Campeões do Circuito Rio Mineirinho em 2018 competem no Grand Slam de Londres e descrevem sentimento

    Marcos Junior, Rogério Gavazza (presidente da FJJD-Rio), Talles Vieira e Igor Lins em Londres (Foto reprodução)

    No último fim de semana, três campeões do Circuito Rio Mineirinho em 2018 competiram no Grand Slam da UAEJJF em Londres. Os lutadores Igor Lins e Marcos Junior, da GFTeam, além de Talles Vieira, da Game Fight, ganharam as passagens pelo ranking da FJJD-Rio e CBJJD. Desta forma, tiveram a oportunidade de ter a experiência no Jiu-Jitsu internacional.

    Talles e Marcos já tinham participado do World Pro, em Abu Dhabi (EAU), também via passagens da FJJD-Rio. Já Igor saiu do Brasil pela primeira vez para lutar. Nenhum dos tês conseguiu o título, no entanto, trouxeram sabedoria e experiência da viagem a Inglaterra.

    Quem teve o melhor desempenho foi Marcos Junior, que perdeu a disputa de terceiro lugar. Já Igor Lins perdeu na primeira luta. Talles Viera foi derrotado por W.O. Segundo relato do faixa-preta, adiantaram o cronograma da divisão em 20 minutos, o que ocasionou em algumas lutas não sendo realizadas na categoria. No entanto, o regulamento oficial da UAEJJF exige que os atletas estejam na área de luta 45 minutos antes do início da chave.

    A TATAME conversou com os três, que afirmaram foco no atual Circuito Rio Mineirinho em 2019. A próxima etapa, o Troféu Brasil, acontece nos dias 23 e 24 de março, no Velódromo do Parque Olímpico, na Zona Oeste do Rio. As inscrições podem ser feitas clicando aqui.

    Confira abaixo os depoimentos dos atletas:

    – Marcos Junior (GFTeam)

    Já havia participado do World Pro em Abu Dhabi com a passagem que ganhei no ranking em 2016 da FJJD-Rio. Foi uma experiência muito boa, um campeonato de alto nível e eu perdi na disputa de 3° lugar. Fiz boas lutas e espero voltar ano que vem. Vou tentar novamente o ranking, as premiações são um atrativo e em 2019 espero ganhar de novo.

    – Talles Vieira (Game Fight)

    É a segunda vez que saio do Brasil através do Jiu-Jitsu. Qualquer experiência nova é um ganho, é um item a mais no currículo. Infelizmente, não fui capaz de entregar o resultado almejado. Vim extremamente preparado, me doei mais de 200% para esse evento, contudo, fui desclassificado por W.O. Estava na área de luta 20 minutos antes do horário previsto para minha luta, porém, os organizadores anteciparam todas as lutas, desclassificando grande parte dos atletas. A título de exemplo tiveram atletas que foram direto para a final, pulando de duas a três lutas por W.O. Como tudo na vida é um aprendizado, vou colocar mais esse no meu currículo. Agradeço muito a FJJD-Rio por me proporcionar esta viagem! O ano só começou, e quem sabe não vem o tri este ano (risos).

    – Igor Lins (GFTeam)

    É a primeira vez que saio do Brasil e foi o Jiu-Jitsu que aprendo desde minha faixa branca com meu mestre e professor Theodoro Canal que me proporcionou a primeira experiência internacional. Levo de aprendizado para o Brasil um pouco mais de experiência de como é ser um atleta. Foi uma experiência incrível, sensação única estar lutando fora do meu país, fora da minha zona de conforto. Eu acabei sendo parado na primeira luta, foi uma luta muito dura com o finalista da categoria. Agora é voltar pra casa, corrigir os erros e voltar no próximo ano. Vou manter o foco, já ganhei a primeira etapa de 2019 e vou até o final.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome