UFC 237: Anderson falta coletiva, Aldo explica lesão no joelho e Namajunas exalta Rio de Janeiro

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 28/03/2019

publicidade

Por Mateus Machado e Yago Rédua

Um dos hotéis mais famosos do mundo, o Copacabana Palace, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro, recebeu nesta quinta-feira (28) o primeiro evento oficial do UFC Rio 237, que será no dia 11 de maio. Estiveram presentes para conversar com a imprensa o ex-campeão José Aldo, Rogério Minotouro, Jéssica Bate-Estaca e a campeã Rose Namajunas. Anderson Silva estava confirmado para o evento com jornalistas, mas o ex-lutador Rodrigo Minotauro, embaixador do UFC, explicou a ausência do “Spider”.

“O Anderson Silva tinha um compromisso de trabalho inadiável, sob contrato, e por isso ele não pode comparecer. Mas ele está confirmado no card”, disse brevemente o ex-lutador.

José Aldo explicou a grave infecção que teve e disse que vai fazer de tudo para lutar (Foto: UFC)

Ex-campeão e próximo de encerrar o seu ciclo no MMA, Aldo vai enfrentar o australiano Alex Volkanovski pela divisão peso-pena. Na última semana, o lutador chegou a ficar internado por conta de uma infecção no joelho após um treino. Aldo disse que temeu ficar fora do UFC Rio 10, mas que está confiante na recuperação e a liberação total do médico.

“Fiquei bem triste pelo o que aconteceu. Eu já vinha treinando e foi um banho de água fria. Mas, eu quero lutar no Rio, estar nesse card. Os antibióticos e remédios fazem parte. Espero que semana que vem já saiam (antibióticos) do corpo para eu começar com o treinamento mais forte e intensificar até o dia da luta. Eu estava treinando Wrestling segunda-feira (passada), quando entrei no double lag, fiz uma pequena queimadura no joelho e entrou uma bactéria. No dia seguinte, acordei com meu joelho gigante, doendo muito e comecei os antibióticos. O primeiro não fez efeito, mas o segundo fez. Então, eu fiz um processo para retirar tudo de ruim e os excessos. Agora, estou melhor. semana que vem, se Deus quiser, já estou de volta aos treinos com força total”, disse Aldo, que seguiu:

“A cada momento (pensava que poderia sair da luta com o Volkanovski). Mas o Dedé e o médico me tranquilizaram, falando que eu tinha tempo e que depois que saísse a secreção, a recuperação ia ser mais rápida. E isso aconteceu. Não estou 100% ainda, preciso passar pela avaliação final do médico, mas espero que de tudo certo. Quero lutar!”, projetou.

O ex-campeão peso-pena, que havia confirmado no início deste ano que deseja se aposentar do MMA ainda em 2019, voltou expressar a sua vontade. Aldo garantiu que quer lutar Boxe profissional e, inclusive, já tem algumas propostas, mas não deu detalhes.

Disputar o cinturão em casa

Anteriormente, o UFC 237 estava sendo especulado para que fosse realizado em Curitiba, no estádio do Athlético. No entanto, as negociações não deram certo e o card foi agendado para a Cidade Maravilhosa. Jéssica é natural do Paraná, mas mora atualmente no Estado do Rio. Bate-Estaca celebrou a chance de lutar diante dos amigos, além da oportunidade de fazer a luta principal do card que contará com Anderson Silva, Aldo e Rogério Minotouro.

“Quer mais sonho do que isso? Acho que é bem difícil (risos). Em 2011, quando rolou o melhor UFC Rio, eu estava começando a minha carreira. Nunca imaginei um dia estar aqui, e hoje estou, fechando um card magnífico desse com a Rose. Pra mim é sensacional. Vou dar o meu melhor lá dentro e mostrar que posso ser campeã e representar muito bem o Brasil”, disse a lutadora da PRVT, que garantiu ser a “zebra” diante da campeã peso-palha.

Namajunas e Jéssica Bate-Estaca se encararam pela primeira vez nesta quinta-feira (28) (Foto: UFC)

Campeã feliz por lutar no Rio

Campeã, Namajunas é conhecida por sua forma calma e serena. A lutadora disse que ficou feliz em lutar no Rio de Janeiro, fazendo referência as origens da cidade no MMA e Jiu-Jitsu. No mais, ainda disse que estava contente pelo fato de Jéssica poder lutar em casa, aqui no Brasil, e não precisar ir para outro país. Situação que é comum na vida da Bate-Estaca.

“É uma honra estar aqui na cidade em que o MMA e o Jiu-Jitsu nasceram. Isso salvou e melhorou a minha vida, e o mínimo que eu posso fazer é dar um show para os fãs. Havia a possibilidade de acontecer em Curitiba, mas fiquei feliz de acontecer aqui. Eu sempre penso duas vezes no que fazer e falar, mas estou feliz. Jéssica vai ter a chance de disputar o cinturão. Ela sempre tem que viajar, e agora vamos trazer a luta para ela”, apontou.

Minotouro quer trilogia com Shogun

Quem também estará em ação no card do UFC Rio é o veterano Minotouro. O baiano vai enfrentar Ryan Span pela divisão dos meio-pesados. Ao ser indagado por um repórter sobre o que ainda desejava fazer dentro do MMA, o brasileiro não hesitou: uma terceira luta com Maurício Shogun. Até o momento, são duas vitórias para o ex-campeão do UFC.

“Lutar no Rio é uma coisa especial. Quando você sente a torcida te animando, é como no futebol, a torcida faz a diferença. Uma luta que eu gostaria de fazer antes de terminar a minha carreira seria contra o Shogun. Lutamos em 2015, não acho que o resultado foi justo, então, gostaria dessa revanche antes de encerrar minha carreira”, apontou.

CARD PROVISÓRIO:

UFC 237
Jeunesse Arena, na Barra da Tijuca (RJ)
Sábado, 11 de maio de 2019

Peso-palha: Rose Namajunas x Jéssica Bate-Estaca
Peso-médio: Anderson Silva x Jared Cannonier
Peso-pena: José Aldo x Alexander Volkanovski
Peso-meio-pesado: Rogério Minotouro x Ryan Span
Peso-galo: Bethe Correia x Irene Aldana
Peso-meio-médio: Warlley Alves x Serginho Moraes
Peso-mosca: Wu Yanan x Luana Carolina
Peso-meio-médio: Thiago Pitbull x Laureano Staropoli
Peso-galo: Jessica-Rose Clark x Talita Bernardo
Peso-leve: BJ Penn x Clay Guida
Peso-pena: Raoni Barcelos x Said Nurmagomedov
Peso-leve: Thiago Moisés x Kurt Holobaugh

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade