Cinturão mundial, revanche olímpica e Boxe no Brasil: Esquiva Falcão fala sobre estreia no país neste domingo

    Esquiva Falcão entrará em ação no dia 31 de março, em evento no Rio (Foto Flávio Perez / On Board Sports)

    Por Matheus Costa

    O Boxe brasileiro busca se reestruturar há muitos anos para, quem sabe, encontrar dias melhores. Não só com resultados dentro do ringue, mas em estrutura, investimentos e, claro, uma nova safra de lutadores. No início da década, dois irmãos mostraram ao mundo, durante as Olimpíadas de Londres, em 2012, que o Boxe brasileiro não estava morto. Os irmãos Falcão alcançaram resultados históricos para o país, com Yamaguchi Falcão conseguindo a medalha de bronze e Esquiva Falcão faturando a medalha de prata.

    Em 2019, Esquiva se aproxima cada vez mais de uma disputa de cinturão. Ranqueado em três dos quatro rankings das maiores associações de Boxe do mundo, o capixaba peso-médio vive grande ascensão e fará sua estreia profissional no Brasil contra o experiente argentino Jorge Daniel Miranda, no evento Boxing For You, que será realizado neste domingo (31), em Mangaratiba (RJ). Uma vitória para Esquiva pode significar muita coisa.

    Em entrevista à TATAME, Esquiva explicou o desafio de enfrentar um argentino em solo nacional, mais especificamente na cidade de Mangaratiba, no Rio de Janeiro. O atleta invicto ainda falou sobre as qualidades de seu adversário e revelou qual será a sua estratégia durante o confronto previsto para ter dez rounds (todos com três minutos).

    “Meu adversário é um cara muito experiente, tem bastantes lutas. Eu assisti algumas lutas dele. É um cara bastante valente e vai vir para cima. Eu vou trabalhar os contragolpes, e como são dez rounds, eu pretendo minar a resistência dele nos primeiros e buscar o nocaute no final. O que importa é a vitória, mas o nocaute em um Brasil x Argentina é o mais interessante. Estou muito bem preparado para aguentar os dez rounds, e eu acredito que ele também vem bem preparado, então vai ser uma grande luta. É uma luta que o fã brasileiro da nobre arte não pode perder, porque acredito que ele vem com tudo, já que é uma grande oportunidade para ele, assim como para mim”, projetou Esquiva, aos 29 anos.

    Falcão também falou sobre a expectativa de sua estreia no Brasil, afirmando que lutar no país era seu desejo explícito desde o início da carreira profissional, em 2014. O atleta ainda comentou sobre a dificuldade do pugilismo no país, principalmente pela falta de estrutura.

    “Estou muito feliz em poder lutar no Brasil. Desde a minha primeira luta no Boxe profissional, eu falei que queria lutar no país e chegou esse grande momento. Eu estou muito ansioso, minha expectativa é dar o meu melhor, dar um show para os fãs brasileiros. Eu quero mostrar que o Boxe do Brasil está vivo, e só precisa de um pouco mais de investimento para revelar novos talentos. Eu estou muito feliz com esse momento e eu quero dar o meu melhor, vencendo de forma mais rápida e depois correr para o abraço”.

    Esquiva se alongou sobre as dificuldades que o Boxe brasileiro passa atualmente, citando um grande exemplo pessoal. Ele e seu irmão, naturais do Espírito Santo, possuem uma grande dificuldade de encontrar um local adequado para treinar em sua cidade. Para ele, falta divulgação do esporte pela grande mídia, o que acaba afastando os investidores.

    “O Boxe está enfrentando uma dificuldade muito grande em relação à divulgação, mídia, televisão e até poucas academias. O Espírito Santo tem dois medalhistas olímpicos de Boxe, mas ainda é muito difícil encontrar uma academia de Boxe. Mas eu acredito que depois que eu for campeão do mundo, ou meu irmão ou o Robson Conceição, eu acredito que vai aumentar muito a visibilidade do Boxe, as mídias vão começar a procurar, vão vender mais patrocínios, e isso é muito bom. O Boxe do Brasil nunca morreu, mas ficou um pouco apagado por falta de resultados. Mas nós estamos voltando com tudo”, projetou.

    Esquiva também falou sobre a grande sombra de sua carreira: a polêmica derrota para Ryota Murata na final olímpica, na decisão dos jurados, que lhe tirou o sonho da medalha de ouro. O brasileiro tenta, desde então, a revanche contra o japonês, que já rejeitou mais de uma vez a oportunidade de enfrentá-lo novamente. De acordo com Esquiva, seu plano é conquistar o cinturão e pedir a revanche contra Murata com o seu título em jogo.

    “O Murata foi um grande foco meu para enfrentar, mas ele sempre correu, sempre teve medo de me enfrentar novamente. Assim que eu for campeão do mundo, eu vou querer uma revanche com ele e colocando o meu cinturão em jogo. Eu quero uma luta que seja no Japão ou no Brasil, e eu quero, sim, enfrentá-lo. É uma luta que eu preciso mostrar para mim que eu venci uma final olímpica, então haverá, sim, uma revanche olímpica. Ele não quis uma revanche comigo, mas quando eu for campeão do mundo, eu vou querer uma revanche. Eu quero mostrar para ele que eu sou mais boxeador e sou melhor que ele, e que sim, eu venci ele nos Jogos Olímpicos de Londres. Eu quero mostrar para o Brasil e para o mundo todo que eu fui o campeão olímpico, se não fosse o erro do árbitro”.

    Por fim, Esquiva analisou seus próximos passos na carreira. No Top 10 dos rankings da WBC, WBA e IBF, uma disputa de cinturão pode estar muito próxima do horizonte do atleta, inclusive, já na próxima luta. Segundo ele, a Top Rank, que gerencia sua carreira, deu dois possíveis cenários para o seu futuro em caso de vitória no Boxing For You: ou ele faz mais uma luta antes de disputar o cinturão ou, dependendo do modo de uma suposta vitória sobre o argentino, a disputa de cinturão será já em seu próximo compromisso.

    “A Top Rank já me falou que depois dessa luta eu devo fazer uma luta a mais e disputar o cinturão, ou dependendo de como acabar essa luta, eu já disputo o cinturão direto a seguir. É muito importante eu vencer bem essa luta e mostrar mais uma vez que eu estou pronto para disputar o cinturão. Eu quero enfrentar o melhor campeão e quero ser campeão. Logo depois, com o cinturão, quero buscar voos mais altos e ter lutas mais duras, lutas internacionais que sejam importantes para mim. Agora eu quero buscar essa vitória, e depois pensar no próximo passo, de olho no título, claro”, encerrou Falcão.

    CARD COMPLETO:

    Boxing For You
    Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba (RJ)
    Domingo, 31 de março de 2019

    Peso-médio (até 72,5kg): Esquiva Falcão x Jorge Daniel Miranda
    Peso-super-pena (até 58kg): Robson Conceição x Sergio Ariel Estrela
    Peso-meio-médio (até 66kg): Adriana Araújo x. Elaine Albuquerque
    Peso-pena (até 57kg): Robenilson de Jesus x Agnaldo Valério
    Peso-super-pena (até 58kg): Benedito Neto x Roger Gutierres
    Peso-super-pena (até 58kg): Wallace “Canhoto de Ouro” x Eduardo Costa
    Peso-meio-médio (até 66kg): Paulo Martins x Fernando Black

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome