Multicampeão, Rômulo Barral detalha ‘nova era’ como professor e empresário antes do KASAI Pro 5

    Conciliando rotina como professor e empresário, Barral segue fazendo superlutas (Foto reprodução)

    Por Vitor Freitas

    Pentacampeão mundial de Jiu-Jitsu e campeão do ADCC, o mineiro Rômulo Barral fez história em sua trajetória no esporte. Hoje radicado em Northridge, Los Angeles (EUA), o faixa-preta da Gracie Barra vive a vida com a mesma empolgação de quem começou anos atrás, só que mais maduro e inteligente para administrar sua academia e sua nova marca, a “Everyday Porrada”, e ainda treinar em alto nível com seu esquadrão de atletas de elita, liderados por Gabriel Arges, Edwin Najmi, Felipe Preguiça, Felipe Trovo e Victor Silvério.

    Aos 36 anos e em nova fase profissional, agora também como empresário, “Rominho” abriu o jogo em entrevista exclusiva à TATAME e falou sobre o início do movimento “Everyday Porrada”, sua vida de empreendedor, além de analisar a superluta contra Marcos Tinoco no KASAI Pro 5, marcado para acontecer dia 6 de abril, em Nova York, nos Estados Unidos.

    Confira a entrevista com Barral na íntegra:

    – Como está essa sua nova fase de empreendedor e o “Everyday Porrada”?

    Na verdade, a gente já é empreendedor há um tempo. Estamos empreendendo com a academia, DVDs, seminários e produtos dentro da academia. Estamos sempre tentando prover o que há de melhor para nossa família, porque eles merecem. O ‘Everyday Porrada’, com certeza, é como se fosse um novo bebê para mim. Estou muito animado e empolgado com a ideia desse projeto, não só pelo fato de ser um empreendimento novo, mas sim por estar ajudando pessoas ao redor do mundo, impactando a vida das pessoas de forma positiva. É um conceito novo e todo mundo abraçou essa ideia. Nós conseguimos que todos da comunidade da luta abraçassem a ideia, os campeões do UFC, os campeões do Jiu-Jitsu, que são realmente ‘Everyday Porrada’. Muita gente fora do Jiu-Jitsu, como cantores, jogadores de futebol, atores e atrizes, também abraçou essa ideia e viu que é bem legal. Estou bem orgulho do movimento ‘Everyday Porrada’ e sei da proporção bem grande que isso pode levar. Não sei se todos lembram daquele ‘Just do It’, da Nike, e agora é o ‘Everyday Porrada’, do Rômulo Barral, chegando em todos os cantos do mundo (risos).

    – Que lições você levou do Jiu-Jitsu para ser um empreendedor de sucesso?

    Eu acho que a principal lição que a gente aprende no Jiu-Jitsu é a de cair, né. Se a gente tomar queda, a gente tem que levantar. Você aprende a cair e a levantar. Nós precisamos saber que vão ter vários caminhos difíceis a serem traçados, que vão ter derrotas, momentos difíceis, e nós aprendemos a lidar com isso tudo. Tudo isso nos torna mais fortes. E, no empreendimento, é a mesma coisa, principalmente quando você está aprendendo. Você vai errar, vai perder dinheiro, vai perder cliente, vai perder aluno, vai perder venda… E o segredo é saber lidar com essas perdas, saber transformar essas perdas em motivação para você melhorar e não perder mais. A principal lição do Jiu-Jitsu é aprender a dar a volta por cima, independentemente do resultado que você vai ter no empreendimento. Isso também serve no Jiu-Jitsu. Aprenda com seu erro e volte melhor.

    – Aos 36 anos e já consolidado, o que motiva você a continuar competindo?

    Já estou lutando há praticamente 20 anos, e eu gosto de estar ali, lutando. Eu gosto de ter um tempo direcionado só para eu treinar, me desligar de outras coisas da vida que hoje a gente tem. Eu me divirto bastante com isso ainda. Quando digo que me divirto, é apenas um modo de dizer que estou feliz com isso. É uma diversão séria com treino, nunca deixando de fazer o máximo, que é a minha essência. Ainda estou bem motivado para continuar lutando por um bom tempo, não estou programando parar. Obviamente, hoje em dia, eu faço mais lutas casadas e não tenho pretensão de lutar campeonatos. Talvez, o ADCC esse ano, mas deixa chegar mais perto e pensar legal. Tenho bastante motivação e ainda treino duro com todos os meus alunos, que são atletas de ponta. Isso me motiva sempre a estar continuando, e vamos continuar indo para cima por um tempinho ainda.

    – Como você analisa a superluta com Marcos Tinoco no KASAI Pro 5?

    Estou bem feliz em estar podendo lutar o KASAI Pro, evento de grande porte e que trata os atletas da melhor forma possível. O Marcos é um grande campeão, grande pessoa e estou bem feliz por estar lutando com ele. Hoje em dia, no momento em que estou na minha vida, qualquer luta casada que eu vá fazer é com alguém que eu respeito, é com alguém que tem uma história legal, é alguém com que eu vou dividir o tatame e vai me fazer ter um crescimento na minha vida pessoal, como na vida profissional. O Tinoco já lutou com alguns amigos meus algumas vezes, é um cara que está vindo de uma fase muito boa. Ele foi vice-campeão mundial sem quimono da IBJJF. É uma atleta muito duro, que está nas cabeças em todos os campeonatos, além de ser uma grande pessoa. Então, estou feliz de estar fazendo essa luta, estou me preparando da melhor forma possível, como me preparo para qualquer luta, independentemente de adversário. Respeito todos os meus adversários, sabendo que todos eles podem me oferecer perigo. Vamos lá fazer um show para a galera.

    – Qual o segredo para lidar com tantos campeões dentro de uma academia?

    Já tem muito tempo que eu sou mais um coach do que um atleta. Na verdade, esses garotos me motivam bastante, a estar sempre treinando, a estar sempre na ponta dos cascos, estar sempre mostrando o caminho para eles, na melhor forma possível. Então, acho que até por isso é um dos motivos que eu continuo competindo até hoje e treinando forte, por causa dessa garotada aí. São garotos excepcionais, todos com suas qualidades. Eu tenho que saber lidar com cada um de uma forma diferente para trazer o melhor de cada um. Não tem como eu ser um coach para o Edwin como eu sou para o Preguiça ou ser um coach para o Preguiça igual eu sou para o Edwin. Cada atleta tem uma forma de ser tratado, motivado e puxado. Eu aprendi isso com o decorrer da minha carreira, convivendo com esses campeões aí. É todo dia treinando com eles, porrada, e dividindo um pouco do meu conhecimento e experiência. Quero transformar todos eles em campeões, mas não só campeões de Jiu-Jitsu, que eles sejam campeões da vida, fora do tatame, é o que almejo.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome