Bicampeão do Rio Fall, aluno de projeto social mira o Brasileiro e sonha com o Mundial

por: TATAME | @tatameofficial
Publicado em 10/04/2019
Bicampeão do Rio Fall, aluno de projeto social mira o Brasileiro e sonha com o Mundial

publicidade

O esporte muda vidas. Muitos esportistas que se tornaram grandes ídolos poderiam ter um destino não tão glorioso não fosse o esporte. Wellington da Silva Laurentino, de 18 anos, é um dos jovens que caminha para ser uma dessas referências no futuro. No último final de semana, ele se tornou bicampeão do Rio Fall (da IBJJF) na faixa-azul na categoria adulto.

Mas as vitórias dentro do tatame são detalhes perante os obstáculos que Wellington supera no dia a dia. Nascido em São Paulo, ele se mudou com o pai para o Rio de Janeiro aos 11 anos, deixando mãe e três irmãs na cidade natal. “Vim para o Rio em 2012 em busca de algo melhor para a minha família”, lembra o competidor, que atualmente reside na comunidade do Jacaré, na Zona Norte carioca.

Em seguida, um baque: o próprio pai o abandonou. Motivo para Wellington desistir e voltar para São Paulo ou ir para um caminho errado na comunidade onde mora? Não. Nesse período, ele já havia conhecido o professor Erivan Gonçalves, faixa-preta da Nova União que lidera o EGM Team, um dos projetos sociais mais bem-sucedidos do Rio de Janeiro, em Manguinhos. “O mestre Erivan me apresentou o Jiu-Jitsu e eu sei que é por ele que vou chegar longe para ajudar minha mãe e minhas irmãs”, acredita.

Ainda sem patrocínio para se dedicar exclusivamente ao Jiu-Jitsu, o garoto divide seu tempo entre treinamentos no projeto social e no trabalho como camelô. “O que eu ganho hoje só dá para pagar o meu aluguel e a minha comida. É difícil não ter dinheiro para comprar um quimono ou pagar minha inscrição nos campeonatos, mas graças a Deus o nosso projeto tem apoio da LBV, da Rádio Brasil, da Prime Esportes e da FJJD-Rio, que nos ajudam com quimonos e algumas inscrições”, destaca.

Mesmo sem a estrutura que atletas profissionais dispõem, Wellington costuma subir no alto do pódio nas competições que participa, como foi no último final de semana. “Foi uma emoção muito grande ganhar o Rio Fall pela segunda vez, é uma competição da IBJJF, então engrandece meu currículo, ainda mais com as dificuldades que eu enfrentei. Mas é isso que o meu mestre incentiva: mostrar nossa capacidade mesmo com as dificuldades. E é inspirado nisso que eu pretendo ser campeão brasileiro e, no futuro, se conseguir um patrocínio, ser campeão mundial nos EUA”, projeta.

Para ajudar projetos como este que Wellington treina, clique aqui e faça sua contribuição.

Veja também

publicidade

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade