José Aldo reafirma que vai parar em 2019, mas projeta cinturão: ‘Título está vindo nos meus braços’

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 28/03/2019

publicidade

Por Mateus Machado e Yago Rédua

Ex-campeão, José Aldo estará em ação no dia 11 de maio, no Rio de Janeiro, pelo UFC 237. O lutador vai encarar o australiano Alexander Volkanovski pela categoria peso-pena. Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (29), no Copacabana Palace, o atleta da Nova União, reafirmou o desejo de encerrar a carreira no MMA e realizar lutas de Boxe.

“Isso que eu quero, seguir o plano (aposentar no segundo semestre de 2019). Já tenho tudo na minha mente. No segundo semestre, sei que vai ter um outro evento no Brasil, não sei o lugar ainda, mas eu quero lutar. Essa é a ideia de início. Na última luta, quando a gente passou pelo (Renato) Moicano, eles (UFC) já vieram falar sobre isso, de renovar o contrato, mas eu tô analisando outras propostas também. Estou sentando, analisando tudo, então, vendo qual é o melhor caminho para eu seguir. Dentro do MMA, eu já fiz muito, agora é a hora da nova geração, mas esse título está vindo nos meus braços e não vou nega-lo, mas é calma. Vou sentar com o Dedé e ver qual caminho a seguir”, analisou Aldo.

O ex-campeão comentou ainda sobre o “rei” voltar para o Rio, fez uma reflexão sobre o que mudou no MMA nos últimos anos, um possível duelo com Anthony Pettis, a recente aposentadoria de Conor McGregor do MMA e se vai para a torcida caso vença no UFC Rio.

Confira abaixo a entrevista com José Aldo:

– Rei do Rio de volta

De volta, não. A gente nunca saiu (risos). Estou em uma sequência muito boa, mas o momento mais marcante (da carreira) foi poder correr para os braços do povo. Lembro do Ayrton Senna (piloto de Fórmula 1), e poder repetir aquela cena foi emocionante pra mim.

– Evolução MMA no Brasil

Eu lembro que tinha bastante cabelo e hoje eu não tenho mais (risos). Foi tudo muito rápido, parece que foi ontem. Eu, Shogun, Anderson, Minotauro, todos sendo campeões, era o que esperávamos na época. Hoje estamos sendo representados pela nova geração. Pra mim, lutar em casa sempre é um prazer muito grande. Estar perto da família, dos fãs, sem deslocamento. Desde aquele tempo, eu fico muito satisfeito com tudo o que aconteceu, com a proporção que tomou o MMA no Brasil. Estão todos de parabéns!

– Possível luta com Pettis

Primeiramente, eu penso no Volkanovski, essa é a luta agora. Eu já estive muito perto de lutar com o Pettis, não rolou, mas a categoria está muito indefinida. Eu posso disputar esse título ainda, tudo depende do duelo do Max (Holloway contra o Dustin Porier), mas acho que não cabe mais esse duelo (contra o Pettis). Também não sei em qual seria o peso, mas acho que não é o momento, quem sabe no futuro. A divisão está muito embolada, acho que ser campeão e o mais próximo. A chance caiu no colo (risos), então vou abraçá-la.

– Aposentadoria do McGregor

Eu vi isso. Acho que o que ele fez dentro do esporte e o que ele ganhou também, é justo. Se eu faço uma luta com o Mayweather pra ganhar 80 milhões de dólares, eu ia sumir também. Treinar em três períodos de novo nunca mais (risso). Acho que ele fez uma carreira brilhante, foi um grande lutador, então, se ele realmente for se aposentar hoje, parabéns! Acho que a nossa luta já passou a hora de acontecer. Eu queria a revanche imediata, não aconteceu e hoje na minha cabeça já não vejo essa luta acontecendo. Não (me deixa chateado não lutar com o McGregor), eu tenho só 32 anos, quero investir na minha carreira, meu sonho é lutar Boxe, então, sei que posso ganhar um dinheiro.

– Comemoração para o UFC 237

É um momento que não só pra mim, mas qualquer atleta, principalmente brasileiro, é especial. Eu nem penso, vou naturalmente, mas sei que aqui no Rio de Janiro terá uma segurança muito forte. Os caras estão me cercando já (risos). Mas se eu tiver uma brecha, vou correr, porque eles merecem, vibram, torcem e choram com a gente.

CARD PROVISÓRIO:

UFC 237
Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca (RJ)
Sábado, 11 de maio de 2019

Peso-palha: Rose Namajunas x Jéssica Bate-Estaca
Peso-médio: Anderson Silva x Jared Cannonier
Peso-pena: José Aldo x Alexander Volkanovski
Peso-meio-pesado: Rogério Minotouro x Ryan Span
Peso-galo: Bethe Correia x Irene Aldana
Peso-meio-médio: Warlley Alves x Serginho Moraes
Peso-mosca: Wu Yanan x Luana Carolina
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Laureano Staropoli
Peso-galo: Jessica-Rose Clark x Talita Bernardo
Peso-leve: BJ Penn x Clay Guida
Peso-pena: Raoni Barcelos x Said Nurmagomedov
Peso-leve: Thiago Moisés x Kurt Holobaugh

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade