Larissa Pimenta garante bronze para o Judô brasileiro no primeiro dia do Grand Prix de Antalya; resultados

A brasileira Larissa Pimenta conquistou o bronze no Grand Prix de Antalya (Foto Gabriela Sabau / IJF)

A equipe brasileira de Judô teve três chances de subir ao pódio na sexta-feira (5), no Grand Prix de Antalya, na Turquia, e a medalha veio com a meio-leve Larissa Pimenta (52kg). Uma semana após ser bronze no Grand Prix de Tbilisi, na Geórgia, a brasileira, de 20 anos, repetiu o desempenho na Turquia e garantiu o primeiro pódio do Brasil na competição. Felipe Kitadai e Sarah Menezes também chegaram às disputas pelo bronze, mas acabaram ficando em quinto lugar, deixando a medalha escapar desta vez.

Esta é a quarta competição seguida que a novata da seleção conquista uma medalha. Em fase de transição da equipe júnior (sub-21) para a equipe principal, Larissa fez sete competições neste ano e vem subindo ponto a ponto no ranking mundial. Na Turquia, ela conquistou mais 350 pontos para melhorar sua 40ª posição de olho no Mundial 2019.

“Essa competição e essa disputa de bronze foram muito importantes para eu melhorar no ranking mundial. Fiz uma luta dura com a russa. Já tinha lutado com ela em Dusseldorf e, agora, acho que o diferencial aqui foi a cabeça. Eu estava focada desde o início da competição e sabia que eu podia dar o meu melhor para sair vitoriosa”, explicou Larissa.

Ela venceu três lutas nas preliminares e, por muito pouco, não enfrentou sua compatriota Sarah Menezes. As duas chegaram às semifinais, mas não conseguiram avançar à final. Larissa caiu para a mongol Urantsetseg Munkhbat, que também luta no 48kg, onde é líder do ranking mundial, e Sarah não passou pela romena Andrea Chitu, vice-campeã mundial.

Na disputa pelo bronze, Pimenta conseguiu um waza-ari e a transição para imobilizar Yulia Kazarina até o ippon e conquistar sua quinta medalha em sete competições. Já Sarah, que fez apenas sua segunda competição no ano no 52kg, parou em Gultaj Mammadaliyeva. Ela começou perdendo por um waza-ari, buscou o empate no tempo normal, mas acabou sofrendo uma segunda projeção no “golden score” (tempo extra) e terminou em quinto.

Mesmo resultado do ligeiro Felipe Kitadai (60kg), que encarou dois campeões mundiais em sua chave. Ele começou com vitória sobre Csaba Szabo, da Hungria, e derrotou Yung wei Yang, de Taipei, numa batalha de quase dez minutos para avançar até às quartas.

Nessa fase, o brasileiro acabou caindo para o cazaque Yeldos Smetov, campeão do mundo em 2015 e vice-campeão olímpico no Rio, e foi para a repescagem, onde enfrentou o campeão do mundo de 2014, Boldbaatar Ganbat, da Mongólia. Dessa vez, deu Kitadai com um belo ippon no “golden score”. Na luta pelo bronze, porém, o brasileiro foi surpreendido pelo jovem turco Mihrac Akkus, de 18 anos, que encaixou uma técnica não muito usual e projetou Kitadai nos primeiros segundos de luta para ficar com o bronze atuando em casa.

Mais brasileiros em ação

Outros quatro brasileiros lutaram nesta sexta-feira. Rafaela Silva (57kg) e Charles Chibana (66kg) estrearam com vitórias, mas caíram na segunda luta e não seguiram na chave. Eric Takabatake (60kg) e Nathália Brígida (48kg) perderam na primeira rodada para Orkhan Safarov (AZE) e Ewa Konieczny (POL), respectivamente, e também não avançaram.

O Grand Prix de Antalya continua neste sábado (6), com mais brasileiros em ação: Marcelo Contini (73kg), Eduardo Yudy Santos (81kg), Guilherme Schimidt (81kg), Alexia Castilhos (63kg), Maria Portela (70kg) e Ellen Santana (70kg). Para finalizar, já no domingo (7), vão ao tatame as feras Beatriz Souza (+78kg), Rafael Macedo (90kg), Gustavo Assis (90kg), Leonardo Gonçalves (100kg), Rafael Buzacarini (100kg) e David Moura (+100kg).

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente
Seu nome