TJ Dillashaw aceita suspensão de dois anos da USADA após falha em exame antidoping; saiba

    NEW YORK, NEW YORK - JANUARY 19: TJ Dillashaw reacts to the judge's decision that ended his UFC Flyweight title match against Henry Cejudo at UFC Fight Night at Barclays Center on January 19, 2019 in New York City. (Photo by Sarah Stier/Getty Images)

    Ex-campeão peso-galo do UFC, TJ Dillashaw recebeu um duro golpe para a sua carreira na última terça-feira (9) A USADA (Agência Antidoping dos EUA) anunciou a suspensão de dois anos para o americano por conta do teste positivo para a substância eritopoietina (EPO), em exame realizado na véspera de sua luta contra Henry Cejudo, que ocorreu em 19 de janeiro deste ano, em Nova York.

    Dillashaw, que abriu mão do cinturão peso-galo de forma voluntária antes mesmo do Ultimate anunciar qualquer medida, não apresentou qualquer tipo de contestação à punição aplicada pela USADA.

    Vale ressaltar que a pena aplicada a TJ – de dois anos – é considerada a máxima para substâncias proibidas no programa antidoping do UFC. Sendo assim, o lutador só estará apto para lutar novamente a partir do dia 18 de janeiro de 2021, quando terá 35 anos. O americano é o segundo atleta da organização a ser flagrado com uso da substância desde 2015, ano em que a parceria do Ultimate com a USADA começou. O primeiro foi o brasileiro Gleison Tibau, que também precisou cumprir dois anos de suspensão.

    A eritopoietina (EPO) se trata de um hormônio que serve para aumentar o número de hemácias no sangue do indivíduo. Essa glicoproteína era rotineiramente utilizada para melhorar o desempenho dos atletas, uma vez que eleva os níveis de eritrócitos sanguíneos, incrementando a troca de oxigênio, resultando, assim, no aumento da resistência ao exercício físico.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome