Com bicampeã olímpica e ex-lutadoras do UFC, PFL anuncia nomes para ‘milionário’ GP feminino; confira

A bicampeã olímpica Kayla Harrison é um dos nomes confirmados no GP (Foto divulgação PFL)

Após anunciar, na última semana, sua nova temporada, que contará com cinco campeões e outros quatro finalistas dos GPs disputados em 2018, a PFL (Professional Fighters League) confirmou oficialmente a realização de seu primeiro Grand Prix feminino, que acontecerá na divisão peso-leve e, assim como nos torneios masculinos, terá US$ 1 milhão de premiação.

O GP feminino peso-leve será liderado pela judoca bicampeã olímpica Kayla Harrison, que fez sua estreia no MMA justamente pela PFL em 2018, conquistando três vitórias, sendo duas delas por nocaute. Outro nome de destaque é a canadense Sarah Kaufman, de 33 anos, que já foi campeã dos eventos Strikeforce e Invicta FC, além de ter passado no UFC.

O torneio terá, ao todo, oito lutadoras, e além de Kayla Harrison e Sarah Kaufman, contará com Genah Fabian (1-0), neozelandesa campeã mundial de Muay Thai; a kickboxer canadense Bobbi-Jo Dalziel (4-0); a russa Svetlana Khautova (2-0), oriunda do Muay Thai; a brasileira Roberta Samad (4-1), faixa-preta de Jiu-Jitsu; a americana Morgan Freir (4-1) e a experiente brasileira Larissa Pacheco (11-2), que também já passou pelo Ultimate.

Vale ressaltar que Harrison, Fabian, Dalziel, Khautova, Samad e Frier já competiram no peso leve ou em categorias mais pesadas, enquanto Kaufman e Pacheco passaram a maior parte de suas carreiras lutando na divisão peso-galo, uma abaixo da que será no GP.

O GP feminino se junta a outros cinco torneios masculinos da PFL em 2019. Os Grand Prix contarão com temporada regular, playoffs e finais por categoria, este último no dia 31 de dezembro, onde os cobiçados prêmios de 1 milhão de dólares estarão em disputa.

1 COMENTÁRIO

  1. SEM DÚVIDA, A KAYLA HARRISON SERIA A OPONENTE IDEAL PARA QUEBRAR A CARA DA GABI GARCIA, POIS É UMA LUTADORA TÉCNICA E FORTE. A GABI, ATÉ AGORA, NÃO CONVENCEU, PORQUE NÃO ENFRENTOU NENHUMA LUTADORA DO SEU PORTE FÍSICO. CHEGANDO A FAZER LUTAS COM OPONENTES RIDÍCULAS: IDOSAS, BEM MENORES E SEM A MÍNIMA CONDIÇÃO TÉCNICA. A KAYLA HARRISON TERIA TOTAL POSSIBILIDADE DE NOCAUTEAR OU FINALIZAR A GABI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente
Seu nome