Atleta do UFC, Johnny Eduardo recebe homenagem em evento de Beachboxing: ‘Gratidão enorme’

    Johnny foi homenageado por Moacyr Lima e Marcelo Santos, os 'cabeças' do Beachboxing (Foto: Marcos Castro)

    Aos 38 anos, Johnny Eduardo luta no UFC desde 2011 e contabiliza 28 vitórias e 12 derrotas em seu cartel na modalidade, lutando profissionalmente desde 1996. Com uma longa e vitoriosa trajetória no mundo da luta, o carioca recebeu uma merecida homenagem no Circuito Carioca de Verão de Beachboxing, realizado neste domingo (28), na Praia da Reserva (RJ).

    Em entrevista exclusiva à TATAME, Johnny mostrou-se emocionado com a homenagem recebida e aproveitou para externar sua gratidão a Moacyr Lima, presidente da Federação de Beachboxing, ressaltando que pretende contribuir diretamente para o crescimento do esporte.

    “Gratidão enorme por estar recebendo essa homenagem, por toda minha trajetória, caminhada, batalha em ser um atleta, representante da modalidade e do Brasil, capaz de me mostrar apto em competir em alto rendimento. É o melhor momento da minha vida. Vamos seguir sempre de cabeça erguida, ajudando sempre que eu puder ajudar. Quero ajudar o Moacyr Lima, o pessoal do Beachboxing, essa é a semente que eu quero plantar. Trazer mais apoios e pessoas que possam se empenhar em fazer essa modalidade crescer cada vez mais”, disse Johnny, que contou também como surgiu sua aproximação com o Beachboxing.

    “Eu sempre fui um amante do Boxe, apesar de ser oriundo do Muay Thai. O Beachboxing sempre me chamou atenção, sempre vi o Moacyr dando treinos na praia, de manopla, e eu sempre gostei de treinos de alto rendimento, e você treinar na praia é uma atividade muito intensa, difícil, e quando você se prepara na praia, na areia, você chega no cage ‘voando’. A maioria dos meus treinos são na praia, com circuito, manopla, para que eu possa chegar na luta com mais velocidade. O Beachboxing veio para trazer isso, então valorizo muito esse esporte”, contou o experiente lutador, que ainda falou sobre sua atual situação no UFC.

    “Graças a Deus estou com contrato ativo, já estou há oito anos na organização. Eu lutaria no UFC 237, em maio, no Rio, mas acabei sofrendo uma lesão durante o camp e tive que sair do card. Agora, estão querendo me colocar para lutar em julho ou agosto. Querem que eu esteja pronto para lutar nesse período, então o foco é estar 100% para entrar em ação em breve. Quero chegar no Top 10 da minha categoria novamente, onde estive por quatro anos. O primeiro passo é voltar para o Top 10. Quando eu voltar, vou fazer novamente o que eu vinha fazendo, que é o trash talk, chamar a galera na internet, porque se eu falo, eu me garanto (risos). A gente faz e mostra na prática. Essa é a mensagem”, encerrou.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Comente
    Seu nome