Igor ‘Tigrão’ fala sobre desempenho no Europeu e foco no Brasileiro e Mundial: ‘Quero chegar forte’

    Igor Schneider projeta entrar forte no Brasileiro e no Mundial da IBJJF (Foto: Divulgação)

    O atleta Igor Schneider, mais conhecido como Tigrão, faixa-preta da NS Brotherhood, tem lutado campeonatos importantes, como o Grand Slam da UAEJJF no final de 2018. Este ano, já lutou o Europeu, em Portugal, e também mira o ouro no Brasileiro e Mundial da IBJJF no super-pesado.

    Falando um pouco sobre 2018, no começo do ano, Tigrão lutou o ACBJJ South American Open GI, que foi em São Paulo e avaliou seu desempenho: “Gostei bastante do meu rendimento. Só na final da categoria e no absoluto eu fiquei um pouco insatisfeito, porque o absoluto começou a rolar antes da categoria e creio eu que isso me atrapalhou bastante na concentração, porém, consegui ficar em segundo na categoria e ainda beliscar um terceiro no absoluto”, disse.

    Vale lembrar que, neste evento, Igor enfrentou atletas de ponta, como Otávio Nalati e Fellipe Trovo, ganhando ambas as lutas por finalização. Alguns meses depois, o faixa-preta lutou o Brasileiro da CBJJ, quando decidiu baixar de categoria (para super-pesado).

    “Foi árduo, pois tive que perder aproximadamente 20kg em menos de um mês, inclusive fiz sauna antes de lutar. Como o absoluto era um dia antes, me senti muito fraco e não gostei muito do meu rendimento, acabei perdendo na segunda luta. Já na categoria, consegui me hidratar bem antes das lutas e me senti muito melhor, mas fui parado na final. Porém, fiquei com a sensação de ter encontrado a categoria certa para lutar. No Mundial da IBJJF, mantive e o peso e comecei um trabalho de força, me senti bem, mas acabei perdendo nas quartas, onde senti que deveria focar nas passagens de guarda”, comentou.

    Em julho de 2018, Igor foi disputar o ACBJJ World Open Gi, na Rússia, viagem e inscrição que ganhou como premiação pelos pódios na categoria e absoluto do ACB realizado no Brasil.

    “Foi uma experiência incrível. A estrutura dessa federação é impressionante. Lutei bem, mas fui parado na final, e saí com a medalha de prata e com uma premiação que me ajudou muito a seguir firme com minha carreira. É importante que lutemos campeonatos que nos valorizem como atletas”, apontou Igor.

    Em janeiro deste ano, ele foi pela primeira vez à Europa para disputar seu primeiro Europeu da IBJJF, que, segundo ele, era um sonho que tinha desde muito novo.

    “Me concentrei bem e fui para o sábado lutar o absoluto em que ganhei minha primeira luta e nas quartas de final já seria com o Manuel Ribamar, que é meu companheiro de treino e amigo desde a faixa roxa. Conversamos e decidimos que eu iria passar para a semifinal. Na semifinal, estava fazendo uma luta muito boa, com movimentos ágeis e fortes de passagem de guarda, estava muito bem e, faltando aproximadamente dois minutos, acabei caindo na posição de 50/50. À essa altura, já estavam contabilizados 8 a 0 nas vantagens para mim, mas sabia que a guarda 50/50 era uma posição forte do meu adversário. Infelizmente, acabei sendo raspado no final e perdi por 2 pontos, ficando com o bronze do absoluto. Mas tirei uma lição disso, agora estou focado em estabilizar minhas passagens de guarda, para os próximos torneios estarei mais forte!”, analisou o lutador, que fez seminários na Europa e contou como está a preparação para o Brasileiro, no começo de maio, e o Mundial da IBJJF.

    “Quero chegar forte e acostumado com o peso, para poder dar o melhor de mim no peso e no absoluto do brasileiro deste ano e após o brasileiro seguir com a dieta e me preparar mais para chegar ainda melhor no Mundial. Este ano tem tudo para ser o meu melhor ano e estou 100% focado nisso”, encerrou.

    1 COMENTÁRIO

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome