MMA, Mário considera que não há problema dos lutadores de Jiu-Jitsu adotarem cada vez mais esse processo, desde que não seja algo “forçado”.

    “Em relação às provocações, eu acho que tem que vir de dentro de cada um, não pode ser uma coisa forçada. Já tivemos vários exemplos disso, o próprio Conor McGregor, que ficou milionário pelas provocações dele. Claro que ele também é um cara extremamente competente, buscou cinturões e ia ficar milionário de qualquer jeito, mas o ‘trash talk’ fez ele ir para um outro nível, porque vendeu demais. Tinha gente com muito mais sucesso que ele, e o Conor, através dessa característica, conseguiu uma prosperidade financeira muito maior do que muitos com mais autoridade no mundo da luta do que ele. O principal é que isso seja uma verdade que esteja dentro da pessoa, e não um negócio para promover, senão a gente estará colocando uma máscara por cima da nossa essência. A essência precisa estar acima de qualquer coisa”, encerrou.

    25 COMENTÁRIOS

    1. Amigo infelizmente ele é um delinquente deve ser punido sim pôs em risco a integridade das pessoas que estavam assinstindo e ainda pior destruiu a imagem do esporte que sempre foi marginalizado pela violencia de seua praticantes , um atleta profissional não tem este direito!! Oss

    2. Que papinho patético. Típico dessa geração de desajustados que vemos hoje. Por causa de um delinquente desses é que o JJ é mau visto por aí.

      • Essa geração está com o ego muito inflado. Jovens lutadores muitos talentosos tanto como arrogantes. Rivalidade é bom, eleva o nível do esporte mas precisa manter a origem que é o respeito. A ultima grande Rivalidade bonita foi do Buchecha e do Rodolfo, grandes lutas com respeito mutuo. Não podemos esquecer que o exemplo tem que vir dos Mestres. A pouco tempo tivemos um grande mestre Gracie dando uma cotovelada covarde no rosto de um outro Mestre ficar por isso mesmo.

    3. O covarde derrubou uma menina no chão, fingiu uma contusão que não existiu, não punir e’ a mesma coisa que dar crédito. Se ele fosse homem, ele iria pra cima do Preguiça. Agora, vc Mario Reis, e’ mais covarde ainda, por ser lider da Alliance deveria falar coisas com sentido. Erberth ja agrediu pessoas, deu cotovelada no passado, etc. Infeliz comentario vindo de um lider de uma academia respeitada que tem o Gurgel como líder. Espero que o Gurgel te mande a merda, por esses comentarios..

    4. Muito feliz suas colocações Mario Reis, de uma ponderação incrível, sem parcialidade e olhando o mundo como ele é: formado de seres humanos.
      Parabéns!!!

    5. Respeito todas opiniões,mas acho que nessa situação a punição, seja perda de patrocínio ou um tempo sem poder lutar seria no mínimo um desincentivo para futuros destempero. A moralidade de um faixa preta campeão tem de ser inquestionável!! Vivemos de exemplos e não de exceções!! Jigoro kano Conde Koma !! Ooosss

    6. Sinceramente tem que ser banido do jiu-jitsu esse cara é tudo de ruim que existe ,nas artes marciais por esse tipo de vagabundo, disfarçado de faixa preta é que tem vários idiotas que se acham vergonha , machucou o joelho mas pra corre bate em mulher tava bom vagabundo,lixo Hebert Santos .

    7. Discordo veementemente! Se não punir não aprende. Vai repetir e repetir e continuar prejudicando quem vive do esporte e crianças q poderiam se beneficiar do JJ e nunca terão essa oportunidade, pois os pais optam por outros esportes com receio da formação de caráter de seus menores. A vida ensina sim, mas dependemos de regras e disciplina para serem seguidas. Publicação infeliz, pois outras opiniões deveriam estar explícitas na mesma matéria como forma de comparação.

    8. Não é a questão julgamento sobre seres humanos que se é tratado neste caso. É questão atleta que deve ser analisada. Quanto ao julgamento ser humano,somente DEUS pode fazer,mas as regras são claras e para todos. Uma confusão dessa poderia ter levado alguém à óbito. Tanto as confederações assim como os mestres, não devem passar a mão por cima desta situação. Acredito no respeito que cada mestre tenta passar para o seu atleta tornando um mundo melhor sem violência e com respeito ao próximo.Pessoas adultas sabem o que estão fazendo muito bem! Por isso o Jiu Jitsu está esta bagunça, não tem regras claras e todo mundo faz o que quer. Atletas de alto rendimento são exemplos para a nova geração.Eu sou mãe de atleta e se fosse meu filho que tivesse feito isto eu mesma teria tirado a faixa preta dele,pois não foi somente sobre nãose controlar, foi sobre mentir que estava machucado, quantas vezes ele já não fez isso para parar uma luta? Foi sobre não respeitar as pessoas q estavam lá, sobre não se importar com os adversários, colegas, equipe, patrocinadores,sobre os brasieliros! Se ele não dá a mínima pra isto sai fora, se não estava aguentando sai fora, mas sai de cabeça erguida! Por isso precisa sofrer punição para aprender algo sobre Respeito.

    9. A puniçao ou não, nãi deve ser somente por ele merecer ou não, nem pra que ele melhore ou que aprenda com seus erros na vida ou não. E sim para demonstrar que desde o momento que ele causa prejuiso ou dor a terceiros de forma culposa ou deliberada falta de carater ou profissionalismo naquele momento…. tem sim que ser punido dentro da lei, pre determinada ou não por altoridades competentes,. Com esse seu pensamento esta quase querendo dizer que o mundo é uma escola de idiotas onde podem fazer oq quiserem ate q aprendam por conta ou conciencia propia com seus erros… e foda-se os empresarios, fãs, adversarios ou otras pessoas que sofreram prejuizo com isso.
      Pessimo. Comentario.

    10. Eu não concordo com o Mário Reis. Toda ação tem uma reação. Pessoas foram prejudicadas com o acontecimento, graça a Deus que ninguém se machucou, tinha crianças, mulheres e alguém poderia se machucar gravemente no tumulto. Essa imagem passou para o mundo todo. Agora falar que não deve que ter punição !!! É demai#. Lógico que a vida vai ensinar…..mas não é assim que funciona uma sociedade de direito. Quem não errou na vida ? Mas aqui se paga pelos atos cometidos, senão vira anarquia. Ali se praticou um crime de lesão corporal, dano moral e etc. Se fosse nos EUA, estaria preso. A punição vai ajudar ou não a ele amadurecer.

    11. Ridículo. Tem que ser punido sim! Se não vira zona e arte marcial não é casa da mãe Joana. A vida ensina quando o homem pune. Esse papo ai é de gente doutrinada, o mesmo tipo que acha que não pode dar tapa em criança birrenta e termina com filhos horriveis e folgados defecando em suas cabeças. Por isso o mundo tá essa zona… muita compreensão e pouca ação.

      É assim que se inverte valores e bandido vira exemplo e vitima da sociedade.

      O cara pode se arrepender e melhorar, mas antes vai ser punido sim! Toda ação tem reação e consequência!

      Pior é rebaixar a arte marcial ao nível de show estúpido que o MMA tem.

      Lamentável

    12. Que sejam tomadas as devidas providências,
      quanto ao fato que ocorreu neste evento em
      uma punição justa,temos uma Federação e cabe a eles esse julgamento.Respeito todas opiniões,e sem exceções todos podemos um dia errar e atraves dos erros que apren-demos,e errar esta em todos aspectos em nossa vida.

    13. Dever haver uma punição severa, mas não o banimento. Uma suspensão de 01 ano já é o ideal, ele que fique treinando na sua academia. Porque o esporte ficou com a imagem machada pela atitude do multicampeão que é seguido pelas redes sociais, por crianças e adolescentes. O esporte está sendo ensinado em escolas e projetos sociais e prezamos muito pelo comportamento do atleta dentro e fora do dojo.

      Apesar que na minha opinião são as atitudes desse atleta visam deixá-lo, para posterior entrada noutro esporte o MMA, como sendo o Bad Boy, cara mau do jiu-jitsu. Ótimo atleta, não o conheço pessoalmente, mas demostra grandes falhas como ser humano.

    14. “O ser humano tem que parar com essa história de punir um ao outro. A vida, em si, ensina a gente, ela pune e é perfeita.“ se voce realmente falo isso e lamentavel entao se alguem matar seus filhos sua mae estrupar nao deve ser punido na forma da lei????????

    15. Acho que o Eberth vai tirar um aprendizado disso, ele deve sofrer uma pena disciplinar, não podemos esquecer o quão essas atitudes em um evento que foi transmitido ao vivo pela internet, pode prejudicar professores que vivem da aula de Jiu-jitsu, atletas que dependem de grandes empresas que os patrocinam, a inclusão do esporte nas escolas, então não vejo motivo para ficar no 0x0, eu mesmo já errei em outras situações, e paguei pelo meu erro, e assim segue a vida.

    16. Acha que ele não deve ser punido? Por favor! Esse cara tem que ser preso, nem lutar mais. É um descontrolado e sem condições de viver em sociedade. Vergonha para o jiu-jitsu. E vergonha também a arrogância do aluno do Mario Reis após a luta: “agora sei que serei o rei do esporte?” Vergonha!

    17. De fato a vida nos ensina porem as punições tem sim seu papel de disciplinar, penso qur as punições não deve ser.exercida para destruir mas sim para resgatar. Respeito Mario Reis mas discordo dessa ideia de não haver nehuma punição eu posso ser o melhor cara do mindo mas se eu fizer algo grave eu tenho que ser punido sim a punição faz parte das consequencias de nossas ações, não é para destruir mas resgatar!!!

    18. Muito bonito e tal, mas ele estava no seu ambiente de trabalho. Traduza trash talk que faz todo o sentido.
      Homem, aprender com erros, etc e tal. Mas lá era seu ambiente de trabalho e representando um esporte.
      As federações devem mostrar que possuem regras e controle, senão, todo mundo terá uma imagem que jiujitsu é bagunça.

      Os erros dele, o aprendizado dele como homem e como ser-humano, ok, mas em ambiente de trabalho não tem mimi, tem que ser punido para saber que existem regras.

      Então no MMA o cara sai do octógono e sai distribuindo porrada na platéia e todo mundo vai achar bonito? Que foi para promover a luta?

      Cada um com sua opinião e eu respeito a sua. Mas eu já tenho uma forma diferente de pensar. Eu acho que essas provocações valem como pilha mesmo, não devem ser levadas a sério. Luta e luta, briga é briga!

      Valeu campeão! Muita paz!

    19. não concordo! “Passando a mão na cabeça” não vai endireitar ninguém somente punições disciplinares enérgicas vão desencorajar futuros incidentes! Já passou da hora de mostrar ao Brasil e ao mundo que não somos um bando de desordeiros como acontecia na década de 60

    20. Descordo em gênero e numero com nosso ilustre ai acima… sou praticante da arte suave , e professor de Educação física , pedagogo …. lastimável e injustificavel , a agressão feita a uma mulher , diga-se de passagem aqui , da outra equipe … fato que deve ser apurado pelas forças policiais sim , e gerar as punições judiciais cabíveis a este meliante… O que presenciei ali não é um “fato para aprendizado” , as punições fortes e severas de uma federação tem que focar justamente demonstrar o repudio a atitudes do tipo no meio , assim como servir de inibidora para as novas gerações de praticantes que ai estão virem a seguir … Penso no que falar para alunos meus de 8 a 10 anos, de escolas , que tanto enalteci o jiu-jitsu a seus pais para pratica destes … ser um faixa preta em qualquer arte , vai além do tatame e quesitos técnicos , estende-se as atitudes e condutas levadas na vida , a maior força de um graduado está no equilíbrio mental , força de controle pessoal … e entender sim que para todo erro há de ter uma punição e consequência.

    21. Nossa, que falta de posicionamento. Esse papinho de auto-ajuda de ahhh não quero julgar… querendo atenuar o comportamento desequilibrado do rapaz, que ainda é faixa-preta… tem que punir sim para ele aprender. Esse rapaz não é criança e merece no minimo responder processo. Mário Reis…rsrs

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome