Assunção critica Cejudo x TJ e ‘cobra’ luta pelo título com vitória sobre Marlon

Publicado em 02/02/2019 por: Nilmon
Assunção critica Cejudo x TJ e ‘cobra’ luta pelo título com vitória sobre Marlon

publicidade

Por Diogo Santarém

Escalado para fazer a luta principal do UFC Fortaleza, neste sábado (12), diante do compatriota Marlon Moraes, o brasileiro Raphael Assunção traz boas lembranças da capital cearense para o encontro. Animado com o combate, que teoricamente garante ao vencedor a chance de disputar o cinturão peso-galo do Ultimate – hoje em posso de TJ Dillashaw -, Raphael falou em entrevista à TATAME sobre sua expectativa para o duelo.

“Estou animado, com certeza. Tenho boas lembranças de Fortaleza e quero manter essa boa memória. O fechamento da luta começou com rumores, no início eu não me interessei muito pela revanche, pois acho que já estou credenciado para disputar o cinturão. Porém, o Marlon queria a luta, ele está vindo de uma sequência legal e o UFC decidiu casar, então, negociamos e acertamos”, contou Assunção, que ainda complementou sobre o casamento.

“No negócio do UFC, o patrão (Dana White) sempre decide. Em contrato, nada no UFC é garantido. Mas verbalmente foi dito isso, que o vencedor seria o próxima da fila do título”.

O primeiro duelo entre Marlon e Raphael aconteceu em junho de 2017, quando em luta muito apertada, Assunção saiu vitorioso por decisão dividida dos jurados. Para o reencontro, o pernambucano garante que traz armas novas, sempre atento ao jogo.

“A gente sempre estuda um ao outro, as brechas, as vantagens que temos um sobre o outro. Eu sou um tipo de atleta que sempre quer aprender, evoluir, sou muito critico com meu próprio jogo. Não achei legal minha última luta, por exemplo. Eu ganhei, mas mesmo assim não foi legal. Eu entendo isso e uso para evoluir”, revelou o peso-galo,  citando seu triunfo por decisão unânime contra Rob Font, em junho do ano passado, pelo UFC 226.

A respeito da parte de business, considerada uma das principais para “travar” uma subida de Raphael na categoria dos galos, o lutador brasileiro garante que hoje em dia entende melhor do assunto, mas mesmo assim não concordou com Henry Cejudo x TJ Dillashaw.

“Hoje dia eu entendo mais desse lado business, mas eu achei meio nada a ver, acho que eles quiseram fazer uma presença para o Cejudo pois a categoria dele vai acabar, não sei explicar, mas foi uma besteira, pra mim. Só enrolou a nossa divisão, não foi legal (a disputa de cinturão dos moscas entre Cejudo e o campeão peso-galo Dillashaw)”, disse.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 144
Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza (CE)
Sábado, 2 de fevereiro de 2019

Card principal
Peso-galo: Raphael Assunção x Marlon Moraes
Peso-pena: José Aldo x Renato Moicano
Peso-meio-médio: Demian Maia x Lyman Good
Peso-leve: Charles do Bronx x David Teymur
Peso-meio-pesado: Johnny Walker x Justin Ledet
Peso-palha: Livinha Souza x Sarah Frota

Card preliminar
Peso-médio: Anthony Hernandez x Markus Maluko
Peso-mosca: Mara Romero Borella x Taila Santos
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Max Griffin
Peso-pesado: Júnior Albini x Jairzinho Rozenstruik
Peso-galo: Ricardo Carcacinha x Said Nurmagomedov
Peso-mosca: Magomed Bibulatov x Rogério Bontorin
Peso-pena: Geraldo de Freitas x Felipe Cabocão

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade